A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promoveu nos dias 20, 21 e 22 de outubro o “Seminário Estadual de Hanseníase: novos cenários e desafios na promoção de direitos”. Em sua primeira edição em formato virtual, o encontro discutiu a subnotificação de casos da doença e reforçou a integração dos órgãos de vigilância.

Crédito: Divulgação

A coordenadora estadual de Hanseníase da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Marina Caldeira, comemorou a participação expressiva do público. Houve cerca de 3 mil visualizações e 243 se inscreveram para participação no chat do evento.

“Alcançamos o objetivo geral de retomar a temática de enfrentamento da hanseníase no estado e respeitar as recomendações sanitárias de enfrentamento da pandemia por covid-19”, explicou a coordenadora. Ainda segundo ela, o alcance extrapolou a expectativa e a condição que os eventos presenciais anteriores podiam assegurar, em termos de estrutura física, com interessados vindos também de fora do estado.

Durante o evento foi discutida a situação epidemiológica da hanseníase em Minas Gerais e no Brasil. A mesa contou com a participação da coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da SES-MG, Eva Lídia Arcoverde. Já a diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da SES-MG, Marcela Ferraz, discutiu a gestão participativa de enfrentamento à doença no painel de encerramento, com representantes do Conselho Estadual de Saúde, do Ministério da Saúde e do Comitê Estadual de Enfrentamento da Hanseníase.

 

Por Jornalismo SES-MG

Enviar para impressão