Notícias https://www.saude.mg.gov.br:443 Tue, 27 Oct 2020 16:13:20 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Minas Gerais registra queda em número de surtos do novo coronavírus https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13768-minas-gerais-registra-queda-em-numero-de-surtos-do-novo-coronavirus https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13768-minas-gerais-registra-queda-em-numero-de-surtos-do-novo-coronavirus

Entre os diversos fatores que apontam para uma redução progressiva da infecção pelo novo coronavírus em Minas Gerais, a queda no número de surtos chama atenção das autoridades e reforça para um cenário de controle da covid-19 em Minas. Depois de já ter registrado 96 surtos causados pelo vírus no estado em uma única semana de julho, Minas, progressivamente, registra queda nesse tipo de notificação, chegando a 3 registros de surtos na última semana epidemiológica.

Pixabay

Essa diferença, de acordo com o secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Carlos Eduardo Amaral, mostra a tendência de redução da epidemia em Minas. “Os surtos demonstram ampliação no número de casos e um alastramento da epidemia. Com essa queda, isso significa que estamos tendo um controle progressivo da doença”, diz.

Desde o início da pandemia, em março, Minas registrou 1.057 surtos, envolvendo 18.095 casos. “Pode-se definir surto como 1 caso confirmado, seguido de mais 2 casos confirmados (assintomático ou sintomático) com vínculo epidemiológico em um ambiente restrito”, esclarece a coordenadora da Sala de Situação da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES-MG, Eva Lídia Medeiros.

Em julho, na semana epidemiológica 29, o houve no Estado o pico dessas notificações, quando foram registrados 96 surtos de coronavírus. A alta correspondeu, de acordo com Eva, ao aumento de casos de infecção pela covid-19 registrados no estado naquele período. Depois disso, aos poucos, houve uma redução nas notificações de surto e, no final de setembro e no início de outubro, os casos reduziram de forma significativa, chegando na última semana a 3 surtos registrados.

Mobilização

Essa redução, de acordo com Eva, é fruto das ações estaduais de prevenção e de enfrentamento ao novo coronavírus. “Quando começaram os registros de surtos, houve uma mobilização do Estado com adoção de medidas eficazes parar frear essas contaminações, por meio de treinamento das equipes ou até mesmo apoio em alguns locais de surto. Inclusive, para essas ações contamos com a integração de outras secretarias, prefeituras e do Ministério Público ”, comenta Eva.

Segundo ela, os lugares de maior atenção para esse tipo de notificação são os serviços de saúde, as unidades prisionais e socioeducativas e instituições de longa permanência (ILPI). A redução dos surtos não é o único fator que corrobora a tendência de queda da transmissão da covid-19 em Minas. A taxa de transmissão (RT) está abaixo de 1 nos últimos sete dias, a ocupação de leitos está abaixo de 60% e o número de óbitos registrados no estado também está queda.

]]>
Banco de notícias Fri, 23 Oct 2020 14:58:54 +0000
Cuida de Minas https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13767-cuida-de-minas https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13767-cuida-de-minas

Frente à pandemia provocada pelo novo Coronavírus, várias medidas de prevenção, enfrentamento e contingenciamento foram tomadas pelo estado de Minas Gerais. Desde março, procedimentos eletivos como cirurgias e consultas, por exemplo, foram suspensos como forma de prevenir uma possível sobrecarga na rede pública de saúde. Também tiveram seus atendimentos presenciais suspensos parcialmente ou totalmente, serviços ambulatoriais com a assistência voltada para pessoas que necessitam de reabilitação, hipertensos, diabéticos, odontológicos, entre outros.

Em sintonia com os sinais de estabilização da pandemia em Minas, a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) busca agora a retomada dos serviços ambulatoriais e hospitalares eletivos de forma responsável e organizada, mediante a ação estratégica Cuida de Minas.

O Cuida de Minas busca garantir a integralidade e continuidade do cuidado aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) com  condições  crônicas e com outras condições de saúde que  precisamser assistidos mesmo em tempo de pandemia. Essa ação foi organizada em cinco eixos para discussão e elaboração de diretrizes que subsidiem o retorno gradual dos serviços de saúde.

“A ação estratégica Cuida de Minas foi pensado para planejar a retomada dos serviços de assistência à saúde de forma gradual e segura, respeitando as medidas sanitárias determinada no programa Minas Consciente. Estamos discutindo a nova organização dos serviços de saúde neste cenário de pandemia e de pós-pandemia”, explica Mônica Farina, Diretora de Ações Temáticas e Estratégicas da SES-MG e uma das coordenadoras da ação.

NOVOS CENÁRIOS

O Cuida de Minas analisa, discute e propõe as estratégias de retorno dos serviços de saúde nos seguintes eixos: gestão, estratificação de risco e atendimentos inadiáveis, biossegurança, transporte sanitário e telessaúde. Para isso, foram formados grupos técnicos intersetoriais da SES-MG, além disso, a ação envolve também colaboradores externos como conselhos de classes, sociedades médicas, universidades, associações e serviços especializados.

No eixo telessaúde, foram elaboradas diretrizes que qualifiquem a assistência remota no período da pandemia e pós-pandemia. Além disso, se discute diretrizes para a implantação de Programa de Telessaúde no SUS-MG. No eixo transporte sanitário, foram formuladas orientações para os gestores de saúde sobre as novas configurações do transporte sanitário eletivo diante da retomada gradual dos serviços e as recomendações de biossegurança. No eixo da gestão são discutidas questões como as necessidades de reorganização de fluxos assistenciais e investimentos para qualificação das Redes de Atenção à Saúde, entre outras demandas. No eixo Biossegurança foram elaboradas recomendações seguindo as normas de biossegurança considerando os diferentes espaços percorridos pelos usuários e profissionais de saúde. No eixo estratificação de risco/atendimentos inadiáveis foram definidos critérios de elegibilidade para definição da modalidade de atendimento (presencial ou remoto) considerando a condição de saúde do paciente, bem como seu contexto biopsicossocial.

Ao final da ação, serão elaborados Guias, Manuais Instrutivos e outros documentos para orientar a organização assistencial nos serviços de saúde e assegurar o cuidado. Nesses materiais irão conter informações que subsidiem gestores e profissionais de saúde no planejamento e na estruturação da retomada gradual dos atendimentos com recomendações de competências e fluxos entre os pontos de atenção da rede de saúde do SUS-MG, bem como outras informações.

“Os guias vão auxiliar as tomadas de decisões dos profissionais de saúde no que diz respeito a quais pacientes necessitam retomar ou manter seus atendimentos presenciais, considerando seu quadro de saúde e as recomendações de isolamento social no período de calamidade de saúde pública e auxiliar os profissionais de saúde nos atendimentos remotos nas questões dos aspectos éticos e legais, como também nas boas práticas”, explica Mônica Farina.

