Banco de notícias https://www.saude.mg.gov.br Fri, 03 Jul 2020 23:13:44 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Qualificação da rede hospitalar pública de Minas Gerais é detalhada em coletiva virtual https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13098-qualificacao-da-rede-hospitalar-publica-de-minas-gerais-e-detalhada-em-coletiva-virtual https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13098-qualificacao-da-rede-hospitalar-publica-de-minas-gerais-e-detalhada-em-coletiva-virtual
Com o objetivo de qualificar a rede hospitalar de Minas Gerais, as obras relacionadas ao atendimento aos casos da covid-19 já estão sendo concluídas no Hospital Júlia Kubitschek (HJK). Durante coletiva virtual, realizada na tarde desta sexta-feira (3/7) o secretário de Estado de Saúde Carlos Eduardo Amaral falou sobre o assunto.
 
Gil Leonardi | Imprensa MG

“Nós fizemos várias ações de estruturação da rede de saúde do Estado, levando em consideração a urgência. A expectativa é de que tenhamos mais 40 leitos de terapia intensiva no Júlia Kubitschek, disponibilizados para a Região Metropolitana de Belo Horizonte”, explica.

O Hospital Júlia Kubitschek, desde o dia 27 de maio, está atendendo apenas os casos suspeitos de covid-19 regulados pela Central de Internação de Belo Horizonte (CINT-BH). Essas obras foram programadas em alinhamento com os planejamentos técnicos aprovados pelas esferas municipal e estadual, dentro do conceito de atendimento em rede do SUS-MG.

O secretário adjunto da SES-MG, Marcelo Cabral, mencionou a contratação de profissionais médicos como sendo um dos desafios enfrentados. “A contratação de médicos tem sido um desafio. Ainda assim seguimos fazendo os chamamentos para compor as equipes e, no âmbito da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), já foram realizados mais 20”, pontua Cabral.

Na Fhemig há, ao todo, cerca de 13 mil servidores e desses 10,5 mil estão atuando diretamente na assistência.

O Hospital Eduardo de Menezes (HEM), unidade referência para o atendimento aos casos de covid-19, conta com 450 profissionais. O Júlia Kubitschek, por sua vez, possui 1.355 profissionais de saúde.

“No interior, as unidades que atendem aos casos são o Hospital Regional Antônio Dias (HRAD), em Patos de Minas, com 678 profissionais de saúde, e o Hospital Regional João Penido (HRJP), em Juiz de Fora, com 839 profissionais”, detalha o secretário adjunto da SES-MG.  
 
Equipamentos

No que se refere à entrega de equipamentos, como ventiladores e monitores, Amaral explicou que essa distribuição segue critérios estritamente técnicos, relacionados ao Plano de Contingência de cada macrorregião e aos coeficientes de incidência (quantidade de casos em relação ao número de leitos).

“Além disso, quando é definido para quais cidades e hospitais esses equipamentos devem ir, nós entramos em contato com os gestores municipais e com os gestores do hospital para termos a certeza de que aquele equipamento poderá entrar em operação no máximo em sete dias, após chegar à instituição”, explica Amaral.

Apesar da escassez dos equipamentos e da alta de preços, Minas Gerais adquiriu 1.047 respiradores, e o estado já recebeu, até o momento, 584 equipamentos. As unidades adquiridas que ainda não chegaram, têm previsão de entrega em julho e agosto.
 
Medidas de prevenção

No que se refere ao isolamento e aos cuidados de prevenção recomendados pelo Estado, Marcelo Cabral destaca que “enquanto não se descobrir uma vacina efetiva ao enfrentamento e controle do vírus, esses cuidados deverão ser mantidos”.

Já Carlos Eduardo Amaral reforçou que a SES e o Governo de Minas seguem extremamente empenhados para trazer, dentro das possibilidades que o cenário apresenta, o que há de melhor ao cidadão mineiro. O secretário também destacou que é preciso reforçar o isolamento e os cuidados para prevenção.

“Não é o momento, de forma alguma, de falarmos ao longo dos próximos 15 dias, em flexibilizar ou modificar a recomendação de isolamento que temos atualmente. Passado o que são as projeções de pico, nós precisaremos avaliar o que está acontecendo e, se nós tivermos uma queda no número de casos, nós começaremos a sinalizar, por meio do Minas Consciente, alguma flexibilização”, afirma o secretário de Estado de Saúde.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 16:11:54 +0000
Escritório de Gestão de Leitos monitora diariamente internações em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13089-escritorio-de-gestao-de-leitos-monitora-diariamente-internacoes-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13089-escritorio-de-gestao-de-leitos-monitora-diariamente-internacoes-em-minas-gerais

Nesta quinta-feira (2/07), em coletiva virtual realizada na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, falou sobre a importância do papel desempenhado pelo Escritório de Gestão de Leitos, diante da proximidade do pico da covid-19 em Minas.

Crédito: Pedro Gontijo

“Além de fazer o controle diário da situação dos leitos no estado, o escritório também é encarregado de acompanhar e apoiar os gestores hospitalares e os gestores municipais”, explica o Carlos Eduardo Amaral.

Os dados gerados por esse núcleo, por meio do contato direto e diário com as instituições hospitalares, serão base para que o Poder Executivo estadual trace estratégias de atuação para esses locais no enfrentamento da covid-19.

Ainda de acordo com o secretário de Estado de Saúde, o escritório também sinaliza a necessidade de expansão de leitos. “Vale lembrar que, quando optamos por ampliar leitos em uma determinada região, são seguidos, em primeiro lugar, os critérios do Plano de Contingência Regional, elaborado há dois meses, e que sinaliza quais hospitais e instituições de saúde poderiam ter seus leitos ampliados”, explica Amaral.

Projeção de casos

No que se refere às projeções relacionadas à covid-19 em Minas Gerais, para o mês de julho, o secretário de Estado de Saúde explica que o objetivo é dar um enfoque maior à necessidade de demanda por leitos do que nos casos confirmados em si. Isso porque “os casos confirmados que não necessitam internação hospitalar são, de forma geral, casos de menor gravidade e menor impacto no dia a dia da prestação de saúde”.

Minas consciente

Ao longo da coletiva, o secretário de Estado Adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, atualizou os números do Programa Minas Consciente, que orienta a retomada segura das atividades econômicas nos municípios do estado.

“Até o momento, 168 municípios aderiram ao Minas Consciente, o que impacta mais de 4 milhões de mineiros. Dentre as regiões que mais aderiram ao programa estão a região Sudeste, com 49 municípios, Centro Sul, com 36, Centro, com 22 e Noroeste, com 15.

Fernando Passalio informou, ainda, que o Comitê Extraordinário da Covid-19 manteve a suspenção da onda amarela do Minas Consciente. Dessa forma, todas as macrorregiões podem ir até a onda branca, atualmente com 3 macrorregiões. Outras 11 macrorregiões encontram-se na onda verde.

“Essas mudanças na metodologia se devem à proximidade do pico, previsto para dia 15 de julho”, esclarece o secretário de Estado Adjunto de Desenvolvimento Econômico (SEDE).

