Banco de notícias https://www.saude.mg.gov.br:443 Thu, 04 Jun 2020 13:11:11 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Secretário de Estado de Saúde explica projeções para covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12861-secretario-de-estado-de-saude-explica-projecoes-para-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12861-secretario-de-estado-de-saude-explica-projecoes-para-covid-19-em-minas-gerais

As equipes da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) atualizam semanalmente as projeções relacionadas à covid-19 no estado. E, nesta quarta-feira (03/06), em coletiva virtual realizada na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, explicou alguns pontos sobre esse trabalho.

Fotos: Gil Leonardi

De acordo com o secretário, no início de março, tinha-se um banco de dados com os casos registrados no Brasil, bem como a tendência nacional no que se referia à pandemia. Como Minas Gerais ainda não apresentava um número significativo de casos de covid, era feita uma projeção baseada no número de casos do Brasil, mas com a população de Minas Gerais. “Isso nos dava uma ideia do quantitativo de casos que nós teríamos e também do momento em que teríamos o pico da doença. Posteriormente, passamos a fazer um ajuste semanal nessas análises e, tal ajuste nos trouxe uma interferência grande, que foi o isolamento praticado em Minas Gerais. Essa estratégia mudou consideravelmente a quantidade de casos projetados e também a data em que teríamos pico da doença”, pontua Carlos Eduardo Amaral.

Com o passar do tempo, Minas Gerais passou a ter um quantitativo de casos mais significativo, o que tornou possível uma análise mais precisa do cenário mineiro. “Dessa forma, começamos a acompanhar Minas Gerais com a tendência dos casos de Minas Gerais. Ou seja, a população do estado dentro de uma tendência mineira. Então, nós passamos a ter outras projeções, mais precisas e mais confiáveis que as anteriores, uma vez que era mais específica para o estado”, esclarece o Secretário de Estado de Saúde.

Atualmente, é feito um acompanhamento predominantemente da projeção de Minas Gerais, com a tendência Minas Gerais. De acordo com Carlos Eduardo Amaral, neste contexto, a estimativa de pico é para meados de julho. “As projeções são uma importante ferramenta de gestão, pois nos dão uma ideia de onde e quando devemos interferir.

Ampliação da testagem

No que se refere à testagem para covid-19, há a rede pública e privada. Carlos Eduardo Amaral explica que na rede pública existe um rigor quanto à indicação para testagem. Atualmente, enquadram-se nessa indicação os casos de pessoas que ficaram internadas com suspeita da covid, casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) ou de pessoas internadas em terapia intensiva com suspeita da covid, profissionais da saúde, profissionais da segurança pública, restritos de liberdade, asilados e a população indígena.

Já na rede privada, não há indicações dessa forma. Além de atender hospitais privados, os laboratórios particulares também atendem à demanda espontânea de consultórios que apresentam a solicitação da testagem. “Por isso, naturalmente, a rede privada tende a ter um espectro maior de testagem. Hoje, nós temos testados na rede pública 22.443 casos e, na rede privada, 28.823 casos. Entendemos ser possível que a rede privada continue aumentando o número de testes, uma vez que contam com uma flexibilidade maior no sentido da indicação para testagem”, pontua o Secretário de Estado de Saúde.

Ainda de acordo com Carlos Eduardo Amaral, a rede pública vem ampliando as indicações de testagem. “Inicialmente, não havia indicação para todos os profissionais da segurança pública (apenas para os sintomáticos), para os restritos de liberdade e para os asilados. Então, à medida que tivermos cada vez mais segurança do não desabastecimento de testes, nós iremos ampliando os públicos possíveis de serem testados”, destaca o secretário.

Fotos: Gil Leonardi

Quanto ao aumento registrado no número de casos de covid-19, Carlos Eduardo Amaral pontua que, de fato, Minas Gerais segue num caminho de aumento, uma vez que esse é o curso natural de uma epidemia. “O número de casos somente irá baixar se tivermos um isolamento social muito significativo ou se chegarmos ao topo, quando praticamente 60% da população já tiver sido contaminada, gerando, assim, um mecanismo de barreira através da chamada imunidade de rebanho”.