GUIA DE BIOSSEGURANÇA

No eixo biossegurança, a estratégia Cuida de Minas lançou hoje, 23/10/2020, o Guia De Biossegurança para Retomada dos Serviços Ambulatoriais em Tempos da Pandemia por Covid-19. Conheça o Guia na íntegra clicando aqui.

O Guia Orientador segue as recomendações estabelecidas pelos órgãos oficiais de saúde, com o objetivo de trazer informações quanto às medidas de biossegurança voltadas para a proteção dos trabalhadores e dos pacientes. São abordadas as novas maneiras de realizar triagem de pacientes, marcação de consultas, organização da sala de espera e de atendimentos. Isto sempre com orientações sobre o uso de máscara, o afastamento social e a ventilação dos espaços.

 

GUIAS PARA DOWNLOAD

GUIA DE BIOSSEGURANÇA PARA RETOMADA DOS SERVIÇOS AMBULATORIAIS EM TEMPOS DA PANDEMIA POR COVID-19

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA A RETOMADA DOS ATENDIMENTOS PRESENCIAIS E DIRETRIZES PARA OS ATENDIMENTOS REMOTOS NOS SERVIÇOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES ELETIVOS, VINCULADOS ÀS REDES TEMÁTICAS NO SUS-MG

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DO TRANSPORTE SANITÁRIO ELETIVO, NA RETOMADA DOS SERVIÇOES ELETIVOS, SEGUNDO AS RECOMENDAÇÕES DE BIOSSEGURANÇA NO CONTEXTO DA PANDEMIA COVID-19

MANUAL INSTRUTIVO PARA ATENÇÃO À DEFORMIDADE CRÂNIO FACIAL-FISSURAS LABIOPLATINAS

 

 
]]>
Banco de notícias Fri, 23 Oct 2020 14:19:07 +0000
SES-MG lança campanha com foco em alimentação saudável https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13739-ses-mg-lanca-campanha-com-foco-em-alimentacao-saudavel https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13739-ses-mg-lanca-campanha-com-foco-em-alimentacao-saudavel

Com o slogan Comer Bem é um Prato Cheio para a Sua Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lança, nesta sexta-feira (16/10), campanha em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação.

Celebrada todo 16 de outubro, a data busca conscientizar a população quanto à importância de se fazer escolhas alimentares mais saudáveis. Em Minas Gerais, espera-se por meio da campanha da SES-MG, incentivar os mineiros a refletirem sobre o ato de preparar seu próprio alimento e a retomar, adquirir e desenvolver habilidades culinárias, partilhando com as pessoas com quem convivem, principalmente com crianças e jovens, sem distinção de gênero.

Variedade e equilíbrio

De acordo com a referência técnica de Promoção à Saúde da SES-MG, Nathalia Beltrão, nutricionista, uma alimentação saudável e equilibrada é capaz de fornecer a quantidade adequada de nutrientes, como vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes, que influenciam positivamente na saúde e no bem-estar do indivíduo.

“Esse equilíbrio alimentar ajuda a garantir o funcionamento adequado do sistema imunológico, além de prevenir deficiências de micronutrientes e a ocorrência de obesidade e doenças crônicas, como diabetes, doenças do coração e câncer”, explica.

Dessa forma, é importante consumir alimentos diversificados, como grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes, sem esquecer as variedades que existem dentro de cada tipo.

Para garantir bons preços na compra dos alimentos, a orientação é optar pelos que possuem produção local e da estação. “Durante o período de safra, a produção é máxima e, normalmente esses alimentos apresentam menor preço, além de maior qualidade e mais sabor”, destaca Nathália Beltrão.

Alimentos típicos

Pensando na culinária mineira, a referência técnica da SES destaca a variedade de frutas, legumes e verduras típicas do estado.

“É sempre bom lembrar que a mistura de arroz e feijão, presente à mesa da maioria dos mineiros, é uma combinação perfeita. Quando está associada a legumes e verduras, raízes e tubérculos, carnes (de preferência cortes magros) ou ovos, o resultado é uma refeição ideal. Podemos citar, ainda, quiabo (usado no famoso frango com quiabo), abóbora, couve (presente em preparações como bambá de couve), orapronóbis, mandioca, jiló”, detalha.

As frutas, como abacate, acerola, banana, caqui, goiaba, jabuticaba, jaca, laranja, limão, manga, mexerica, pequi, pitanga, tamarindo, podem ser consumidas como parte de pequenos lanches ou em refeições principais, em saladas ou sobremesas, por exemplo.

Cozinhar faz bem

De acordo com Nathália Beltrão, “pesquisas demonstraram que habilidades culinárias estão relacionadas positivamente a maior frequência de consumo de alimentos saudáveis, como legumes e verduras”.

Por isso a referência técnica da SES-MG destaca a importância de planejar as compras, organizar a despensa e definir com antecedência o cardápio da semana, como forma de driblar a falta de tempo para se manter uma alimentação equilibrada.

“Com a prática das habilidades culinárias, possivelmente o tempo de preparo dos alimentos será reduzido. É importante, ainda, partilhar entre todos os moradores da casa, independente do gênero, a responsabilidade por todas as atividades domésticas relacionadas à aquisição de alimentos e ao preparo e consumo de refeições, limpeza dos utensílios e da cozinha, para que ninguém fique sobrecarregado”, orienta.

E, para envolver as crianças no processo de adquirir e desenvolver hábitos alimentares saudáveis, uma estratégia indicada é incluí-las no planejamento, na compra e no preparo das refeições, de preferência em ambiente limpo e tranquilo, sem aparelhos eletrônicos. “Esse momento é uma ótima oportunidade para que os pequenos adquiram bons hábitos e para que valorizem a importância de refeições regulares, feitas em ambientes apropriados”, pontua Nathália Beltrão.

Sobre a Campanha

Segundo a assessora chefe de Comunicação da SES-MG, Virgínia Silva, a expectativa é de que por meio das informações divulgadas ao longo da campanha, os mineiros e mineiras sintam-se convidados a refletir sobre os benefícios de uma alimentação mais natural e nutritiva.

"A partir dessa reflexão, esperamos que a população adquira ou resgate o gosto por cozinhar, redescobrindo alimentos e sabores, e partilhando esse processo com as pessoas do convívio. As memórias afetivas desses momentos têm um sabor muito especial e perpetuam por gerações”, destaca.