Confira mais informações sobre o Minas Consciente https://www.mg.gov.br/minasconsciente

Já o secretário de Estado de Saúde destacou que cada gestor municipal pode aderir ou não ao Minas Consciente. “Caso não haja adesão por parte de um município, entendemos que seu gestor está fazendo a condução conforme as orientações de sua equipe de saúde. Entretanto, de uma forma geral, nós já orientamos com muita clareza quanto à necessidade de que a maioria das regiões de saúde do estado retorne para a onda verde. Ou seja, retornando somente para a onda de serviços essenciais, nós estamos sinalizando com muita clareza ao cidadão e ao gestor municipal que é preciso dar um passo atrás neste momento de elevação de casos”, esclarece Carlos Eduardo Amaral.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 17:10:07 +0000
Governo de Minas faz balanço de ações da saúde no enfrentamento à Covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13076-governo-de-minas-faz-balanco-de-acoes-da-saude-no-enfrentamento-a-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13076-governo-de-minas-faz-balanco-de-acoes-da-saude-no-enfrentamento-a-covid-19

 

Nesta quarta-feira (1/07), o estado de Minas Gerais registrou 1.007 óbitos por covid-19. Em pronunciamento, feito durante coletiva virtual, o governador Romeu Zema prestou solidariedade aos familiares e amigos das vítimas e reforçou que o Estado segue adotando todas as medidas necessárias para garantir o atendimento à população.

“Nenhum desses óbitos registrados em Minas ocorreu devido à falta de atendimento. Reforçamos que, desde março, nós temos atuado diariamente para retardar e amenizar o crescimento da curva de casos. Como a previsão de pico está para o mês de julho, considero que estamos conduzindo a situação da forma adequada, dentro daquilo que está ao nosso alcance”, afirma Romeu Zema.

De acordo com o governador, em fevereiro, o Estado contava com 2.072 leitos de UTI. “Hoje, nós temos disponíveis em Minas Gerais, 3.234 leitos. Ou seja, nesse período de 100 dias, a quantidade de leitos de UTI aumentou em mais de 50%, o que representa quase 1.200 leitos a mais”, afirma.

Dentre as regiões que receberam números mais expressivos de leitos estão a região Central com 275, o Vale do Aço com 70 e a Região Centro Sul, com 78 leitos.

Romeu Zema também falou sobre a aquisição de respiradores e sobre o Hospital de Campanha.

“O Governo de Minas adquiriu, ainda, 1.047 respiradores para o combate à Covid-19. A destinação dos equipamentos está sendo determinada conforme critérios epidemiológicos e assistenciais. Já com relação ao Hospital de Campanha, o mesmo entrará em funcionamento assim que necessário”, informou o governador.

Aumento no número de casos

Até o momento, Minas Gerais registra 47.584 casos confirmados, 18.665 em acompanhamento e 27.912 casos recuperados.

Com relação à curva de casos da covid-19 em Minas Gerais, o Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, destaca que neste momento, observa-se uma progressão, resultado do desenvolvimento natural da epidemia. Além disso, o aumento de testagem por meio dos testes rápidos e a mudança metodológica na forma de alimentar o banco de dados da SES, explicam o aumento mais expressivo no número de casos registrado nos últimos dias.

Créditos: Gil Leonardi/ Imprensa MG

O secretário adjunto da SES-MG, Marcelo Cabral, destacou que os critérios para a testagem pela rede pública são definidos pelo Ministério da Saúde (MS). “No caso do teste rápido, podemos citar como grupos indicados para testagem, os profissionais da saúde e da segurança pública em atividade, seja da assistência ou da gestão, pessoas que residam no mesmo domicílio de um profissional da saúde e da segurança pública em atividade e pessoa com idade igual ou superior a 60 anos. Já com relação ao PCR, podemos citar a população indígena aldeada e os profissionais da segurança pública e da saúde que apresentem sintomas”, esclarece Marcelo Cabral.

Saúde Digital MG

Ao longo da coletiva, Carlos Eduardo Amaral reforçou a orientação quanto ao uso do Saúde Digital, plataforma de saúde oficial do Estado que oferece um direcionamento para o acesso à saúde, neste momento específico de pandemia da Covid-19.

Créditos: Gil Leonardi/ Imprensa MG

“Orientamos aos mineiros que, por ventura, tenham sintomas gripais, a fazerem a avaliação por meio do aplicativo. A partir dessa avaliação, a pessoa poderá ser encaminhada para uma consulta de telemedicina, o que possibilita o atendimento em qualquer lugar do estado, além de evitar deslocamentos desnecessários e aglomerações”, explica Carlos Eduardo Amaral.

O app está disponível para download no Google Play (Android)

]]>
Banco de notícias Wed, 01 Jul 2020 15:28:40 +0000
Pessoas de 20 a 49 anos devem se vacinar contra sarampo https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13071-pessoas-de-20-a-49-anos-devem-se-vacinar-contra-sarampo https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13071-pessoas-de-20-a-49-anos-devem-se-vacinar-contra-sarampo

Em Minas Gerais, apesar da expectativa em vacinar mais de 9 milhões de pessoas de 20 a 49 anos na Campanha Nacional de Vacinação Indiscriminada contra o Sarampo, apenas pouco mais de 1 milhão de doses foram aplicadas até agora. Uma cobertura vacinal de 11,64%, bem abaixo do esperado, contra o vírus do sarampo, que voltou a circular no país em 2018.

“A vacinação contra o sarampo será realizada independentemente da situação vacinal das pessoas, porque a campanha é indiscriminada. Isso significa que, mesmo que a pessoa já tenha o cartão de vacina atualizado, ou seja, constando registro de vacina contra o sarampo, as pessoas que pertencem a esta faixa etária precisam se vacinar”, explica a coordenadora estadual do Programa de Imunizações da SES-MG, Josianne Dias Gusmão.

Para evitar a circulação do sarampo no Estado, Josianne Gusmão diz que é necessário a manutenção de altas e homogêneas coberturas vacinais em todas as faixas etárias da população. “O sarampo é uma doença grave e de alta transmissibilidade. E, por isso, é preciso que todos tenham o cartão de vacina atualizado. Somente assim poderemos alcançar a devida proteção contra o sarampo e interromper a circulação do vírus no estado”, disse.

Vacinação em cenário de pandemia

Diante do cenário da pandemia da Covid-19, o Ministério da Saúde recomenda certos cuidados às pessoas no momento da vacinação. A população deve ficar atenta às medidas de prevenção, como manter dois metros de distância nas filas, entre uma pessoa e outra.

Além disso, o Ministério alerta para a adoção constante da etiqueta respiratória, como cobrir a boca ao tossir ou espirrar com a face interna do cotovelo ou com um lenço descartável, lavar as mãos com frequência, não tocar o rosto com as mãos e o uso de máscara (indicado para crianças com mais de 2 anos, adolescentes, adultos e idosos). Também é recomendado não ter contato próximo com outras pessoas por meio do aperto de mão, beijo e abraço, principalmente quando estiver aguardando para receber a vacina. 

“Para minimizar a disseminação da doença, pessoas com sintomas respiratórios ou febre não devem comparecer para a vacinação, enquanto houver sintomatologia. Porém, a pessoa pode e deve ser vacinada após a resolução dos sintomas”, disse Josianne Gusmão.

