banners site-06

O HPV é uma infecção sexualmente transmissível (IST's) causada pelo Papilomavírus humano (HPV). Trata-se de um vírus que atinge a pele e as mucosas, podendo causar verrugas ou lesões percursoras de câncer, como o câncer de colo de útero, garganta ou ânus. O nome HPV é uma sigla em inglês para "Papiloma Vírus Humano" e cada tipo de HPV pode causar verrugas em diferentes partes do corpo.

Atualmente, existem mais de 200 tipos de HPV - alguns deles podendo causar câncer, principalmente no colo do útero e do ânus. A doença é conhecida como condiloma acuminado ou, popularmente, como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista.

A infecção pelo HPV normalmente causa verrugas de tamanhos variáveis. No homem, é mais comum na cabeça do pênis (glande) e na região do ânus. Na mulher, os sintomas mais comuns surgem na vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. As lesões também podem aparecer na boca e na garganta. Tanto o homem quanto a mulher podem estar infectados pelo vírus sem apresentar sintomas.

A principal forma de transmissão desse vírus é pela via sexual. Para ocorrer o contágio, a pessoa infectada não precisa apresentar sintomas. Mas, quando a verruga é visível, o risco de transmissão é muito maior. O uso da camisinha durante a relação sexual geralmente impede a transmissão do vírus, que também pode ser transmitido para o bebê durante o parto.

» Confira a cobertura vacinal contra HPV em meninas e meninos.

O Brasil, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), disponibiliza a vacina contra o vírus HPV a meninas de 9 a 14 anos; meninos com idade entre 11 e 15 anos incompletos; homens e mulheres transplantados; pacientes oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia, de 09 a 26 anos, além de crianças e jovens de ambos os sexos, de 9 a 26 anos, vivendo com HIV/Aids. Em caráter excepcional, o Ministério da Saúde estabeleceu a ampliação temporária para a vacina a homens e mulheres entre 15 e 26 anos, em função dos estoques disponíveis nos serviços de vacinação.

O objetivo da vacinação da população masculina é prevenir os cânceres de pênis, as lesões ano-genitais pré-cancerosas e as verrugas genitais. Além disso, por serem os responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras, ao receberem a vacina, os homens colaborarão com a redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres, prevenindo também casos de cânceres, boca, orofaringe, bem como verrugas genitais em ambos os sexos. As vacinas contra o HPV já estão disponíveis nos postos de saúde e devem ser administradas em duas doses, com intervalo de 6 meses, tanto para meninos, como para as meninas.

Pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde indica que 54,6% dos brasileiros entre 16 e 25 anos têm prevalência de HPV, sendo que 38,4% são de tipos de alto risco para desenvolvimento de câncer. O estudo, que é preliminar, foi feito com 5.812 mulheres e 1.774 homens, que foram entrevistados e fizeram exames em 26 capitais em no Distrito Federal.

Em junho, o governo federal anunciou a ampliação do público para vacinação contra a doença, que são adolescentes de 11 a 15 anos, que podem receber uma dose. A infecção por HPV é associada a vários tipos de câncer, principalmente ao de colo de útero, mas também de pênis, vulva, reto e orofaringe.

O estudo indica ainda que 16,1% dos jovens tem uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST's) prévia ou apresentaram resultado positivo no teste rápido para HIV ou sífilis. Os dados finais deste projeto serão disponibilizados no relatório a ser apresentado ao Ministério da Saúde em abril de 2018. A pesquisa POP-Brasil foi realizada em 119 Unidades Básicas de Saúde e um Centro de Testagem e Aconselhamento com a colaboração de mais de 250 profissionais de saúde.