VIDA SAUDÁVEL

As Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, mais conhecidas como PICS, são recursos terapêuticos e, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), fazem parte da Medicina Tradicional e Complementar. As PICS contribuem com a visão ampliada do processo saúde/doença e da promoção do cuidado humano, especialmente do autocuidado. O indivíduo é visto como um todo, considerando-o em seus vários aspectos: físico, psíquico, emocional e social.

Utilizando de técnicas milenares, saberes populares, movimentos e das artes/música as PICS proporcionam sensação de bem-estar, relaxamento, alívio de stress, atuando na prevenção de doenças e complicações, na redução de sintomas físicos e mentais, e na recuperação e promoção da saúde.

O uso das PICS tem crescido de forma global, mesmo em países desenvolvidos, onde a medicina convencional tem se estabelecido nos sistemas de saúde, como os Estados Unidos e muitos países europeus. Os dois sistemas de cuidado, a Medicina Tradicional e Complementar e a medicina ocidental, não precisam se confrontar. Esses sistemas podem se completar em uma harmonia benéfica, usando os melhores recursos que cada um oferece.

Os indivíduos escolhem as PICS por várias razões, uma maior conscientização das opções de cuidado disponíveis, o interesse no “cuidado integral da pessoa”, tratamento de doenças, especialmente doenças crônicas, a qualidade de vida e manutenção da saúde.

» Clique aqui e veja no Blog da Saúde MG todas as matérias publicadas sobre PICs.


Conheça mais sobre cada uma delas, clicando aqui.

O cuidado das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) é transversal a toda a Rede de Atenção à Saúde, ou seja, pode ser ofertado em seus diversos serviços no SUS: Unidade de Atenção Primária à Saúde; Pólos da Academia da Saúde; Programa de Cessação ao Tabagismo; Equipes de Consultório na Rua; Saúde Prisional, as Equipes de Saúde Ribeirinhas e Fluviais; Centros/Serviços de Referência em PICS; Centros de Atenção Psicossocial (CAPS e suas modalidades); Centros Especializados em reabilitação (diversas modalidades); Serviços de urgência; Serviços de dor; Maternidades ou centros de parto; Serviços de referência em doenças crônicas; Serviços de atenção domiciliares; Hospitais Gerais, entre outros. Para saber quais as Práticas Integrativas em Saúde disponíveis na sua cidade, procure a Unidade de Atenção Primária em Saúde.

Maio é considerado o mês das PICS, devido ao marco da publicação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares pelo Ministério da Saúde. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais promove, em celebração da data, a Campanha Maio com as PICS.

Baseados nos Informes de Evidência Clínica em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, publicados pelo Ministério da Saúde, que tratam sobre diversos temas como: Hipertensão e fatores de risco para doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes mellitus, insônia, depressão e ansiedade, Saúde do trabalhador, entre outros, temos destacados os benefícios de algumas dessas Práticas Integrativas e Complementares.

Yoga

A Yoga é uma prática corporal e mental de origem oriental utilizada como técnica para controlar corpo e mente, associada à meditação. Evidências indicam que o yoga está proporciona diversos benefícios à saúde para várias idades. Em crianças e adolescentes foi observado melhorias significativas na qualidade de vida, melhoria global e funcionamento físico com redução na pressão arterial, frequência cardíaca e frequência respiratória. Dessa forma integrar a prática do yoga na educação física escolar é uma estratégia viável e potencialmente eficaz para melhorar a saúde, tanto em dimensões psicológicas como de função cognitiva, de crianças e adolescentes com melhorias no humor, tensão e ansiedade, autoestima e memória.

Para adultos, a prática do yoga é uma intervenção segura e eficaz para reduzir o índice de massa corporal em indivíduos com sobrepeso ou obesos e também possui efeitos positivos na melhoria da insônia e nos distúrbios do sono. Ao fazer o recorte para a população idosa, foi observado a melhora aspectos do condicionamento físico, como força, equilíbrio e flexibilidade, bem como bem-estar mental. Ainda sobre a eficácia da prática do Yoga evidenciaram efeitos positivos no manejo da depressão, melhora na qualidade de vida e redução do estresse.