Campanhas de imunização

A vacina contra o sarampo integra o calendário de rotina do Ministério de Saúde e está disponível o ano todo nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), em três apresentações: Dupla viral, que protege do vírus do sarampo e da rubéola; Tríplice viral que protege do vírus do sarampo, caxumba e rubéola e a Tetra viral, que protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora). Todas previnem o sarampo e cabe ao profissional de saúde aplicar a vacina adequada para cada um, de acordo com a idade ou situação epidemiológica.

Com o objetivo de interromper a transmissão do sarampo, eliminar a circulação do vírus e garantir altas coberturas vacinais, o Ministério da Saúde traçou uma estratégia nacional de vacinação indiscriminada. As duas primeiras etapas ocorreram em 2019, com a realização de campanha de vacinação nacional, em outubro, de crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. A segunda etapa aconteceu em novembro para a população de 20 a 29 anos.

Dando continuidade às ações em 2020, entre os dias 10 de fevereiro e 13 de março, a vacinação teve como público-prioritário crianças e jovens entre 5 e 19 anos, que não eram vacinados ou que não tinham o esquema de vacinação completo. Esta fase foi realizada de forma seletiva, ou seja, foram respeitadas as indicações do Calendário Nacional de Vacinação, a partir da avaliação da caderneta de vacina deste público.

“Na rotina dos serviços de vacinação, considera-se vacinada a pessoa que comprovar duas doses das vacinas com componente Sarampo, dos 12 meses até os 29 anos ou uma dose dos 30 aos 59 anos. Profissionais de saúde, independente da idade, precisam comprovar duas doses da vacina tríplice viral. Atualmente, todas as crianças de seis (06) a 11 meses de idade devem ser vacinadas contra o sarampo em todo o país com uma dose extra, chamada de ‘dose zero’”, explica Josianne.

A doença

O vírus sarampo ainda circula em grande quantidade em várias regiões da Europa e da América. Por causa das migrações e de viagens internacionais, o vírus foi importado e voltou a circular no país desde fevereiro de 2018. A baixa imunização da população brasileira, que vem caindo nos últimos anos, também contribuiu para a volta da circulação do vírus.

A doença, que chegou a ser considerada erradicada no país, acometeu 29.233 pessoas e levou 30 pessoas a óbito no país, segundo dados do Ministério da Saúde. Em Minas Gerais, em 2020, já foram confirmados sete (7) casos de sarampo.

Confira aqui dados do sarampo no estado: https://saude.mg.gov.br/component/gmg/story/12554-boletim-epidemiologico-do-sarampo-24-04-2020

A transmissão da doença ocorre diretamente de pessoa a pessoa, através de gotículas do nariz, boca ou garganta de infectados pelo vírus. O sarampo pode evoluir para complicações graves, incluindo encefalite, pneumonia e morte, principalmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

Os principais sintomas do sarampo são febre, manchas avermelhadas pelo corpo (exantemas), tosse, coriza, conjuntivite (olhos vermelhos e lacrimejantes), fotofobia (sensibilidade à luz) e pequenas manchas brancas dentro da boca (manchas de Koplik).

Saiba mais sobre o sarampo clicando aqui https://www.saude.mg.gov.br/sarampo

]]>
Banco de notícias Wed, 01 Jul 2020 09:15:32 +0000
Atualização de informações da Atenção Primária em Saúde é tema de videoconferência promovida pela Regional de Saúde de Governador Valadares https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13102-atualizacao-de-informacoes-da-atencao-primaria-em-saude-e-tema-de-videoconferencia-promovida-pela-regional-de-saude-de-governador-valadares https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13102-atualizacao-de-informacoes-da-atencao-primaria-em-saude-e-tema-de-videoconferencia-promovida-pela-regional-de-saude-de-governador-valadares

A Superintendência Regional de Saúde de Governador Valadares (SRS-GV) promoveu uma videoconferência sobre a situação da Atenção Primária em Saúde (APS), durante a pandemia do novo coronavírus, para coordenadores municipais de Atenção Primária à Saúde e gestores dos 51 municípios da Região Leste, nessa terça-feira (30/6).

Crédito: Frederico Bussinger

A pauta da reunião virtual, conduzida pela chefe da equipe de Atenção Primária à Saúde da SRS-GV, Lidianny Pêgo, e com apresentações das referências técnicas Samira Brito Viana, Wemily Souza e Emyli Chaves Fernandes, abordou as últimas regras e atualizações dos programas de Atenção Primária à Saúde durante a Pandemia da covid-19.

“Nosso objetivo foi apresentar para os gestores e coordenadores municipais de saúde, além das informações mais recentes, outros temas que estão presentes na maioria dos questionamentos feitos pelos profissionais. Hoje, especificamente, discutimos sobre o monitoramento de ações de APS durante a pandemia; os prazos do Programa Previne Brasil; informações de saúde bucal; recomendações sobre os centros de atendimento à Covid-19; monitoramento casos suspeitos ou confirmados da doença; orientações sobre propedêutica do colo do útero e da mama na vigência da pandemia; consultório virtual, dentre outros assuntos”, informou Lidianny Pêgo.

A gestora de saúde do município Divinolândia de Minas, localizado no Vale do Rio Doce, também esteve presente. A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), Ivanete Sara Andrade Coelho, fez um balanço positivo da videoconferência. “A reunião online foi produtiva, proporcionando a interação dos profissionais da SRS-GV com secretários e coordenadores, sanando dúvidas recorrentes no nosso trabalho do dia a dia. Sugiro que realizem outras vezes, sendo de suma importância”, finalizou.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 18:43:47 +0000
Regional de Ponte Nova promove encontros sobre o papel da Atenção Primária no enfrentamento à covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13101-regional-de-ponte-nova-promove-encontros-sobre-o-papel-da-atencao-primaria-no-enfrentamento-a-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13101-regional-de-ponte-nova-promove-encontros-sobre-o-papel-da-atencao-primaria-no-enfrentamento-a-covid-19

A equipe da Coordenação de Atenção à Saúde (CAS) da Regional de Saúde de Ponte Nova realizou, na última quinta-feira (2/7), uma sequência de três reuniões com a temática “A Atenção Primária (APS) à Saúde no enfrentamento à covid-19”, divididas entre os municípios integrantes das microrregiões de saúde de Viçosa e Ponte Nova. Os mesmos foram representados por coordenadores da APS e profissionais do Núcleo Ampliado de Saúde da Família (Nasf), além de membros das áreas de Saúde Bucal e Saúde Mental, com o objetivo de debater as realidades, fragilidades e potencialidades específicas diante do cenário de pandemia. Participaram dos encontros, juntamente à equipe da CAS, referências técnicas do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador (Nuveast).

030720 Ponte Nova Atençao Primaria

A referência técnica do CAS, Karen de Fátima Ségala, baseando sua fala em orientações da Superintendência de Atenção Primária à Saúde (SAPS/SES-MG) e da Organização Panamericana de Saúde, mencionou que a APS é responsável pela condução da maioria dos casos de covid-19 nos seus territórios e, por isso, é necessário desenvolver estratégias de acordo com cada realidade. “Portanto, os municípios precisam estar preparados para atuar de acordo com seu contexto e sua realidade. Mas, ressalto que não existe um modelo único. Cada gestão deverá avaliar a situação em que se encontra e o seu potencial para dar respostas e ações resolutivas”, pontuou Ségala. Já a coordenadora da CAS, Sáskia Maria de Albuquerque Drumond, destacou que o momento foi pensado para dar voz aos municípios, de forma a compartilhar seus principais entraves e dificuldades, oportunizando a construção conjunta de estratégias nas mais diversas frentes.