O Secretário esclarece, ainda, que o aumento de testagem também trouxe um aumento significativo no número de casos confirmados.

Alinhamento entre SES e municípios

Durante a coletiva, o chefe de Gabinete da SES-MG, João Pinho, falou sobre o alinhamento de ações e conduta realizado entre o Estado e os municípios frente à covid-19. “Iniciamos na semana passada uma série de reuniões com as macrorregionais, com o objetivo de sensibilizar cada uma das regiões, e trazê-las para o distanciamento entendido como adequado neste momento. Sabemos que existem realidades locais, mas, nessas conversas, desenvolvemos um direcionamento conjunto e buscamos entender qual a melhor forma de agir frente à situação naquela região de forma mais efetiva”, esclarece João Pinho.

Aplicativo Saúde Digital

Minas Gerais conta, hoje, com serviço de telemedicina, que pode ser acessado através do aplicativo Saúde Digital MG Covid-19. Por meio desse app, o usuário pode fazer uma checagem pessoal baseada em inteligência artificial. Essa checagem servirá para dar uma ideia se é um caso possível de covid ou não. A partir do resultado, o próprio aplicativo já direciona o usuário.

O app, que já está disponível para androides e, a partir da próxima semana, também para IOS, permite que a mesma pessoa faça a checagem mais de uma vez. Isso nos dá um acompanhamento das pessoas.

“Gostaria de pedir que todos baixem o aplicativo e façam uma checagem, uma vez que isso nos dará uma ideia de amostragem importante neste momento”, orienta o Secretário de Estado de Saúde.

]]>
Banco de notícias Wed, 03 Jun 2020 17:06:43 +0000
Saúde explica sobre fluxo de gestão de leitos em relação à Covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12854-saude-explica-sobre-fluxo-de-gestao-de-leitos-em-relacao-a-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12854-saude-explica-sobre-fluxo-de-gestao-de-leitos-em-relacao-a-covid-19

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais apresentou, nesta terça-feira (02/6), durante entrevista coletiva virtual, o panorama epidemiológico da Covid-19 no Estado. Segundo Informe Epidemiológico publicado na manhã de hoje, 10.939 casos foram confirmados para a doença, dos quais 5.532 encontram-se em acompanhamento, outros 5.118 são de pessoas recuperadas. Há 289 mortes confirmadas. O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, ainda prestou esclarecimentos sobre a possibilidade de transferência de pacientes de uma Macrorregião Sanitária para outra, por eventual alta demanda por internações.

Crédito: Pedro Gontijo

“Uma vez que nós consideramos que o sistema de saúde é único e nós podemos migrar com pacientes conforme a demanda, ou seja, se nós estivermos com uma região com uma ocupação muito grande, nós temos condição de lançar mão de fazer o encaminhamento desses pacientes para outras regiões”, explicou o secretário.

Carlos Eduardo Amaral ainda apresentou os dados por taxa de ocupação de leitos em Minas. No momento, estão cadastrados no SUS Fácil e com produção 12.026 leitos clínicos e 2.695 leitos de UTI. Há 266 pacientes internados em leitos de UTI, em decorrência da Covid-19 ou por suspeita da doença e a taxa de ocupação está em 9,87%. Em relação aos leitos clínicos, são 738 pessoas internadas em decorrência da Covid-19, ou por suspeita da doença e a taxa de ocupação está em 6,14%. A taxa de ocupação geral de leitos de UTI está em 69,91% e de leitos clínicos está em 68,43%.

Amaral adicionou que, em decorrência da dinâmica hospitalar, com trocas de turnos, podem ocorrer algumas distorções, o que demanda trabalho de refinamento das informações para apuração das taxas. “Às vezes, o paciente já teve alta hospitalar ou já teve alta da terapia intensiva, mas não foi lançada no sistema e isso às vezes traz uma confusão do ponto de vista interpretativo. Isso com certeza, se vocês acompanharem, às vezes verão que tem alguns leitos com uma ocupação muito grande. Então, nesse sentido, nós precisamos sempre tratar quando há alguma sinalização”, afirmou.