Tai Chi Chuan

O Tai Chi Chuan é prática corporal coletiva de origem oriental que consiste em posturas de equilíbrio corporal e na realização de movimentos lentos e contínuos que trabalham, simultaneamente, os aspectos físico e energético do corpo. As Práticas Corporais da Medicina Tradicional Chinesa, como o Tai Chi Chuan, estão associados na prevenção dos principais fatores de risco para doenças crônicas com redução no peso corporal, diminuição da pressão arterial, triglicerídeos e colesterol total de seus praticantes.

São observados os benefícios à saúde para os idosos, como melhor saúde física e mental, bem-estar, flexibilidade e mobilidade e se configura benéfico para a saúde óssea por melhora a capacidade de controle do equilíbrio, o que apoia na prevenção de quedas. A função cognitiva e a função motora de idosos também são aprimoradas com a prática de Tai Chi Chuan, de forma até a prevenir o atraso da degeneração cognitiva e motora. Exercido regularmente aumenta significativamente o bem-estar psicológico, incluindo redução do estresse e depressão e atua na promoção da qualidade do sono. Melhora o consumo de oxigênio, função pulmonar e funções cardiopulmonares e cardiovasculares, e pode ser recomendado como uma modalidade complementar e eficaz de treinamento em programas de reabilitação pulmonar.

Meditação

Prática mental que consiste em treinar a focalização da atenção de modo não analítico ou discriminativo, a diminuição do pensamento repetitivo e a reorientação cognitiva, promovendo alterações favoráveis no humor e melhora no desempenho cognitivo, além de proporcionar maior integração entre mente, corpo e mundo exterior. A meditação é uma prática que tem sido crescentemente indicada com objetivo de reduzir o estresse e ansiedade, bem como para melhoria da qualidade de vida. Evidências analisadas referente a esta prática apresentaram melhora significativa no alívio dos sintomas depressivos, melhora na qualidade do sono, bem-estar e relaxamento.

Adicionalmente, a prática possui diversos efeitos benéficos para saúde do trabalhador. Resultados sugerem uma melhora na atenção plena são eficazes na redução significativa da ansiedade e depressão, incluindo melhorias no bem-estar dos indivíduos (por exemplo, estado interno de calma, consciência e entusiasmo) e melhor desempenho no trabalho, podendo ser usado em programas de promoção da saúde no local de trabalho. No geral, a prática da meditação leva à diminuição de marcadores fisiológicos de estresse em várias populações e demonstrou eficácia em muitas condições físicas e psiquiátricas como redução significativa da pressão sanguínea, eficácia na redução do abuso de álcool e outras drogas e melhora nas funções fisiológicas e cognitivas.

Acupuntura

Tecnologia de intervenção em saúde que faz parte dos recursos terapêuticos da medicina tradicional chinesa (MTC) e estimula pontos espalhados por todo o corpo, ao longo dos meridianos, por meio da inserção de finas agulhas metálicas. Umas das Práticas da Medicina Chinesa mais conhecidas, pesquisas mostraram resultados importantes da prática complementar nos cuidados dos transtornos psíquicos. A acupuntura se mostrou eficaz, mesmo comparado a alguns medicamentos, para o tratamento de insônia. Também apresenta benefício clínico nos sintomas do transtorno de estresse pós-traumático e no tratamento dos sintomas depressivos. Achados positivos são relatados no uso da acupuntura no tratamento de transtorno de ansiedade generalizada ou neurose de ansiedade, e vem sendo recomendada para o manejo da dor.

A acupuntura apresenta resultados positivos no controle sobre glicemia de jejum, podendo melhorar o controle glicêmico e apoia na redução de peso e gordura corporal quando associada à práticas de alimentação saudável.