Para tanto, foram apresentados alguns pontos de discussão: os planos de contingência municipais, contemplando execução, atualização, monitoramento, fluxos, ações em saúde mental e bucal, barreiras sanitárias e ações de imunização; processos de trabalho, envolvendo biossegurança e higiene, uso de EPIs, carga horária e recursos humanos, reorganização de espaços, educação em saúde, estratégias de prevenção aos grupos vulnerários e continuidade dos acompanhamentos aos doentes crônicos; e Educação Permanente, incluindo leitura e discussão com as equipes sobre notas técnicas e legislações pertinentes, disponibilização de estrutura de informática e para acompanhamentos remotos, além de capacitações à distância para profissionais eventualmente afastados.

Na ocasião, a referência técnica da CAS, Alessandra Dias da Silva, fez orientações acerca do papel do dentista nas equipes e os eixos a serem trabalhos em saúde bucal, conforme diretrizes estaduais e ministeriais, por meio da revisão de suas práticas diárias, de uma agenda programada e da organização dos processos de trabalho. “Estamos em um momento de discutir a oferta de um serviço qualificado, considerando todas as normas de biossegurança. Também aproveito para mencionar o recurso da teleondontologia, com ações de teleorientação e telemonitoramento, deixando os atendimentos presenciais, neste momento, destinados às urgências e aos procedimentos inadiáveis”, recomendou.

Já a questão da saúde mental foi abordada pela referência Ana Flávia de Paiva Mendes, que alertou sobre a importância da atuação das referências de saúde mental nos municípios e das articulações necessárias entre todos os pontos de atenção da Rede de Atenção Psicossocial diante do cenário atual.

Contribuições

Num segundo momento, a referência técnica em Doenças Transmissíveis do Nuveast, Dádiva Raquel Rodrigues, abordou a questão do isolamento e da testagem laboratorial dos casos suspeitos de covid-19. De início, houve a apresentação de gráfico (extraído do Journal of the American Medical Association, 2020) representando a variação estimada dos testes de detecção após exposição ao vírus e aparecimento dos sintomas ao longo do tempo.

Dádiva também reforçou as situações em que há indicação para coleta de amostras e testagem, conforme preconizado pela SES-MG, por meio da Atualização Técnica ao Protocolo de Infecção Humana pelo SARS-CoV-2 nº 05/2020. “São indicados todos os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) hospitalizados, todos os óbitos suspeitos, profissionais de saúde e de segurança pública sintomáticos, por amostragem representativa nos surtos de Síndrome Gripal em locais fechados, além do público privado de liberdade e adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa restritiva ou privativa de liberdade, mediante a apresentação de sintomas”, elencou.

Ainda foram abordadas as recomendações sobre grupos prioritários para utilização de testes rápidos, conforme Nota Técnica nº 47/2020 do COES Minas Covid-19; fluxo assistencial do CIEVS Minas para assintomáticos com teste laboratorial positivo e sintomáticos após o 8º dia de sintomas; e monitoramento de contatos próximos identificados, conforme Nota Técnica 52/2020 do COES Minas Covid-19 e informações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Os encontros também contaram com a participação da referência técnica em Imunização da Regional, Thiany Silva Oliveira, que enfatizou que a questão da imunização, mesmo integrada à área de Vigilância Epidemiológica, tem um viés prático junto à Atenção Primária. “É preciso darmos continuidade a esse tipo de assistência, porque temos outras doenças além da covid-19, levando-se em conta todas as dificuldades que as salas de vacina apresentam nesse cenário de pandemia. Ainda existem surtos ativos de sarampo no Brasil e é preciso reforçar a Campanha Nacional de Sarampo, que foi prorrogada até o dia 31 de agosto, contemplando o público de 20 a 49 anos de idade”, recomendou.

A última etapa da reunião contou a participação da diretora de Promoção à Saúde da SAPS, Daniela Campos, e da referência técnica em tabagismo, Nayara Resende Pena, como forma de contribuição e suporte do Nível Central às equipes de APS das Unidades Regionais de Saúde e municípios para o enfrentamento à covid-19.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 18:05:15 +0000
Governo de Minas encaminha mais 10 respiradores para a macrorregião do Jequitinhonha https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13100-governo-de-minas-encaminha-mais-10-respiradores-para-a-macrorregiao-do-jequitinhonha https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13100-governo-de-minas-encaminha-mais-10-respiradores-para-a-macrorregiao-do-jequitinhonha

A macrorregião Jequitinhonha recebeu, na tarde dessa quarta-feira (1/7), mais 10 respiradores e demais equipamentos para reforçar o atendimento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Caridade de Diamantina, que é a referência para atendimento a pacientes Covid-19 na região.

Divulgação Santa Casa

De acordo com o diretor administrativo da Santa Casa de Caridade de Diamantina, Dalgésio João dos Santos, no início da próxima semana, os técnicos chegam à Diamantina para iniciar a montagem dos equipamentos. “Ficou acertado que na próxima terça-feira (7/7), a empresa especializada vai iniciar a montagem, calibragem e testes dos novos equipamentos. Além disso, nossa equipe médica passará por treinamento para operar os novos respiradores”, informou.

“Com a habilitação dos novos leitos, a macrorregião Jequitinhonha aumenta em mais 62,5% a sua capacidade de atendimento para pacientes que irão necessitar de ventilação mecânica”, ressaltou a superintendente da Regional de Saúde de Diamantina, Cleya da Silva Santana Cruz.

Os 10 equipamentos que chegaram para atender a macrorregião Jequitinhonha fazem parte dos 500 respiradores anunciados pelo governador Romeu Zema, no dia 16 de junho. Desse total, 420 foram adquiridos com recursos da Ação Civil Pública movida pela Advocacia-Geral do Estado (AGE) contra a Samarco e suas controladoras (Vale e BHP) e 80 foram cedidos pelo governo federal.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 17:56:54 +0000
Equipe do CIEVS realiza visita de apoio ao combate e prevenção à Covid-19 em instituições de Muriaé https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13099-equipe-do-cievs-realiza-visita-de-apoio-ao-combate-e-prevencao-a-covid-19-em-instituicoes-de-muriae https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13099-equipe-do-cievs-realiza-visita-de-apoio-ao-combate-e-prevencao-a-covid-19-em-instituicoes-de-muriae

Uma equipe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) visitou a cidade de Muriaé, na região da Zona da Mata, nessa quarta-feira (1/7), com o intuito de auxiliar instituições locais no combate à Covid-19. A ação foi coordenada juntamente com a equipe da Regional de Saúde de Ubá (GRS Ubá). Pela manhã, foi realizado um alinhamento com os representantes da Secretaria Municipal de Saúde de Muriaé e, na parte da tarde, foram feitas visitas à penitenciária local; à instituição de longa permanência para idosos Lar Ozanam; ao Hospital São Paulo e à Casa de Saúde Santa Lúcia.