Para o gestor, de forma geral, o que configuraria um ponto de alerta seria quando se verifica uma taxa de ocupação que passe a casa dos 90%, com permanência nesse patamar. “Ultrapassando esse número, com a taxa de ocupação ficando fixa nessa casa, se não tiver um outro motivo que possa justificar o índice, ou seja, se for verificada efetivamente uma demanda crescente, isso sim nos chama atenção no sentido de nós passarmos para outras fases do plano de contingência. Nesse contexto, havendo necessidade, nós podemos transportar pacientes com a Covid-19 ou pacientes com outras doenças no sentido de desocupar o leito para tratamento”.

Com relação aos testes, o secretário comentou que a partir da distribuição dos testes rápidos, muitos municípios aumentaram consideravelmente a testagem, fator que trouxe um grupo grande de diagnósticos. Carlos Eduardo Amaral ainda informou que a SES-MG está desenvolvendo estudos em conjunto com Fundação Hemominas, de forma que a testagem na população tenha viabilidade de ser ampliada. “Temos avaliado técnicas para poder amplificar muito essa testagem. De uma forma geral, o que nós temos de orientação, nesse momento, é manter esses grupos com o objetivo de nós termos uma ideia do que fazer caso seja um caso positivo, ou do ponto de vista assistencial ou do ponto de vista de confirmação de óbito. Para nós, essa confirmação das mortes é o dado que mais demonstra o estágio da epidemia no estado”, alegou.

Gripe

O secretário ainda anunciou que a campanha de vacinação contra a Gripe conseguiu ultrapassar a meta de cobertura geral de 90% alcançando, neste momento, 90,45% da população alvo, com 6.357.634 pessoas imunizadas. Amaral comentou que, mesmo assim, é necessário prosseguir com a imunização, para ampliação das coberturas nos grupos dos indígenas, puérperas, pessoas de 55 a 59 anos, crianças e gestantes. “É bom que nós continuemos, quem não foi vacinado que ainda procure as unidades de saúde, porque para nós quanto maior a vacinação, maior a cobertura, maior a segurança e menor a confusão em relação ao diagnóstico da Covid com a H1N1”.

Mobiliza Minas

Durante a entrevista coletiva, foi feito o lançamento do aplicativo Mobiliza Minas, disponível para as plataformas iOS e Android. O diretor-presidente da Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais (Prodemge), Rodrigo Paiva, explicou que o objetivo de promover a conexão com entidades assistenciais “para que doações possam chegar aos locais de destino. Com ele o Estado poderá lançar campanhas, por exemplo, campanha do agasalho do Servas para angariar agasalhos e cobertores. O órgão estadual ainda pode cadastrar uma campanha ou evento e estabelecer materiais ou serviços que podem ser doados”.

O secretário Carlos Eduardo Amaral agradeceu o trabalho em parceria com a Prodemge, que no entender do gestor trouxe muitos avanços para a SES. “Estamos em vias de lançar um novo aplicativo que trará benefícios para todos os mineiros”, considerou.

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 17:13:39 +0000
Isolamento continua sendo a principal medida para conter a covid-19 em Minas https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12847-isolamento-continua-sendo-a-principal-medida-para-conter-a-covid-19-em-minas https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12847-isolamento-continua-sendo-a-principal-medida-para-conter-a-covid-19-em-minas

O governador Romeu Zema, juntamente com o secretário de estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, participaram da coletiva virtual na tarde desta segunda-feira (1/6), na Cidade Administrativa. Também esteve presente na coletiva o vice-governador, Paulo Brant, o secretário de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, a secretária de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, e do diretor de Programas Sociais, Serviços e Operações do Sesc em Minas Gerais, Grijalva Duarte. Durante a coletiva, além da atualização do cenário epidemiológico da covid-19 no Estado, houve o lançamento do projeto Arte Salva, rede solidária em prol dos realizadores e empreendedores da cultura e turismo em Minas, durante a epidemia do novo coronavírus.