Auriculoterapia

A Auriculoterapia é uma técnica terapêutica que promove a regulação psíquico-orgânica do indivíduo por meio de estímulos nos pontos energéticos localizados na orelha – onde todo o organismo se encontra representado como um microssistema. As indicações clínicas, com base nos resultados, mostram que a auriculoterapia é eficaz para esta condição o controle e redução da ansiedade e do estresse. Estudos sugerem possíveis efeitos positivos no tratamento da insônia, principalmente quando comparados com placebos, atuando na melhora na qualidade do sono, também tem bons resultados quando associada aos tratamentos convencionais a dor crônica e/ou aguda.

O uso da auriculoterapia quando combinada com a modificação do estilo de vida apresentou resultados na redução do peso corporal e do IMC, redução na gordura corporal, da circunferência da cintura-quadril, melhora na gravidade da obesidade e na remissão da obesidade.

Shantala

Prática terapêutica que consiste na manipulação (massagem) do corpo do bebê pelos pais, favorecendo o vínculo entre estes e proporcionando uma série de benefícios em virtude do alongamento dos membros e da ativação da circulação. A prática indiana é um tipo de massagem terapêutica, que apresenta resultados positivos para a melhora da qualidade do sono em crianças, e também em adultos que aplicam a técnica, uma vez acabam experimentando os benefícios da estimulação nas mãos ao massagearem. A Shantala é um recurso terapêutico aplicável, não invasiva, que pode ser integrada com segurança para auxiliar na redução da depressão e gerenciamento de condições psicológicas na infância, por proporcionar relaxamento, bem-estar, possui efeitos positivos em várias condições pediátricas.

A shantala possui evidências que reforçam positivamente sua atuação na redução de problemas comportamentais em crianças, em especial, a ansiedade. Outros efeitos positivos foram evidenciados como associação da prática no crescimento de bebês prematuros e em problemas psicológicos com aumento da atividade vagal e diminuição dos hormônios do estresse, e foi observada redução significativa na ansiedade dos pais.

A SES-MG por meio da Coordenação de Práticas Integrativas e Complementares em parceria com equipes municipais, elaborou o #FiqueEmCasaComPICS. Essa campanha sugere conhecer e experimentar uma série de práticas culturais e naturais, que têm alto potencial de proporcionar relaxamento, boas sensações e bem-estar geral: as Práticas Integrativas e Complementares – PICS, e o melhor: para fazer em casa.

São vídeos e podcasts (áudios) que trazem orientações simples para que todos possam fazer, no conforto dos seus lares, as mais variadas práticas que podem mudar a relação com a sua saúde, com o seu corpo e com o mundo.

Vídeos

Áudios de Meditação Guiada

No Brasil, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) nasceu das demandas sociais para contemplar diretrizes e responsabilidades institucionais para oferta de serviços e produtos de homeopatia, medicina tradicional chinesa/acupuntura, plantas medicinais e fitoterapia, medicina antroposófica e termalismo social/crenoterapia.

Em 2006, foi estabelecida noSistema Único de Saúde (SUS), através da Portaria n° 971, de 03 de Maio de 2006. Em 2017, PNPIC foi ampliada em 14 novas PICS a partir da publicação das Portaria nº 849, de 27 de Março do 2017. Já em 2018, com a Portaria nº 702, de 21 de Março de 2018, mais 10 recursos terapêuticos integraram o rol de PICS do Ministério da Saúde.

Após a criação da PNPIC, o Estado de Minas Gerais percebeu a necessidade de criar uma política estadual que orienta as diretrizes de acordo com a realidade do estado e de seus municípios. Assim criou se a Política Estadual de Práticas Integrativas e Complementares de Minas Gerais (PEPIC MG), Resolução SES MG nº 1885 de 27 de maio de 2009. Em 2014, a Resolução SES MG nº 4.597 de 09 de Dezembro de 2014, incluiu à PEPIC MG as PICS Shantala, Yoga, Terapias Comunitárias e Dança Circular. A Coordenação das PICS, responsável técnica pelas ações da PEPIC no estado de Minas Gerais, está no Diretoria de Política da Atenção Primária à Saúde na SES MG.