WhatsApp Image 2020-07-01 at 14.37.47

De acordo com Boletim Epidemiológico de hoje da SES-MG (3/7), Muriaé já registra 883 casos confirmados da Covid-19 e 23 óbitos. “A equipe do CIEVS é o órgão coordenador das situações de crise que ocorrem no estado, sendo responsável pelo acompanhamento dos agravos, por isso ter essa aproximação com a realidade local é imprescindível para conseguirmos dar respostas adequadas às demandas que verificamos in loco, como o aumento de casos confirmados e o crescimento do número de óbitos”, relatou o ponto focal da Covid-19, Fábio Ribas, que, também, estava acompanhado da referência técnica em Rede de Urgência e Emergência, France Coelho, ambos da Regional de Ubá.

A evolução da pandemia do novo coronavírus propõe uma situação dinâmica, sendo necessária a troca de informações e experiências o que é de máxima importância para um enfrentamento eficiente. “A cidade de Muriaé tem registrado um aumento nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTI’s), nas últimas semanas, causado por internações decorrentes da Covid-19. Estamos solicitando, junto ao Estado de Minas Gerais, o envio de respiradores, para aumentar a capacidade de atendimento. Porém, sabemos que o mais importante, agora, é essa aproximação com as instituições para reforçar as medidas preventivas. A vinda da equipe do CIEVS auxiliou muito no esclarecimento das melhores posturas a serem adotadas para continuarmos salvando vidas”, pontuou a diretora da regional de saúde de Ubá, Aline de Almeida Prado.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 17:27:56 +0000
Governo de Minas entrega respiradores a hospitais em Belo Horizonte https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13097-governo-de-minas-entrega-respiradores-a-hospitais-em-belo-horizonte https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13097-governo-de-minas-entrega-respiradores-a-hospitais-em-belo-horizonte

Governo do Estado entregou, nesta sexta-feira (3/7), 28 novos respiradores ao município de Belo Horizonte para atendimento aos pacientes da covid-19 na capital. Do total, 18 foram destinados para a Santa Casa e dez para o Hospital da Baleia. Na semana que vem serão entregues outros 12 aparelhos ao Hospital Eduardo de Menezes.

Crédito: Andre Cruz

“Os novos respiradores se somam a outros 36, já disponibilizados para a Rede Fhemig em Belo Horizonte. No que depender do meu governo, não faltará atendimento para nenhum mineiro”, garante o governador Romeu Zema.

Os ventiladores vão integrar o sistema de atendimento a pacientes com covid-19 na capital e se somam a outros 36 respiradores que já haviam sido destinados a hospitais em Belo Horizonte. 

Distribuição

O Governo de Minas já recebeu cerca de 600 novos respiradores, a maior parte deles já distribuída pelas macrorregiões de Saúde. O restante continua sendo encaminhado, semanalmente, para hospitais no estado.

A ação faz parte do conjunto de medidas de enfrentamento à doença em Minas Gerais, que inclui ainda a ampliação de leitos de UTI em todo o território. 

Neste momento, a rede pública estadual conta com 3.234 leitos disponíveis para atender aos pacientes das formas mais graves da covid-19, o que representa  56% a mais do que em fevereiro, antes do início da pandemia. 

Casos 

Nesta sexta-feira (3/7), segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Minas registra 53.341 casos confirmados da doença, sendo que 20.559 pessoas estão em acompanhamento e outras 31.682 se recuperaram. E foram confirmadas 1.110 mortes por coronavírus.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 15:55:09 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 03/07/2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13096-informe-epidemiologico-coronavirus-03-07-2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13096-informe-epidemiologico-coronavirus-03-07-2020

Até o momento foram 53.351 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 20.559 casos e são 31.682 casos recuperados***. Estão confirmados 1.110 óbitos. São 6.110 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,1%.

O elevado número de casos notificados nas últimas 24h deve-se à modificação na metodologia de coleta de dados, o que permitiu atualizar a situação epidemiológica dos municípios com o total de casos acumulados até hoje. Ressalta-se, portanto, que o número apresentado não retrata a ocorrência de casos nas últimas 24h, mas a atualização dos dados até então não informados pelos municípios.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por COVID-19.

**Casos em acompanhamento: Casos confirmados de Covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de Covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para Covid-19.

Dos óbitos notificados (N=2.561): 1.110 foram confirmados, 216 encontram-se em investigação e 1.239 foram descartados para Covid-19.

Sobre casos suspeitos: Conforme nova definição de caso preconizada pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais - SES, os casos anteriormente definidos como “suspeitos” passam a ser registrados nos sistemas oficiais de notificação como Síndrome Gripal Inespecífica, por não preencherem, em sua integralidade, critério para investigação laboratorial. Esses casos permanecerão sob acompanhamento das vigilâncias epidemiológicas estadual e municipal, mas deixam de ser tratados como casos suspeitos de COVID-19 e passam a ser tratados como síndromes respiratórias de interesse à saúde.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 03/07/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Clique aqui e acesse o Quadro Resumo – óbitos Covid-19 / MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o informe detalhado clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 10:11:42 +0000
Pandemia altera rotina do SAMU do Triângulo do Norte https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13095-pandemia-altera-rotina-do-samu-do-triangulo-do-norte https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13095-pandemia-altera-rotina-do-samu-do-triangulo-do-norte

Há exatamente dois anos, quando o Serviço de Atenção Móvel de Urgência (SAMU 192) do Triângulo do Norte começou a funcionar, o cenário assistencial não era o mesmo dos últimos quatro meses. O atendimento por causas clínicas teve um aumento percentual representativo no total das ocorrências registradas no último trimestre, conforme podemos perceber no gráfico abaixo sobre as 333 chamadas recebidas de pessoas com suspeita de coronavírus, representando 10% das ligações por causas clínicas.

Crédito: Beto Oliveira

Uma dessas ocorrências com encaminhamento para unidades de saúde, é do morador da zona rural de Patrocínio, Sílvio Queiroz Filho, 73 anos. Ele foi transportado pelo SAMU, no início de abril, para a Santa Casa de Misericórdia da cidade, que é um dos pontos de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) na região que faz parte da grade de referência de encaminhamento dos pacientes. Após quinze dias internado, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Sílvio Queiroz Filho foi curado da Covid-19 e, por isso obteve alta da Santa Casa, no dia 18/4.

Avanços do SAMU do Triângulo do Norte

Para a implantação do SAMU 192 na região do Triângulo do Norte, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) investiu recursos para a aquisição de equipamentos e ambulâncias. Referente à manutenção das atividades, a SES-MG assumiu o compromisso financeiro de 90% do custeio (parte estadual e federal) do serviço, por 17 meses. A partir de dezembro de 2019, com a habilitação do SAMU, publicada pelo Ministério da Saúde, a parte estadual de custeio caiu para 67%.

Em abril deste ano, o Ministério da Saúde qualificou a Central de Regulação das Urgências (CRU) do SAMU do Triângulo do Norte, em que é acrescido um repasse anual para a manutenção do custeio da unidade. O próximo passo é a qualificação do SAMU, em que há alteração dos valores de custeio, ou seja, a União assume mais 11,38% do valor que então ainda é arcado pela SES-MG. 