Foto: Gil Leonardi

Na ocasião, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, apresentou o cenário da doença no Estado e reforçou a importância de seguir as medidas de isolamento para conter a epidemia. “Temos hoje no Estado 10.670 casos confirmados, 5.051 casos em acompanhamento, 5341 casos recuperados. Em relação aos óbitos, foram notificadas 1.241 mortes, destas, 278 confirmadas para a doença, 202 mortes estão em investigação e 761´foram descartadas para a covid-19”, disse.

Ainda conforme o Secretário, “é importante entendermos que o isolamento continua sendo, individualmente, a principal medida de controle desta epidemia. Se não tivermos o isolamento e o crescimento for exponencial dos casos, não tem como a capacidade instalada de nenhum serviço de saúde dar conta da epidemia. Por isso, enfatizamos sempre que o isolamento e o distanciamento são importantes para que todo esforços que estamos fazendo, como adaptar os serviços de saúde, tenham o seu resultado adequado”, afirmou.

Em relação ao número de óbitos confirmados pela doença, o Governador Romeu Zema, em seu pronunciamento, se solidarizou com as famílias que foram acometidas pela covid-19. “Queria lamentar e me solidarizar com as 278 famílias das vítimas da covid-19, número completado ontem no Estado. Reforço que, com o advento da pandemia, o Estado está fazendo o possível. Gostaria de fazer muito mais, mas, os limites orçamentários nos impõem uma série de limitações. Mas, dentro do possível, estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance”, reforçou.

Surtos

Em relação ao acompanhamento de surtos da doença no estado, o secretário informou que a SES-MG acompanha esse fluxo e reforça as orientações aos gestores municipais. De acordo com o secretário, uma epidemia se propaga de duas formas. Uma forma é por meio da propagação continuada, que é aquela caso a caso, onde uma pessoa vai transmitindo para outra. A outra forma é a transmissão de casos pontuais (surtos), onde há transmissão da doença dentro de grupos de pessoas asiladas, agrupadas, dando origem aos surtos. “Nesse segundo caso há um risco maior de transmissão. De uma forma geral, as nossas orientações são no sentido de toda vez que se há um caso diagnosticado, em que a há a suspeita de um surto, esse surto é tratado com isolamento exemplar, ou seja, todas as pessoas envolvidas devem ser isoladas e testadas. Esses casos fazem parte do grupo de testagem mais ampla que adotamos na SES-MG”, explica.

O secretário também ressalta que todas as vezes que a SES-MG identifica um surto, há uma orientação de todos os serviços de saúde da região a proceder um isolamento mais amplo e também acompanhar a evolução dos surtos. “Como em cidades pequenas temos dificuldades de recursos humanos para a implementação de um equipamento de saúde muito amplo, os atendimentos de maior complexidade tendem a ser centralizados em cidades maiores, com leitos e recursos humanos necessários para os atendimentos. Entendemos que, mesmo em cidades pequenas, precisamos cercar o surto, para que não venha sobrecarregar o serviço de saúde de uma microrregião ou macrorregião”, disse.

Taxa de transmissão

O R0 é a taxa utilizada para indicar como a epidemia está evoluindo no estado, ou seja, é um parâmetro para saber se a transmissão tem aumentado ou diminuindo. Esse parâmetro avalia a possibilidade de transmissão do vírus por uma pessoa doente para outra. Segundo o secretário, do ponto de vista do acompanhamento de uma epidemia, se uma pessoa transmite para outra pessoa, matemos o nível de transmissão. Se temos uma pessoa que transmite para menos de uma pessoa, entendemos que essa epidemia está em fase de remissão, desaquecendo. Já por outro lado, se temos uma epidemia que uma pessoa transmite para mais de uma pessoa, entendemos que há uma tendência de crescimento. E, se essa tendência de crescimento estiver acima de 2, temos um crescimento exponencial da doença.

“Em Minas, atualmente a taxa de R0 é de 1,42, ou seja, uma pessoa transmite para 1,42 pessoas. Há uma tendência de crescimento da epidemia no Estado, mas não é um crescimento tão exponencial. Se compararmos ao início de março, quando tivemos o início do isolamento, naquele momento tínhamos a taxa de transmissão de 3,5, ou seja, uma pessoa transmitia o vírus para 3,5 pessoas. Efetivamente, de março até agora, tivemos um decréscimo muito grande da transmissão”, explica.