A campanha Comer Bem é um Prato Cheio para a Sua Saúde será divulgada nas redes sociais oficiais da SES-MG e as peças gráficas para download estão disponíveis em https://www.saude.mg.gov.br/alimentacaoadequada

]]>
Banco de notícias Fri, 16 Oct 2020 15:21:12 +0000
Exames de rastreio ajudam a prevenir o câncer de mama https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13717-exames-de-rastreio-ajudam-a-prevenir-o-cancer-de-mama https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13717-exames-de-rastreio-ajudam-a-prevenir-o-cancer-de-mama

A ampliação da cobertura do exame de mamografia é uma das metas da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Segundo a Organização Mundial de Saúde, o exame preventivo de câncer de mama pode reduzir em até 40% as mortes entre o público feminino por conta da doença. Em Minas Gerais, estima-se que em 2020 serão registrados cerca de 8.250 novos casos de câncer de mama e 1.270 de câncer de colo do útero. O câncer de mama é a modalidade da doença que mais mata entre as mulheres, por isso há mais de 20 anos a campanha mundial Outubro Rosa alerta para a necessidade da prevenção.

WhatsApp Image 2020-10-10 at 12.18.25

Os 27 Centros Estaduais de Atenção Especializada (CEAE) distribuídos pelo estado são parte da estratégia da SES-MG para ampliar a cobertura do exame de mamografia. Beneficia 49 microrregiões de saúde e cerca de 7.8 milhões de pessoas. Os CEAEs oferecem serviços ambulatoriais especializados com ênfase na propedêutica do câncer de colo de útero e mama. Possuem abrangência microrregional e devem atuar de maneira integrada à Atenção Primária e a Atenção Terciária, seguindo as diretrizes assistenciais e protocolos definidos pela SES-MG.

“Nosso primeiro desafio é reduzir a mortalidade por câncer de mama e do colo do útero a partir da ampliação do número de exames de rastreio”, afirma a ginecologista e obstetra Regina de Aguiar, consultora técnica da Coordenação Materno Infantil da SES –MG. Em Minas Gerais há 368 mamógrafos credenciados pelo SUS. A cobertura ideal é de 70% da população alvo: mulheres da faixa de 50 a 69 anos.

Para aquelas que têm o diagnóstico firmado, o grande desafio é o tratamento em tempo hábil, incluindo a reconstrução da mama no momento da cirurgia de sua retirada, e o acompanhamento dessas pacientes para preservar sua qualidade de vida independentemente da idade, incluindo vida sexual e reprodutiva. “É necessário conscientizar o público-alvo sobre a relevância das ações de prevenção, que devem se iniciar ainda na adolescência; e da realização dos exames de rastreio”, frisa Regina.

A prevenção do câncer engloba ações para reduzir os riscos de ter a doença e inclui evitar a exposição aos fatores de risco bem como a adoção de um modo de vida saudável, além de exames de rastreamento conforme preconizado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), do Ministério da Saúde.

“O diagnóstico precoce aumenta a possibilidade de redução da mortalidade. Ressalta-se que o diagnóstico tardio contribui para o aumento de internações e intervenções, impactando na qualidade de vida da paciente e do seu contexto familiar/social” pondera a diretora de Ações Especializadas da Subsecretaria de Políticas e Ações de Saúde da SES-MG, Cristiane Barbosa Marques.

Para o rastreamento do câncer de mama, as mulheres assintomáticas de 50 a 69 anos devem realizar a mamografia bilateral bienalmente. O exame também é indicado para mulheres assintomáticas a partir de 35 anos caso de pertencerem ao grupo de risco: histórico familiar ou pessoal de câncer de mama (pacientes já tratadas).

Em Minas Gerais são 38 hospitais habilitados na alta complexidade em oncologia no SUS (UNACON/CACON) que ofertam assistência especializada e integral ao paciente com câncer, atuando no diagnóstico diferencial, estadiamento e tratamento que engloba a quimioterapia, cirurgia oncológica, radioterapia e serviço de apoio diagnóstico e terapêutico.

]]>
Banco de notícias Sat, 10 Oct 2020 12:18:29 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 27/10/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13776-informe-epidemiologico-coronavirus-27-10-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13776-informe-epidemiologico-coronavirus-27-10-2020

 Até o momento foram 351.033 casos confirmados*. Estão em acompanhamento*22.059 casos e são 320.185 casos recuperados**. Estão confirmados 8.789 óbitos.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 27/10/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o Informe na íntegra, clique aqui.

 

]]>
Banco de notícias Tue, 27 Oct 2020 10:03:39 +0000
Regional de Saúde de Leopoldina discute sobre o combate à tuberculose junto a municípios da região https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13775-regional-de-saude-de-leopoldina-discute-sobre-o-combate-a-tuberculose-junto-a-municipios-da-regiao https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13775-regional-de-saude-de-leopoldina-discute-sobre-o-combate-a-tuberculose-junto-a-municipios-da-regiao

A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Leopoldina promoveu, no dia 22/10, um encontro por videoconferência, entre a equipe que atua no Programa de Controle da Tuberculose e os responsáveis pela ação nos municípios da área de abrangência da regional. Durante a reunião foram abordados os pilares que norteiam o Plano de Ação Regional para o Enfrentamento da Tuberculose: a prevenção, o cuidado integrado, as políticas arrojadas e o sistema de apoio.

Crédito: Empresa Brasileira de Comunicação

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis. A forma pulmonar da doença é a mais frequente e a responsável pela manutenção da transmissão que ocorre de pessoa para pessoa pela via respiratória (quando um indivíduo acometido pela doença elimina bactérias pela tosse, espirro ou fala e essas são inaladas por um indivíduo saudável). Quanto maior a intensidade, a frequência da tosse, o tempo de permanência do indivíduo infectado com os seus contatos, quanto menor a ventilação do local, maior a probabilidade de infecção. A tuberculose tem cura e o tratamento é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A referência técnica para o tratamento em tuberculose da Regional de Leopoldina, Maria Célia Riguetto Nunes, destacou o objetivo da reunião. “Conversamos sobre o Programa de Controle da Tuberculose, sobra as ações de vigilância e de controle que integram o plano. Essa reunião permitiu darmos continuidade aos trabalhos de combate à doença, fortalecer o que vem sendo feito e reiniciar o que foi parado dentro do cenário da pandemia, que mobilizou todos os profissionais da saúde nos diferentes níveis de atenção”, pontuou a referência técnica.

A coordenadora de Vigilância em Saúde da GRS de Leopoldina, Marcela Bella Lopes, ressaltou a importância do encontro a das informações compartilhadas. “Foram discutidos pontos importantes que vêm nos preocupando como, por exemplo, a ocorrência de óbitos por tuberculose. Entendemos que esse foi um ano atípico por conta da pandemia, mas temos que retornar com as atividades prioritárias”, destacou a coordenadora.