Monte Alegre de Minas, no Triângulo do Norte, é um dos 26 municípios beneficiados com o SAMU. O secretário municipal de saúde de Monte Alegre, Gustavo Vasconcelos Tannús, destaca que o serviço foi essencial para a estruturação da rede assistencial. “A implantação do SAMU organizou e otimizou os atendimentos com equipes qualificadas e veículos apropriados. O município conta com uma unidade de suporte básica, e sempre que necessário, utilizamos o serviço da outra unidade, a de suporte avançado, para realizar as transferências de casos mais complexos. Até mesmo o transporte aéreo já foi utilizado para remoção de pacientes graves. Não vejo hoje, o serviço de urgência e emergência municipal atuar sem o apoio do SAMU”, destacou o secretário.

A coordenadora médica do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência da Macrorregião do Triângulo do Norte (CISTRI), Ítala Reis Alvarenga, diz que é imensurável o ganho para a população com a implantação do SAMU. “A central de regulação das urgências, de onde saem todas as decisões para as equipes de atendimento, garante a vida e evita sequelas permanentes. Esperamos é que esse serviço esteja cada vez mais qualificado e consiga salvar ainda milhares de pessoas em toda a região”, concluiu.

Rede de Urgência e Emergência do Triângulo do Norte

O SAMU é um dos componentes da Rede de Urgência e Emergência, que é composta também por pontos de atenção, como: hospitais, pronto atendimentos, unidades básicas de saúde e centros de atenção psicossocial. A região ampliada de saúde do Triângulo do Norte teve seu plano aprovado pela SES/MG em 2018. Desde então, além do Ministério da Saúde habilitar o SAMU, houve outros dois componentes com aporte financeiro publicados: o Serviço de Atenção Domiciliar (SAD), criando novas equipes em cinco municípios e o Componente Hospitalar, em que contempla quatro hospitais da região e qualifica 67 leitos de UTI adulto e pediátrico, nessas instituições.

O superintendente regional de saúde de Uberlândia, Marcelo José Pires Ferreira, reforça que a rede assistencial SUS na macrorregião tem sido fortalecida e a adesão de todos os municípios se faz necessária para consolidar as políticas públicas de saúde. “Além da estruturação e expansão dos serviços da Rede de Urgência e Emergência, nos últimos três meses, tivemos um incremento de 60 novos leitos de UTI na região. São esforços conjuntos dos entes federados para beneficiar a população de toda a região ampliada de saúde. Avançamos, mas ainda temos muito a avançar para deixar um legado e impactar na qualidade de vida das pessoas”, pontuou o superintendente.

Dois anos de Samu Triângulo Norte em números

Municípios que fazem parte: Abadia dos Dourados, Araguari, Araporã, Cachoeira Dourada, Campina Verde, Canápolis, Capinópolis, Cascalho Rico, Centralina, Coromandel, Douradoquara, Estrela do Sul, Grupiara, Gurinhatã, Indianópolis, Ipiaçu, Iraí de Minas, Ituiutaba, Monte Alegre de Minas, Monte Carmelo, Nova Ponte, Patrocínio, Prata, Romaria, Santa Vitória e Tupaciguara.

]]>
Banco de notícias Fri, 03 Jul 2020 09:44:29 +0000
Teleconsultas: atendimento virtual para pacientes do SUS MG https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13094-teleconsultas-atendimento-virtual-para-pacientes-do-sus-mg https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13094-teleconsultas-atendimento-virtual-para-pacientes-do-sus-mg

A ESP-MG realizará no dia 08 de julho, próxima quarta-feira, às 17h30, o Webinário “Teleconsultas: Atendimento Virtual para Pacientes SUS MG”. No evento, as convidadas debaterão o projeto de telemedicina do estado para enfrentamento à Covid-19, as principais estratégias, desafios e acesso pela população.

A transmissão será realizada pelo Canal da ESP-MG no Youtube.

Saiba mais em: https://bit.ly/3govpIe

Acesse e inscreva-se no canal para não perder os webinários da instituição: youtube.com/c/escolasaudepublicamg

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 22:49:58 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13093-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13093-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário adjunto de Saúde Marcelo Cabral respondem perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta sexta-feira (3/7), às 12h30‬.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais (Instagram e Facebook) do Governo de Minas.

Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/ e pela rádio Inconfidência, AM 880.

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

- As perguntas devem ser enviadas até as 10h30, desta sexta-feira (3/7), para o secretário de Saúde pelo e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br.

- Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Serviço:
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais
Data: 3/7/2020 (sexta-feira)
Horário: ‪12h30‬
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)
Transmissão via redes sociais: Instagram - https://instagram.com/governomg
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 22:47:31 +0000
Dia do Hospital marca papel social do sistema público de saúde https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13092-dia-do-hospital-marca-papel-social-do-sistema-publico-de-saude https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13092-dia-do-hospital-marca-papel-social-do-sistema-publico-de-saude

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o hospital é um organizador de caráter médico-social, que deve garantir assistência médica curativa e preventiva para a população. Atenção às enfermidades por meio de diagnóstico, tratamento, reabilitação e atendimento de emergências fazem parte da rotina hospitalar para garantir melhoria na condição de saúde individual e coletiva. Em Minas Gerais, o Dia do Hospital é razão de celebração para a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), uma das maiores redes de saúde pública do país, com média de 4 mil internações e de 13.600 consultas e atendimentos de urgência/mês, nas unidades da rede.
Fundada em 1977, a Fhemig conta com 20 unidades que incluem um dos maiores prontos-socorros da América Latina (João XXIII) – por onde passam, em média, oito mil atendimentos mensais de urgência – e, ainda, complexo de saúde mental, hospitais de referência e o sistema estadual de transplantes. Por conta de sua estrutura robusta, a Fhemig é uma das instituições mais procuradas por candidatos à residência médica e multiprofissional.
Em mais de 40 anos de existência, a Fhemig desempenha, também, importante papel social, participando de processos históricos, entre eles o marco zero da reforma psiquiátrica; a transformação dos sanatórios em casas de saúde voltadas para a reabilitação e cuidado ao idoso e a reintegração social de pacientes de tuberculose e hanseníase. A instituição possui ainda papel de destaque em pesquisa e é um dos grandes centros formadores de profissionais de saúde pública no Estado.
A instituição é uma das maiores gestoras de hospitais públicos do país e tem como competência prestar serviços de saúde e assistência hospitalar de importância estratégica estadual e regional por meio de unidades assistenciais organizadas e integradas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Também cabe à Fhemig participar da formulação, acompanhamento e avaliação da política de gestão hospitalar, em consonância com as diretrizes definidas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).
Reconhecida nacionalmente por sua excelência na assistência à saúde em serviços prestados à população mineira, a Fhemig conta com 13 mil profissionais distribuídos em Belo Horizonte, região metropolitana e no interior do Estado e é, sem dúvida, referência para a população quando o assunto também é confiança.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 20:35:45 +0000
Inscrições abertas para novo curso da ESP-MG: “Atenção Primária à Saúde no enfrentamento da covid-19” https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13091-inscricoes-abertas-para-novo-curso-da-esp-mg-atencao-primaria-a-saude-no-enfrentamento-da-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13091-inscricoes-abertas-para-novo-curso-da-esp-mg-atencao-primaria-a-saude-no-enfrentamento-da-covid-19

A Escola de Saúde Pública do Estado Minas Gerais (ESP-MG) abre inscrições para novo curso: “Atenção Primária à Saúde no enfrentamento da covid-19”. Ofertada na modalidade Educação a Distância (EaD), a formação é direcionada para gestores e profissionais atuantes na Atenção Primária à Saúde (APS).

