A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos e sistemas do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro). Essa doença apresenta 9,6 milhões de casos todos os anos, sendo uma morte a cada 21 segundos no mundo.

Segundo o último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), a tuberculose é a doença infecciosa que mais mata jovens e adultos, ultrapassando o HIV/AIDS. No Brasil são notificados aproximadamente 67 mil casos novos e ocorrem 4,5 mil mortes em decorrência da doença (13 brasileiros morrem em média todos os dias de tuberculose). Em Minas Gerais, foram notificados 4.534 casos da doença em 2017, sendo que a região Metropolitana de Belo Horizonte (MG) concentra, aproximadamente, um terço dos casos do Estado.

» Clique aqui e acesse a Cartilha sobre Tuberculose da SES-MG

» Ajude-nos nesta campanha: salve as imagens e compartilhe nas suas redes sociais!

O principal sintoma da tuberculose é a tosse na forma seca ou produtiva. Por isso, é importante que toda pessoa que apresente tosse por mais de três semanas, procure uma Unidade Básica de Saúde para que seja investigado. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como febre ao final da tarde, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga. A forma extrapulmonar ocorre mais comumente em pessoas que vivem com o HIV/AIDS, especialmente entre aquelas com comprometimento imunológico.

O diagnóstico e o tratamento da tuberculose são realizados pelo SUS, por meio dos seguintes exames: baciloscopia, teste rápido molecular para tuberculose e cultura para micobactéria, além da investigação complementar por exames de imagem. O diagnóstico clínico pode ser considerado, na impossibilidade de se comprovar a doença por meio de exames laboratoriais. Nesses casos, deve ser associado aos sinais e sintomas e ao resultado de outros exames complementares, como imagem e histológicos.



A Tuberculose tem cura e o tratamento é gratuito e disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), mas para êxito no tratamento, é importante que o paciente tome os medicamentos de forma regular (todos os dias) e no tempo previsto (mínimo de 06 meses).

Por isso, é importante sensibilizar a comunidade a respeito da doença, já que o desconhecimento é um dos principais desafios para o seu controle. O abandono do tratamento é uma situação grave e pode levar o doente à morte; além de manter a transmissão da doença e ocasionar o aparecimento de bactérias mais resistentes.

O Programa Estadual de Controle da Tuberculose (PECT) de Minas Gerais está inserido na Superintendência de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Através do PECT, são realizadas diversas ações de Gestão do Programa e Vigilância Epidemiológica, que constam principalmente de:

  • Estabelecimento de Plano de Ação Regional Anual, baseado no Planejamento Estratégico do PECT e no Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública, que visa apoiar as Regionais de Saúde e seus municípios de abrangência, para o desenvolvimento das atividades essenciais ao cumprimento das diretrizes do Ministério da Saúde e da SES-MG. O monitoramento deste plano é realizado através de videoconferências bimensais com todas as regionais de saúde;
  • Capacitações e orientações técnicas. Visitas de monitoramento e avaliação às regionais de saúde e municípios com maior número de casos de tuberculose;
  • Desenvolvimento de articulações inter e intrasetoriais, para estabelecer parcerias e pactuações para o atendimento adequado às populações mais vulneráveis (moradores de rua, privados de liberdade, DST/Aids, indígenas e trabalhador da saúde);
  • Atividades direcionadas à Gestão de Casos de Tuberculose dos pacientes com esquemas de tratamento especiais ou qualquer tipo de resistência às drogas;
  • Ações de Vigilância Epidemiológica através dos bancos de dados do SINAN-TB e SITETB , que constam de softwares do Ministério da Saúde para monitoramento e vigilância de todos os casos de TB no estado;
  • Ações de Advocacy, Comunicação e Mobilização Social, com participação ativa no Comitê Mineiro para o Controle Social da TB, para sensibilização da população quanto às ações de prevenção da TB e promoção à saúde;
  • Ações conjuntas junto ao LACEN/FUNED buscando a garantia do fornecimento dos exames essenciais para o diagnóstico precoce da TB;
  • Ações de estímulo à detecção precoce da doença pela Atenção Primária à Saúde, através do acompanhamento mensal dos sintomáticos respiratórios (SR) e monitoramento dos dados conforme pactuação no Programa de Monitoramento das Ações de Vigilância em Saúde/SES-MG;
  • Realização de reuniões mensais com os profissionais dos municípios que compõem a Rede Técnica Metropolitana de BH para o controle da TB, com atividades pautadas em demandas relacionadas à melhoria da gestão do Programa de TB no estado de Minas Gerais.

A Tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, que afeta os pulmões, embora possa acometer outras partes do organismo. A doença tem cura e o tratamento é realizado pelo SUS. Mas, o desconhecimento é um dos principais desafios para o seu controle. Por isso, é muito importante sensibilizar a comunidade a respeito da doença. Tire suas dúvidas:

O que é tuberculose?

É uma doença causada por uma bactéria, transmitida pelo ar de pessoa para pessoa, quando um doente fala, tosse ou espirra. Atinge principalmente os pulmões, mas pode afetar também outros orgãos.

Quais são os principais sintomas da tuberculose pulmonar?

Tosse persistente, com ou sem catarro, por mais de três semanas, podendo ser acompanhada dos seguintes sintomas:

- febre, geralmente no final do dia;

- suor noturno;

- emagrecimento;

- falta de apetite;

- cansaço;

- dor no peito.


Como é feito o tratamento?

O tratamento é gratuito e deve ser feito por um período mínimo de 06 meses, sendo que os medicamentos devem ser tomados todos os dias e mesmo com a melhora dos sintomas o tratamento não pode ser interrompido.

O comparecimento as consultas mensais no posto de saúde e a realização dos exames de escarro e do teste hiv são fundamentais para o sucesso do tratamento, por isso é importante que um profissional de saúde acompanhe a tomada da medicação pelo paciente (tratamento diretamente observado).

A tuberculose tem cura se o tratamento for realizado até o final.

Como orientar os contatos?

Pessoas que convivem com um doente com tuberculose, na residência ou no trabalho, devem procurar um posto de saúde para avaliação.

Como prevenir a tuberculose?

A vacina bcg protege a criança contra as formas graves da doença. Além disso, manter os ambientes com luz solar e ventilação ajudam na prevenção da doença.

Importante: a melhor forma de evitar a transmissão da doença é fazer o tratamento de forma regular. Após 15 dias de uso dos medicamentos, a maioria dos pacientes com tuberculose não transmitem mais a doença.