Sintomas e diagnósticos

O principal sintoma da tuberculose é a tosse, que pode vir acompanhada de febre ao final da tarde, suor noturno e emagrecimento. Recomenda-se que todo indivíduo com tosse de duração de três ou mais semanas seja avaliado para que se descarte ou não a enfermidade. Para isso, deve-se procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima da residência. O diagnóstico é realizado pela avaliação clínica do paciente, por exames bacteriológicos e exames complementares como o raio X de tórax.

Tratamento

É muito importante ressaltar que a tuberculose tem cura e o tratamento é disponibilizado pelo SUS. Para o sucesso do tratamento, é importante que o paciente tome os medicamentos de forma regular, todos os dias, nas doses adequadas, e pelo tempo previsto de no mínimo de seis meses. Com aproximadamente 15 dias de tratamento e continuidade, a transmissão da bactéria do indivíduo doente para outras pessoas é interrompida, evitando novos casos da doença.

O abandono do tratamento é um dos principais desafios para o controle da doença, pois o abandono pode favorecer a transmissão da doença, podendo causar a resistência da bactéria aos medicamentos utilizados no tratamento, o que pode levar à ocorrência de casos graves e, também, ao óbito.

]]>
Banco de notícias Mon, 26 Oct 2020 15:38:07 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 26/10/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13774-informe-epidemiologico-coronavirus-26-10-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13774-informe-epidemiologico-coronavirus-26-10-2020

Até o momento foram 349.512 casos confirmados*. Estão em acompanhamento*22.517 casos e são 318.216 casos recuperados**. Estão confirmados 8.779 óbitos.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 26/10/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o Informe na íntegra, clique aqui.

]]>
Banco de notícias Mon, 26 Oct 2020 11:34:19 +0000
Retorno gradual dos serviços odontológicos prioriza necessidades inadiáveis e critérios de risco https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13773-retorno-gradual-dos-servicos-odontologicos-prioriza-necessidades-inadiaveis-e-criterios-de-risco https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13773-retorno-gradual-dos-servicos-odontologicos-prioriza-necessidades-inadiaveis-e-criterios-de-risco

De forma gradual e segura, os serviços odontológicos em Minas Gerais estão voltando, dando prioridade ao atendimento eletivo (agendado) a pacientes de acordo com critérios de risco, com necessidades inadiáveis e que tiveram atendimento suspenso por conta da covid-19. No entanto, isso não quer dizer que os cuidados com a saúde bucal devem ser negligenciados, tampouco a procura pelos cirurgiões-dentistas deve ser evitada.
Neste domingo (25/10), quando é celebrado o Dia Nacional da Saúde Bucal, a recomendação é manter os cuidados de higiene bucal e, em caso de necessidade inadiável, procurar assistência.
Desde o início da pandemia, quando as consultas odontológicas eletivas foram suspensas, muito foi dito sobre os riscos que envolvem os profissionais, pacientes e os procedimentos odontológicos na disseminação do novo coronavírus. Por isso, os serviços passaram a atender somente os casos de urgência e emergência.
A suspensão dos atendimentos eletivos, segundo alerta a coordenadora de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Fernanda Vilarino Jorge, “pode ter agravado os problemas dentários em muitas pessoas que tiveram atendimento suspenso ou que deixaram de procurar assistência por medo da infecção pelo novo coronavírus”.
Atualmente, com a melhora do cenário epidemiológico da covid-19 no estado e, consequentemente, com a entrada da maioria das macrorregionais na Onda da Verde do plano Minas Consciente, os atendimentos eletivos estão de volta e os usuários com maior risco ou com uma necessidade inadiável serão agendados.
“Os atendimentos odontológicos eletivos ficaram meses suspensos e agora retomarão de forma gradual. Para organizar a demanda acumulada no SUS por causa da pandemia, será priorizado aqueles pacientes com alguma necessidade inadiável ou com algum critério de risco que necessite de intervenção. Mas ninguém deve deixar de buscar assistência em caso de alguma urgência”, comenta Fernanda, destacando que esse retorno está sendo feito considerando os protocolos de biossegurança e medidas de proteção para proteger profissionais e pacientes.


PRIORIDADES
Pacientes que estavam em atendimento antes da pandemia, que apresentam a doença de cárie ou doença periodontal, são prioridade, assim como aqueles com necessidades inadiáveis. E a atenção com os mais suscetíveis às complicações do novo coronavírus continua, conforme decisão em conjunto entre paciente e usuário.
“Pacientes que fazem parte do grupo de risco para a covid-19 devem procurar atendimento só em casos de urgência ou emergência, caso contrário, devem postergar esse atendimento, mas essa decisão deve ser compartilhada entre paciente e usuário ”, avisa Fernanda.
Nas listas dos procedimentos que não podem esperar está, por exemplo, consulta para adaptação de uma prótese, para avaliar alguma dificuldade de se alimentar por conta das condições bucais, estabilização de cárie e doença periodontal. “As pessoas devem procurar entrar em contato remoto com as unidades básicas de saúde de suas cidades. Esse atendimento vai verificar se é necessário, ou não, se o atendimento é de urgência ou com uma necessidade inadiável ou se usuário apresenta risco ”, explica.


CUIDADOS
Os cuidados com a saúde bucal devem ser constantes, principalmente neste momento em que os atendimentos ainda não voltaram completamente. Assim, o uso de máscaras não pode favorecer a negligência com a saúde da boca.
Fernanda reforça que a higiene bucal deve ser feita sempre após as refeições. “Quem usa prótese não deve deixar de fazer a higienização, lembrando que o uso de dentifrício pode desgastá-la e o correto é o uso de escova e sabão neutro. ”
A higiene bucal correta, observando a limpeza dos dentes e da língua, pode evitar o agravo de problemas sistêmicos, previne quadros inflamatórios, infecções pulmonares (como pneumonia por aspiração). “A pneumonia por aspiração tem alta taxa de mortalidade e pode prejudicar a recuperação do paciente. Ela acontece quando os microrganismos se disseminam da cavidade oral para outras regiões do corpo, como o trato respiratório”, avisa Fernanda.
Ela cita ainda outros problemas que a falta de uma higiene correta pode trazer, como perdas dentárias, cáries, infecções periodontais, entre outros. Em gestante, por exemplo, a falta de cuidados pode estar associada ao parto prematuro, baixo peso ao nascer e pré-eclâmpsia. “A prevenção é a melhor forma de se cuidar. Por isso, essas medidas nunca devem ser negligenciadas para prevenir alterações dentárias e gengivais”, conclui.