Incialmente serão disponibilizadas 1.000 vagas e os interessados poderão se inscrever até dia 12 de julho de 2020.

O curso
Organizado pela Assessoria de Educação a Distância e a Coordenação de Planejamento, Política e Gestão em Saúde da ESP-MG, o curso será realizado no ambiente virtual de aprendizagem, no formato autoinstrucional (sem tutoria), com certificação para alunos concluintes.

A proposta da formação é subsidiar gestores e profissionais com experiência na Atenção Primária à Saúde em relação à reorganização de processos de trabalho no âmbito da APS, frente ao contexto da epidemia da Covid-19.

A carga horária do curso será de 30 horas, organizadas em três módulos temáticos:
1 - Entendendo sobre a transmissão e a prevenção do novo coronavírus: o que cabe à APS?;
2 - Como as equipes da Atenção Primária à Saúde podem se organizar para lidar com os casos suspeitos de covid-19?;
3 - Como organizar as equipes da APS para a continuidade do cuidado à população durante a pandemia?

Inscrições:
Podem se inscrever para o curso profissionais, de qualquer nível de formação, que atendam aos seguintes requisitos:
• Possuir experiência na Atenção Primária à Saúde;
• Residir no Estado de Minas Gerais.

A inscrições serão realizadas por meio do preenchimento de Formulário Eletrônico até dia 12/07/2020. Acesse pelo site da ESP-MG: https://bit.ly/2ZbqG5v

As vagas serão preenchidas pela ordem de chegada das inscrições válidas. O início do curso para as primeiras turmas está previsto para a segunda quinzena de julho de 2020.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 18:51:24 +0000
Programa “Medicamento em Casa” é ampliado na Região Metropolitana do Vale do Aço https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13090-programa-medicamento-em-casa-e-ampliado-na-regiao-metropolitana-do-vale-do-aco https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13090-programa-medicamento-em-casa-e-ampliado-na-regiao-metropolitana-do-vale-do-aco

O Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF) da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano anuncia a ampliação do “Medicamento em Casa”. A partir desta quinta-feira (2/7), o programa passa a contemplar também os portadores de Hepatite B, Hipertensão Pulmonar, Dislipidemia e Osteoporose, além dos pacientes de asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Na Região Metropolitana do Vale do Aço (RMVA), o NAF realizou 178 entregas até a última quinta-feira (25/6), atendendo à meta estipulada, percorrendo uma distância de 790 quilômetros.

Crédito: Flávio Samuel

O foco principal da iniciativa, segundo a coordenadora do NAF, Fabyanna Horta Drumond, é proteger os pacientes do grupo de risco da covid-19, visto que a entrega dos medicamentos em domicílio é uma estratégia que evita o contato com ambientes externos, ajudando na redução do fluxo de pessoas e aglomerações. “A entrega desses medicamentos, que são do componente especializado da Farmácia de Minas, ajuda a diminuir o número de pessoas frequentando o NAF e também reduz a circulação pelas ruas das cidades. Em princípio, o programa atenderia 312 pacientes. A projeção agora é que o número de pacientes atendidos pelo programa no Vale do Aço chegue a 412 neste mês de julho e 600 no mês de agosto”, explicou Drumond.

O Medicamento em Casa é uma ação do Governo de Minas, desenvolvida pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), em parceria com o aplicativo 99 táxi e com a Defesa Civil estadual, que beneficia pacientes das cidades de Coronel Fabriciano, Ipatinga, Timóteo e Santana do Paraíso, - RMVA, além de Juiz de Fora, Belo Horizonte, Uberlândia, Divinópolis, Teófilo Otoni e Pouso Alegre.

Orientações

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) reforça a orientação de que os pacientes que não receberem ligações de agendamento devem comparecer normalmente às farmácias regionais. Já para aqueles que fazem parte do grupo de risco, a orientação é utilizar o modelo de declaração autorizadora disponível no site, para designar um procurador que possa retirar o medicamento em nome do paciente.

Para que a entrega seja efetivamente realizada, é necessário que o paciente esteja com o cadastro atualizado. A atualização pode ser feita por meio dos canais de atendimento: WhatsApp (31) 98282-4324 ou pelo e-mail medicamentoemcasa@saude.mg.mg.gov.br.

Assistência Farmacêutica no Vale do Aço

O Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF) da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano é referência nos serviços farmacêuticos para toda a população dos 35 municípios da Macrorregião de Saúde do Vale do Aço.

Em 2019, o NAF Regional de Saúde de Coronel Fabriciano realizou 67.299 atendimentos, dispensou 2.260.501 unidades de medicamentos do Componente Especializado, 1.539 novos processos foram deferidos e 3.455 novos processos de medicamentos foram abertos. A média de atendimentos diários é de aproximadamente 190 usuários.

Clique aqui e acesse a lista dos medicamentos contemplados.215.86 KB

 

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 18:17:31 +0000
Jovens do sistema socioeducativo de Patrocínio produzem máscaras de proteção contra o coronavírus https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13088-jovens-do-sistema-socioeducativo-de-patrocinio-produzem-mascaras-de-protecao-contra-o-coronavirus https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13088-jovens-do-sistema-socioeducativo-de-patrocinio-produzem-mascaras-de-protecao-contra-o-coronavirus

Quatro adolescentes do Centro Socioeducativo de Patrocínio, na região do Alto Paranaíba, estão aprendendo a costurar máscaras de tecido para a prevenção da covid-19. Os itens serão utilizados pelos servidores da unidade e pelos próprios adolescentes.

Crédito: Divulgação/Sejusp

A produção começou há pouco mais de 15 dias. Já foram confeccionadas 326 máscaras, com auxílio de duas máquinas de costura. Além de contribuir para a prevenção ao vírus, os ensinamentos podem, ainda, garantir uma profissão aos garotos quando deixarem a unidade. “Vamos levar os conhecimentos aprendidos por bastante tempo, além de mostrar para a sociedade que sabemos fazer muitas coisas. Quero trabalhar com costura quando voltar para a casa”, conta Arthur*.

A oficina de corte e costura está sendo desenvolvida pelos próprios servidores da unidade. A auxiliar de serviços gerais Irene Salviano e a terapeuta ocupacional Maraiza Ribeiro repassam a teoria e a prática para os jovens, com suporte dos agentes socioeducativos, responsáveis pelo processo de segurança. A ideia é que, após a pandemia, o trabalho com o segmento têxtil continue.

