Metodologia | Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais - SES

O impacto das doenças não transmissíveis e das causas externas no estado de Minas Gerais foi dimensionado por meio das análises dos dados de morbimortalidade.

Para o estudo da mortalidade, utilizaram-se os dados de óbitos por local de residência em Minas Gerais no período de 1996 a 2006, tendo como fonte o Sistema de Informação sobre Mortalidade  (SIM) - DATASUS/ MS. O SIM é alimentado quanto à causa mortis e essa análise baseou-se na 10ª revisão da Classificação Internacional de Doenças e Agravos (CID) da Organização Mundial de Saúde. Alguns pontos relacionados a essa base de dados merecem atenção como o fato de apresentar cobertura universal, manter um ritmo constante e padronizado de coleta e fluxo de informações e processamento de dados, permitir comparação internacional e realização de séries históricas. Por outro lado, o sistema apresenta uma defasagem de aproximadamente dois anos para processamento completo dos dados.

Para o estudo da morbidade hospitalar, utilizou-se como fonte o Sistema de Informação Hospitalar do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS), composto por dados provenientes da Autorização de Internação Hospitalar (AIH). Este documento é obrigatório para as internações realizadas pelo SUS e cobrindo aproximadamente 70 a 80% do total de hospitalizações ocorridas no país. Considerou-se apenas as internações (AIH) tipo 1 por local de residência no período de 1998 a 2008, sendo desconsideradas as AIH tipo 5 utilizadas para identificar casos de longa permanência do paciente nas especialidades de Psiquiatria, pacientes sob cuidados prolongados e assistência domiciliar geriátrica.

As análises de mortalidade e morbidade foram realizadas a partir dos indicadores utilizados para o monitoramento e vigilância de DANT expressos por meio de coeficientes, proporção e razão, estratificados por sexo e faixa etária. Para as doenças não transmissíveis e agravos foram analisados alguns indicadores referentes às neoplasias; doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas; doenças dos aparelhos circulatório e respiratório; e causas externas (acidentes e violências).

A população utilizada para o cálculo dos coeficientes foi obtida por meio do DATASUS, cuja fonte dos dados é o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e os coeficientes de mortalidade e morbidade hospitalar calculados foram relativos a 100.000 habitantes, respectivamente. Para o ajuste dos indicadores por idade, utilizou-se o método direto, considerando a população do Brasil Censo 2000.

Enviar para impressão