]]>
Banco de notícias Sun, 25 Oct 2020 11:10:13 +0000
Dia Mundial de Combate à poliomielite é celebrado neste sábado (24) https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13772-dia-mundial-de-combate-a-poliomielite-e-celebrado-neste-sabado-24 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13772-dia-mundial-de-combate-a-poliomielite-e-celebrado-neste-sabado-24

Erradicada no Brasil desde 1990, a poliomielite – também conhecida como paralisia infantil - ainda é um desafio global. Diante disso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) reforça a importância da vacinação e dos cuidados para manter a eliminação da doença no estado e no país. Com a certificação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em 1994, o Brasil foi considerado área livre de circulação do poliovírus Selvagem.
De acordo com a referência técnica em Paralisias Flácidas Agudas e Poliomielite da SES-MG, Fabiana Cristina da Silva, essa certificação é resultado do permanente compromisso de todos em evitar a reintrodução do vírus. “Essa grande conquista simboliza a efetividade das ações de vigilância epidemiológica e vacinação da população. Mas, enquanto houver circulação do vírus Selvagem ou do vírus derivado vacinal em qualquer outro país, associado às baixas coberturas vacinais, há risco de reintrodução da pólio em nosso território. É fundamental manter a homogeneidade das coberturas vacinais no país e também em municípios mineiros”, reforça a referência técnica. Em alguns países, a exemplo do Afeganistão e Paquistão, ainda há a circulação do polivírus, causador da doença.
Segundo Fabiana Silva, a poliomielite é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus (sorotipos 1, 2, 3), podendo infectar crianças e adultos por meio do contato direto com as fezes ou com secreções expelidas pela boca das pessoas infectadas.
“O vírus se multiplica, inicialmente, nos locais por onde ele entra no organismo: boca, garganta e intestinos. Em seguida, cai na corrente sanguínea e pode chegar ao sistema nervoso, causando paralisia muscular irreversível, geralmente, nas pernas. A doença atinge principalmente crianças e não tem cura, apenas prevenção por meio da vacinação”, explica.
Fabiana reforça que, além da vacinação, o estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), faz vigilância epidemiológica ativa e recomenda aos serviços de saúde o monitoramento constante de todos os pacientes que se enquadram como suspeitos de poliomielite. “Nossa orientação é para que os profissionais de saúde notifiquem e investiguem imediatamente todos os menores de 15 anos, que manifestem Paralisia Flácida Aguda (PFA), de inicio súbito, independente da causa. Também está em fase de finalização o Plano Estadual de Resposta a Evento com Detecção de Poliovírus ou Surto de Poliomielite, que orienta a articulação entre os setores de vigilância epidemiológica, imunização e laboratório”, finaliza a referência técnica.

Campanha Nacional de Vacinação
Com o objetivo de manter o país livre da doença, entre os dias 5 e 30 de outubro está sendo realizada a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, que tem como público prioritário as crianças a partir de 12 meses a menores de 5 anos de idade. Segundo a coordenadora do Programa de Imunizações da SES-MG, Josianne Gusmão, a vacinação é a única forma de manter a poliomielite erradicada no país. “A doença é prevenida por meio da vacinação. Por isso é importante manter os altos índices de cobertura vacinal, o que é conseguido com a Vacina Inativa de Poliomielite (VIP), administrada em 3 doses, sendo a 1ª em crianças com 2 meses de idade, a 2ª em crianças com 4 meses e a 3ª dose em crianças com 6 meses. O reforço da vacina é realizado por meio da Vacina Oral Poliomielite (VOP), em 2 doses. A 1ª aos 15 meses e a 2ª dose aos 4 anos”, salientou a coordenadora.
Em Minas, há uma estimativa de 1.034.782 crianças na faixa de idade de 1 ano a menores de 5 anos que fazem parte do público prioritário para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. De acordo com o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), até do dia 23/10, a cobertura da vacina é 42,5%. A meta preconizada pelo Ministério da Saúde nesta campanha é de 95% deste público estimado.
De acordo com Josianne Gusmão, “é essencial que sejam intensificadas as estratégias de vacinação e que se ampliem os esforços para o alcance das metas de coberturas vacinais. E, para minimizar o risco de disseminação da covid-19 durante esse processo, a operacionalização das ações de vacinação e organização do processo de trabalho das equipes de saúde deverão ser realizadas mediante a adoção das medidas de proteção já recomendadas pelo Ministério da Saúde.”

]]>
Banco de notícias Sat, 24 Oct 2020 11:04:02 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 24/10/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13771-informe-epidemiologico-coronavirus-24-10-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13771-informe-epidemiologico-coronavirus-24-10-2020

Até o momento foram 347.006 casos confirmados*. Estão em acompanhamento**22.342 casos e são 315.932 casos recuperados***. Estão confirmados 8.732 óbitos.
*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.
**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.
***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.
Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.
Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 24/10/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.
Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.


Acesse o Informe na íntegra, clique aqui.

]]>
Banco de notícias Sat, 24 Oct 2020 10:33:07 +0000
Servidores da SRS Barbacena participam de testagem para covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13770-servidores-da-srs-barbacena-participam-de-testagem-para-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13770-servidores-da-srs-barbacena-participam-de-testagem-para-covid-19

Os servidores da Superintendência Regional de Saúde de Barbacena (SRS/ Barbacena) participaram da realização do teste rápido (inquérito sorológico), por meio de punção digital, nessa quinta-feira (22/10), na sede da regional para avaliar e detectar a possível prevalência de anticorpos contra o novo Coronavírus, causador da doença covid-19. Os testes foram enviados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Crédito: Priscila Rezende

Segundo a superintendente da regional, Hérica Vieira Santos, o inquérito sorológico é uma iniciativa SES-MG para obter informações sobre a circulação do novo Coronavírus entre os profissionais das Unidades Regionais de Saúde. “Aqui na SRS/ Barbacena, a coordenação de Vigilância em Saúde organizou o processo de trabalho para executarmos o inquérito de forma segura e tranquila. O teste trará benefício coletivo, uma vez que os dados obtidos poderão nortear a gestão local e aprimorar ações de controle da pandemia da covid-19 na regional, além de colaborar para estudos sobre o tema”, explicou a superintendente.

A ação foi voluntária aos profissionais da SRS/ Barbacena; o teste rápido é licenciado pela Anvisa e tem resultado em 15 minutos. Os resultados dessa pesquisa são reportados às autoridades de saúde para que as medidas de controle da pandemia possam ser aprimoradas em Minas Gerais.

]]>
Banco de notícias Fri, 23 Oct 2020 17:06:35 +0000
Regional de Saúde de Alfenas fala sobre saúde bucal durante a gestação https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13769-regional-de-saude-de-alfenas-fala-sobre-saude-bucal-durante-a-gestacao https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13769-regional-de-saude-de-alfenas-fala-sobre-saude-bucal-durante-a-gestacao

O plano de ação de enfrentamento da covid-19, discutido em conjunto com os municípios da Superintendência Regional de Saúde de Alfenas (SRS/ Alfenas), tem como um dos eixos a educação permanente em saúde. Essa estratégia busca a reflexão das práticas do trabalho, faz com que os profissionais repensem suas condutas, busquem a melhora no atendimento e proporciona uma maior interação entre a equipe. Nesse sentido, A Coordenação de Atenção à Saúde (CAS) da SRS/ Alfenas abordou a Atenção à Saúde Bucal da Gestante com os profissionais da atenção primária (cirurgiões-dentistas e enfermeiras), por meio de duas capacitações virtuais, realizadas no início deste mês, nos dias 2 e 9/10.