Crédito: Divulgação/Sejusp

“A oficina de máscaras permite a utilização de espaços ociosos na unidade, melhora a autoestima, proporciona autonomia, além de preparar os jovens para a ressocialização e qualificá-los para o mercado de trabalho”, afirma Maraiza, que destaca que os participantes estão empenhados na produção. Segundo o diretor-geral do Centro Socioeducativo de Patrocínio, Ronaldo de Oliveira, a adesão foi grande. “Além dos adolescentes, todos os servidores estão envolvidos no projeto e querendo ajudar de alguma forma”. 

Estado

A produção de máscaras no sistema socioeducativo de Minas Gerais começou na unidade de Sete Lagoas, no fim de abril, com material descartável. Deste então, outras oito unidades, além de Patrocínio, iniciaram o projeto com tecido 100% algodão.

Mais de 23 mil máscaras já foram produzidas nos centros socioeducativos de Sete Lagoas, Ribeirão das Neves, Divinópolis, Unaí, Uberlândia, São Jerônimo, Santa Terezinha e Santa Clara (em Belo Horizonte) e Patrocínio. Nos próximos dias, a produção se expandirá para Uberaba e Patos de Minas.

*Nome fictício para preservar a identidade do adolescente, conforme recomendação do Estatuto da Criança e do Adolescente.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 17:03:59 +0000
Hemocentro de Montes Claros não abre nesta sexta-feira https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13087-hemocentro-de-montes-claros-nao-abre-nesta-sexta-feira https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13087-hemocentro-de-montes-claros-nao-abre-nesta-sexta-feira

A Fundação Hemominas em Montes Claros informa que devido ao feriado municipal nesta sexta-feira, 3 de julho (aniversário da cidade), a unidade não funcionará para atendimento aos candidatos à doação de sangue.

O Hemocentro volta a funcionar normalmente na segunda-feira, 6 de julho.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 16:02:22 +0000
Macrorregião de Saúde do Norte de Minas recebe mais de R$ 163,7 milhões para enfrentamento à covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13086-macrorregiao-de-saude-do-norte-de-minas-recebe-mais-de-r-163-7-milhoes-para-enfrentamento-a-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13086-macrorregiao-de-saude-do-norte-de-minas-recebe-mais-de-r-163-7-milhoes-para-enfrentamento-a-covid-19

Os 86 municípios que compõem a macrorregião de saúde do Norte de Minas são contemplados com o repasse de mais uma parcela de recursos superiores a R$ 163,7 milhões. O montante será destinado ao custeio de ações e serviços de saúde para o enfrentamento da emergência em saúde pública, decorrente da pandemia da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Os recursos estão sendo liberados por meio da Portaria 1.666, publicada nesta quarta-feira, 1º de julho, pelo Ministério da Saúde. Somando os atuais valores com recursos disponibilizados anteriormente por meio de outras quatro portarias do Ministério da Saúde e do Governo do Estado, o Norte de Minas contabiliza o recebimento de R$ 220,7 milhões.

Crédito: ASCOM / Montes Claros

A Portaria 1.666 estabelece que a aplicação dos recursos pode abranger o custeio de serviços da atenção primária e especializada em saúde; assistência farmacêutica; vigilância em saúde; compra de suprimentos, insumos, produtos hospitalares e o custeio do procedimento de tratamento de infecção pelo novo coronavírus.

Os critérios para o repasse de recursos aos municípios levaram em consideração o número de habitantes em cada localidade; valores de produção de serviços em média e alta complexidade registrados nos sistemas de informação ambulatorial e hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS) e os valores transferidos aos municípios, em 2019, relativos ao Piso de Atenção Básica (PAB).

A superintendente regional de saúde de Montes Claros e coordenadora do Centro de Operações de Emergência em Saúde do Norte de Minas (COES), Dhyeime Thauanne Pereira Marques entende que “o trabalho conjunto implementado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Ministério da Saúde, Conselho de Secretários de Saúde de Minas Gerais (Cosems), gestores municipais e pela Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça e Defesa da Saúde da Região Macro Norte se constitui instrumento de ação de fundamental importância para enfrentamento da pandemia da covid-19, sobretudo no que se refere à adequação dos serviços para atendimento dos pacientes que vierem a ser infectados pelo novo coronavírus”.

Nesse contexto, completa a superintendente, “a disponibilização de recursos financeiros para custeio das ações dos municípios e hospitais é fator de primordial importância para assegurar a manutenção dos serviços de saúde e, consequentemente, o atendimento das demandas da população”.

De acordo com a Portaria 1.666, os municípios que compõem a macrorregião de saúde do Norte de Minas que estão recebendo maior aporte de recursos financeiros são: Montes Claros (R$ 33,8 milhões); Janaúba (R$ 8,3 milhões); Taiobeiras (R$ 7,3 milhões); Pirapora (R$ 6 milhões); Salinas (R$ 5,6 milhões); Brasília de Minas (R$ 5 milhões); Monte Azul (R$ 4,4 milhões); Bocaiúva (R$ 3,7 milhões); Coração de Jesus (R$ 3,6 milhões); Francisco Sá (R$ 3,4 milhões); São João da Ponte e Porteirinha (R$ 3,3 milhões, para cada localidade); Várzea da Palma e Manga (R$ 3,2 milhões para cada município) e Januária (R$ 3 milhões)

Também recebem maior aporte de recursos os municípios de Buritizeiro (R$ 2,8 milhões); Jaíba e Espinosa (R$ 2,6 milhões para cada localidade); Grão Mogol, Varzelândia e Rio Pardo de Minas (R$ 2,5 milhões para cada município); São João do Paraíso (R$ 2,4 milhões) e Itacarambi (R$ 2,1 milhões). Já com o recebimento de valores superiores a R$ 1 milhão estão: Bonito de Minas, Capitão Enéas, Indaiabira, Matias Cardoso, Mato Verde, Mirabela, Montalvânia, Montezuma, Ninheira, Pedras de Maria da Cruz, São Francisco, São João das Missões, Ubaí, Verdelândia, Urucuia e Santo Antônio do Retiro. Os municípios integram as áreas de atuação da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros e às gerências regionais de saúde de Januária e Pirapora.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 15:23:26 +0000
Hospital de Patos de Minas abre 135 vagas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13085-hospital-de-patos-de-minas-abre-135-vagas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13085-hospital-de-patos-de-minas-abre-135-vagas

A Fhemig abre nesta quarta-feira (1/7) as inscrições para o preenchimento de 135 vagas para contratação imediata e temporária no Hospital Regional Antônio Dias, em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. O prazo termina na sexta-feira (3/7).

Os profissionais selecionados irão atuar na linha de frente de atendimento aos casos de covid-19. Clique aqui para acessar o edital e mais informações.

Os vencimentos básicos do chamamento emergencial variam entre R$ 1,3 mil a R$ 9 mil e são oferecidas vagas para médicos, fisioterapeutas respiratórios, assistentes sociais, bioquímico, farmacêutico, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnico em patologia clínica, técnico em farmácia, técnico em radiologia e auxiliares administrativos (veja na tabela abaixo).

Quadro de vagas e vencimentos báscios - Chamamento Emergencial HRAD

content quadro vagas fhemig

 

(*) Os vencimentos básicos são acrescidos de vantagens inerentes à função exercida e ao local de atuação, a serem informadas no processo de contratação.

]]>
Banco de notícias Thu, 02 Jul 2020 13:54:31 +0000