O enfoque dessa iniciativa foi para alertar os profissionais sobre a importância de se dar atenção a saúde bucal das gestantes e puérperas. “No período da gestação é muito importante que as mulheres tenham cuidados extras com a boca porque problemas dentais podem causar partos prematuros, entre outros agravos”, alertou a professora da Faculdade de Odontologia da UNIFAL/MG, Daniela Silva Barroso de Oliveira.

Crédito: Regional de Saúde de Alfenas

Os municípios da SRS Alfenas se organizaram para elaborar um roteiro de teleorientação/ telemonitoramento de saúde bucal direcionado às gestantes e puérperas, sendo que a orientação é o cirurgião-dentista realizar o contato telefônico a cada trimestre com a paciente. Se o profissional identificar remotamente alguma sintomatologia que possa prejudicar a gestante e/ou o bebê, é agendada uma consulta presencial para o exame clínico e, se necessário, a intervenção odontológica seguindo todo o cuidado com os protocolos sanitários.

 

“Foi preciso repensar a oferta dos serviços de saúde associada ao uso de ferramentas tecnológicas e metodologias de abordagem diferentes do habitual para garantir o acompanhamento e a manutenção da saúde das gestantes no período pandêmico. Mesmo com essa organização entre a equipe de saúde bucal é urgente e necessário educar a população e outras categorias profissionais sobre a necessidade da ida ao dentista durante a gestação, incentivando a autonomia das mulheres em procurar o cuidado e desmistificando as questões relacionadas ao atendimento odontológico durante esse período. Por isso, ações como essa de educação permanente são importantes tanto para as equipes de saúde bucal quanto para outras categorias profissionais”, explicou a referência técnica em saúde bucal da SRS Alfenas, Heron Ataíde Martins.

Ao final da capacitação, por meio do Google Formulários, os participantes avaliaram as capacitações realizadas e sugeriram os assuntos a serem discutidos, em outras videoconferências. “Esse processo de feedback dos profissionais e/ou coordenadores após os encontros tem sido muito valioso, em um dos relatos, o participante avaliou o tema como muito interessante e também que foi bem muito bem apresentado pela professora, atualizando conhecimentos e quebrando tabus em relação aos atendimentos às gestantes”, pontuou Heron.

]]>
Banco de notícias Fri, 23 Oct 2020 16:23:18 +0000
Oficinas de atualização do Plano de Contingência das Arboviroses acontecem na Regional de Saúde de Patos de Minas https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13766-oficinas-de-atualizacao-do-plano-de-contingencia-das-arboviroses-acontecem-na-regional-de-saude-de-patos-de-minas https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13766-oficinas-de-atualizacao-do-plano-de-contingencia-das-arboviroses-acontecem-na-regional-de-saude-de-patos-de-minas

A Superintendência Regional de Saúde de Patos de Minas (SRS/ PM) realizou oficinas de alinhamento e atualização do Plano Municipal de Contingência das Arboviroses 2020/2021, nos dias 14, 15 e 16/10. As oficinas oportunizaram, para a equipe regional e municipal, um trabalho de maior aproximação, articulação e compartilhamento entre os técnicos que referenciam os quatro eixos estabelecidos para o planejamento das ações: Assistência, Gestão, Vigilância e Comunicação em Saúde.

Crédito: Maria Teresa Xavier

Cada microrregião da SRS/ PM (João Pinheiro, Patos de Minas e São Gotardo) participou em um dos dias das oficinas virtuais com as referências técnicas municipais. A programação das videoconferências perdurou pelo período da manhã e da tarde e contou com a apresentação dos setores da Vigilância, da Atenção Primária, da Assistência Farmacêutica e da Comunicação e Mobilização Social.

A coordenadora da vigilância em saúde de Patos de Minas, Alaídes Corrêa, ressalta que o Plano Municipal de Contingência das Arboviroses tem por objetivo planejar, organizar e desenvolver ações e serviços em saúde para o enfrentamento de possíveis epidemias nos territórios, no período da sazonalidade compreendido entre os meses de dezembro/2020 a maio/2021. “Considerando que as arboviroses: dengue, febre Chikungunya, Zika vírus e febre amarela, constituem uma emergência em saúde pública, reafirma a importância da elaboração e atualização anual do Plano de Contingência”, conclui a coordenadora.

O coordenador da educação permanente em saúde e referência técnica em mobilização social do município de São Gotardo, Maycon Igor dos Santos, afirma que as oficinas são de “suma importância para as referências técnicas, seja na elaboração dos planos municipais ou na tomada de decisões do cotidiano”. Ele ainda completa que “através delas todos os setores recebem de forma equânime os direcionamentos para melhoria e potencialização das ações entre vigilância e demais atores da rede de atenção à saúde”.

Após as oficinas, a atualização do Plano Municipal de Contingências das Arboviroses segue várias etapas pré-estabelecidas e deverão ser apresentados na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) microrregional.

]]>
Banco de notícias Fri, 23 Oct 2020 12:25:54 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 23/10/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13765-informe-epidemiologico-coronavirus-23-10-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13765-informe-epidemiologico-coronavirus-23-10-2020

Até o momento foram 345.188 casos confirmados*. Estão em acompanhamento**22.936 casos e são 313.566 casos recuperados***. Estão confirmados 8.686 óbitos. São 34.597 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,5%.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas

24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 23/10/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o Informe na íntegra, clique aqui.

]]>
Banco de notícias Fri, 23 Oct 2020 09:24:34 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 22/10/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13764-informe-epidemiologico-coronavirus-22-10-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13764-informe-epidemiologico-coronavirus-22-10-2020

Até o momento foram 343.159 casos confirmados*. Estão em acompanhamento**22.892 casos e são 311.646 casos recuperados***. Estão confirmados 8.621 óbitos. São 33.674 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,5%.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas

24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 22/10/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o Informe na íntegra, clique aqui.

]]>
Banco de notícias Thu, 22 Oct 2020 09:35:18 +0000
Taxa de incidência do coronavírus cai 32% no estado e regiões Oeste, Sul e Leste avançam para onda verde do Minas Consciente https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13763-taxa-de-incidencia-do-coronavirus-cai-32-no-estado-e-regioes-oeste-sul-e-leste-avancam-para-onda-verde-do-minas-consciente https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13763-taxa-de-incidencia-do-coronavirus-cai-32-no-estado-e-regioes-oeste-sul-e-leste-avancam-para-onda-verde-do-minas-consciente

TOPO MATERIA-AGENCIA-MC

 

A taxa que mede a incidência do coronavírus em Minas Gerais caiu 32% nos últimos 14 dias, conforme dados levantados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). A informação foi divulgada nesta quarta-feira (21/10) durante reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de trabalho e enfrentamento à pandemia.

Diante da melhora, e considerando indicadores como taxa de ocupação de leitos e casos por número de habitantes, o grupo autorizou o avanço das macrorregiões de Saúde Oeste, Sul e Leste para a onda verde do Minas Consciente. Poderão ser reabertos estabelecimentos como parques naturais, de diversão, cinemas, teatros e bares com música com ao vivo, desde que sejam seguidas as regras de higiene, distanciamento e lotação máxima.

Cautela

Já as regiões Triângulo do Norte e Triângulo do Sul apresentaram piora nos indicadores e, para evitar a sobrecarga do sistema de Saúde, o Comitê optou pela regressão para a onda amarela.

O secretário de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral, ressaltou que, apesar de a maioria do território estadual estar em uma condição melhor em relação ao vírus, ainda é preciso ter cuidado para que a doença não volte a ganhar força.

“Com uma flexibilização maior da sociedade, com as pessoas podendo sair para trabalhar e conviver mais próximas, é fundamental que se mantenha o distanciamento e a higienização e que se utilize a máscara. É isso que vai garantir que nós, a cada dia, venhamos a progredir para a onda verde e retornar com segurança ao novo normal”, disse.

 

content protocolos

 

Adesão

Até esta quarta-feira, 656 cidades mineiras aderiram ao plano Minas Consciente, o que representa 76% dos municípios. O impacto chega a 13,4 milhões de pessoas.

Onda verde

content onda verde

 

As macrorregiões Oeste, Sul e Leste apresentaram um quadro controlado da doença após passar 28 dias na onda amarela*, permitindo o avanço para a onda verde, que possibilita a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. Sudeste, Noroeste, Centro, Norte, Jequitinhonha e Centro-Sul já estavam na fase mais avançada do plano. Por apresentarem índices controlados, foram mantidas nesta etapa. Veja abaixo as atividades permitidas:

- Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos;
- Parques, zoológicos e jardins;
- Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo;
- Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê;
- Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca;
- Bares com entretenimento (shows e espetáculos);
- Serviços de colocação de piercings e tatuagens.

*Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.


Onda Amarela

content onda amarela

As macrorregiões de Saúde Triângulo do Norte e Triângulo do Sul tiveram piora nos índices e por isso regrediram para a onda amarela, se unindo às macrorregiões Leste do Sul, Vale do Aço e Nordeste. Nesta fase, são permitidos:

- Bares (consumo no local);
- Autoescolas e cursos de pilotagem;
- Salões de beleza e atividades de estética;
- Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;
- Papelarias, lojas de livros, discos e revistas;
- Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;
- Comércio de itens de cama, mesa e banho;
- Lojas de móveis e lustres;
- Imobiliárias;
- Lojas de departamento e duty free;
- Lojas de brinquedos;
- Academias (com restrições);
- Agências de viagem;
- Clubes.

Onda Vermelha

Atualmente, nenhuma macrorregião de Saúde se encontra na onda vermelha do Minas Consciente, quando só são autorizados serviços essenciais, como supermercados e farmácias.

]]>
Banco de notícias Wed, 21 Oct 2020 18:47:18 +0000
Regional de Saúde de Ubá promove Programa de Desenvolvimento de Lideranças entre servidores https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13762-regional-de-saude-de-uba-promove-programa-de-desenvolvimento-de-liderancas-entre-servidores https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13762-regional-de-saude-de-uba-promove-programa-de-desenvolvimento-de-liderancas-entre-servidores

Na última sexta-feira (16/10), os coordenadores dos núcleos e servidores da Gerência Regional de Saúde de Ubá (GRS/ Ubá) participaram do primeiro treinamento do Programa de Desenvolvimento de Lideranças (PDL) promovido pela diretoria da unidade. O PDL é uma iniciativa da Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), realizado pela diretoria da GRS/ Ubá com o propósito de abordar assuntos relacionados à liderança e às gestões: estratégica, da inovação, orçamentária, logística e patrimonial, de compras, de contratos, de pessoas, de processos, do conhecimento e da informação.

Crédito: Keila Lima

A ação busca estimular boas práticas e visa motivar a proatividade em cenários desafiadores, como o atual momento da pandemia. A pauta do primeiro encontro foi sobre “o poder da negociação”. A diretora da GRS/ Ubá que coordena o programa, Aline de Almeida Prado, ministrou o treinamento. “Vejo que temos um patrimônio de conhecimento humano muito grande aqui na nossa unidade. Temos servidores até com doutorado, com muitos anos de experiência em Gestão de Saúde Pública. O PDL tem a proposta de otimizar nosso desempenho, pois quando entendemos que somos líderes, assumimos os desafios com mais ousadia para buscar o melhor resultado. Senti que os participantes aderiram bem à proposta, e juntos continuaremos desenvolvendo nosso setor para, a cada dia, atender melhor nossa microrregião de saúde”, afirmou a diretora.

Ao final do treinamento, que foi realizado remotamente, alguns servidores manifestaram satisfação. “Conseguimos respirar um pouco nesse turbilhão que temos vivido. Refletir sobre nossos processos é importante, nos direciona melhor. Me senti cuidada”, contou a EPGS Referência em Urgência e Emergência, France Coelho. “Nós estamos a cada dia mais unidos, trabalhando em conjunto e o PDL é uma ferramenta importante para nossa aproximação. Gostei muito”, falou EPGS e Autoridade Sanitária, Letícia Lacerda.

A próxima capacitação está agendada para o mês de novembro.

]]>
Banco de notícias Wed, 21 Oct 2020 18:46:20 +0000
Regional de Saúde de Governador Valadares finaliza oficinas na elaboração do plano para as Arboviroses https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13761-regional-de-saude-de-governador-valadares-finaliza-oficinas-na-elaboracao-do-plano-para-as-arboviroses https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13761-regional-de-saude-de-governador-valadares-finaliza-oficinas-na-elaboracao-do-plano-para-as-arboviroses

A Superintendência Regional de Saúde de Governador Valadares (SRS-GV) promoveu, no dia 20/10, a última oficina virtual para elaboração do Plano Municipal de Contingências da Arboviroses 2020/2021. Os treinamentos contaram com a participação de gestores de saúde e de coordenadores da Vigilância Epidemiológica, Atenção Primária e de endemias de 51 municípios da região Macroleste.

Crédito: Frederico Bussinger

A proposta da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) é que tanto o plano estadual quanto os municipais auxiliem os municípios na definição de estratégias e ações a serem promovidas na prevenção, no enfrentamento e no controle da proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre Chikungunya, Zika vírus e febre amarela. Além disso, a atualização dos planos municipais deve seguir várias etapas de trabalho e que deverão ser apresentadas na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) microrregional.

A coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NUVEPI) da SRS-GV e condutora das oficinas, Nádia Pinheiro Ali, ressaltou a importância do plano e a necessidade de integração de todas as áreas de saúde municipal na execução das ações. “Mesmo em tempos de pandemia da covid-19, temos que nos preparar para o combate ao Aedes. Para tanto, quanto mais o município estiver organizado, delegar e promover o trabalho intersetorial, maior será o sucesso dessas ações no enfrentamento das arboviroses. Por isso, nosso objetivo com as oficinas foi o de fortalecer as equipes municipais de saúde para que possam realmente executar um trabalho que garanta um controle mais eficaz das arboviroses, evitando principalmente os óbitos”, enfatizou.

As oficinas tiveram a seguinte programação: “Apresentação da nova estrutura do Plano Municipal de Contingência das Arboviroses 2020/2021 e cronograma de ações” e “eixo de vigilância epidemiológica e laboratorial”, temas apresentados pela referência técnica em Arboviroses, Maria Aparecida Melo Martins. “Apresentação do diagrama de controle”, tema apresentado pelo representante do Setor de Endemias, Guilherme Freire. “Programação de insumos farmacêuticos”, apresentado pela farmacêutica, Maria Luiza Martins. “Eixo de comunicação social/ mobilização”, apresentado pelo assessor de comunicação social da SRS-GV, Frederico Bussinger.

A coordenadora municipal de epidemiologia de Itanhomi, Mayara Lopes de Paula Coelho, elogiou a iniciativa da SRS-GV. “A oficina foi muito rica e trouxe contribuições de vários profissionais, cada um especificando seu eixo correspondente, facilitando assim a compreensão e trazendo clareza para elaborarmos um plano de acordo com o solicitado que é bem mais completo e detalhado. Juntos conseguiremos elaborar um novo plano e colocá-lo em prática, minimizando assim um possível surto de arboviroses em nossas cidades”, finalizou a coordenadora municipal.

]]>
Banco de notícias Wed, 21 Oct 2020 18:34:24 +0000
Regional de Saúde de Varginha realiza testagem para covid-19 em servidores da saúde https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13760-regional-de-saude-de-varginha-realiza-testagem-para-covid-19-em-servidores-da-saude https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13760-regional-de-saude-de-varginha-realiza-testagem-para-covid-19-em-servidores-da-saude

Nos dias 16 e 19/10, a Superintendência Regional de Saúde de Varginha (SRS/ Varginha) realizou testagem para covid-19 nos servidores do órgão, que se interessaram. Ao todo 63 servidores da saúde foram testados no auditório do Centro Administrativo do Sul de Minas, pelos acadêmicos de Biomedicina do Centro Universitário do Sul de Minas (UNIS-MG), que voluntariamente se habilitaram para participar desse procedimento e realizar essa parceria com a equipe da SRS/ Varginha.

Crédito: Tânia Corrêa

A iniciativa partiu de uma estratégia estadual denominada “Inquérito de Prevalência Covid-19 nos Profissionais das Regionais de Saúde”, que visou analisar a prevalência de anticorpos contra SARS-CoV-2 nos profissionais das Regionais de Saúde do Estado e avaliar a circulação do vírus em indivíduos assintomáticos.

Os testes foram realizados mediante assinatura de Termo de Consentimento pelo servidor, relatórios de participação e preenchimento de questionário específico. Os documentos relativos aos testes realizados serão enviados e ficarão sob a guarda da Coordenação Estadual de Laboratórios e Pesquisa em Vigilância (CELP), que analisará os dados. Eles serão divulgados em um relatório com análise dos dados demográficos e de exposição de todos os participantes, de forma geral e não individualizada.

O quantitativo de testes recebido, por regional de saúde, foi definido de acordo com o número de profissionais consultado na lista da Superintendência de Gestão de Pessoas do mês de julho deste ano.

]]>
Banco de notícias Wed, 21 Oct 2020 18:16:35 +0000
Inteligência Artificial na SNCT https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13759-inteligencia-artificial-na-snct https://www.saude.mg.gov.br:443/component/gmg/stories/13759-inteligencia-artificial-na-snct

A inteligência artificial (IA) já é uma realidade na Fundação Ezequiel Dias (Funed) no Governo de Minas Gerais.  Por meio de algoritmos e aprendizado de máquina para a classificação molecular de pacientes oncológicos, a OncoTag, uma das startups nascida na instituição, oferece soluções de inteligência artificial aos profissionais de saúde para que possam tomar as melhores decisões clínicas no tratamento de pacientes oncológicos. E quem vai compartilhar essa experiência, é a sócio fundadora da OncoTag, Luciana Silva na live Inteligência Artificial na Classificação de Tumores Humanos, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia da Funed, transmitida às 10h, no dia 22/10, pelo canal do Youtube da Funed.

Crédito: Divulgação Funed

“O primeiro exame molecular que nasceu na Fundação usando a inteligência artificial foi para a identificação genética do câncer de ovário – o OvarianTag”, conta Luciana Silva, que também é chefe do Serviço de Biologia Celular da Funed.  Segundo Luciana, o volume de dados biológicos que se tem acesso é cada vez maior a cada ano, “a bioinformática utiliza uma série de instrumentos e plataformas atreladas a métodos computacionais e matemáticos para analisar e compreender os dados biológicos gerados. A partir desse grande volume de dados analisados, é possível encontrar repostas para novas estratégias de diagnóstico, prognóstico e cura de diversas doenças” explica a pesquisadora sobre a importância e aplicação da inteligência artificial na área da saúde.

Sobre a palestrante

Luciana Silva é doutora em Biologia Celular, com mestrado em Ciências Técnicas Nucleares e graduação em biologia. Além de pesquisadora, é chefe do Serviço de Biologia Celular da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da Funed e sócia fundadora da startup OncoTag. É também professora no mestrado em Biotecnologia da Funed. Participa de ações para divulgação e popularização da ciência, sendo pesquisadora colaboradora do programa Funed na Escola e do perfil Mundo das Células do Instagram.

O evento é voltado para crianças, jovens, estudantes de graduação em áreas da saúde e a comunidade em geral.

Serviço:

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia da Funed

Live Inteligência Artificial na Classificação de Tumores Humanos com Luciana Silva

Data: 22/10

Horário: 10h

Canal do Youtube da Funed

]]>
Banco de notícias Wed, 21 Oct 2020 17:45:49 +0000