Em complementação, o secretário informou que o acompanhamento também está sendo realizado de forma regional. “Estamos acompanhando a transmissão por macrorregiões e, aquelas macros que estão com a tendência um pouco maior, estamos entrando em contato com os secretários municipais de saúde e orientando sobre a busca de um isolamento maior, para que tenhamos casos pontuais de redução desse índice”, finaliza.

]]>
Banco de notícias Mon, 01 Jun 2020 16:05:59 +0000
Campanha de Vacinação contra a Influenza é prorrogada em Minas https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12845-campanha-de-vacinacao-contra-a-influenza-e-prorrogada-em-minas https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12845-campanha-de-vacinacao-contra-a-influenza-e-prorrogada-em-minas

A 22º Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza foi prorrogada até o dia 30/06/2020 e todas as pessoas incluídas nos grupos para a vacinação poderão se vacinar. Com cobertura geral de 87%, a medida foi tomada para que o estado alcance a meta de imunizar 90% do público alvo da campanha. Segundo dados do Sistema de informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) de hoje, 01/06, no estado a menor cobertura está entre os adultos de 55 anos a 59 anos, cuja taxa é 45,24%. Entre as gestantes, a cobertura encontra-se em 49,79% e entre as crianças em 53,13%.

IMG 7454

“Embora alguns grupos, como idosos e trabalhadores e saúde atingiram uma cobertura superior a 100%, outros grupos ainda não alcançaram a meta, como é o caso de crianças e gestantes. Por isso, Minas acatou a orientação do Ministério de Saúde que prorrogou a disponibilidade da vacina nos postos de saúde até o dia 30 de junho de 2020”, explicou Josianne Dias Gusmão, coordenadora Estadual do Programa de Imunizações da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SESMG).

Segundo Josianne, a prorrogação do prazo para a vacinação é mais uma oportunidade para que as pessoas contempladas nos grupos prioritários possam receber a vacina influenza nos serviços de saúde.

A recomendação é para que as doses existentes nos municípios sejam destinadas aos grupos prioritários, como as pessoas de 60 anos e mais de idade, trabalhadores da saúde, profissionais das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, motorista e cobrador de transporte coletivo, portuários, povos indígenas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, pessoas com deficiência, gestantes, puérperas até 45 dias, adultos de 55 a 59 anos de idade e professores das escolas públicas e privadas.

A escolha dos grupos prioritários para a vacinação contra a gripe segue recomendação do Ministério da Saúde (MS) e é definida a partir de estudos epidemiológicos. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias e também aqueles grupos que permitem uma maior disseminação do vírus da gripe.

Saiba mais em https://www.saude.mg.gov.br/gripe

Casos de Gripe em Minas Gerais

Em Minas Gerais, até o momento, registrou 102 casos de influenza e 13 óbitos. Confira outros dados sobre a doença em Minas neste link. De acordo com a coordenadora, Josianne Gusmão, a imunização pode reduzir os riscos de complicações, internações e mortalidades decorrentes das infecções pela Influenza. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.

“Como as vacinas disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) protegem contra os vírus que são capazes de causar mais complicações às pessoas, a vacina influenza é a medida de prevenção mais importante para proteger contra a doença”, aponta Josianne Gusmão.

TABELA: Cobertura vacinal Influenza em Minas Gerais

 

Fonte: Sistema de informações do Programa Nacional de Imunizações - SIPNI. 01/06/2020.

]]>
Banco de notícias Mon, 01 Jun 2020 13:49:19 +0000
COVID-19: Regionais de Saúde de Ponte Nova e Manhuaçu realizam reunião do Comitê Macro Leste do Sul https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12867-covid-19-regionais-de-saude-de-ponte-nova-e-manhuacu-realizam-reuniao-do-comite-macro-leste-do-sul https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12867-covid-19-regionais-de-saude-de-ponte-nova-e-manhuacu-realizam-reuniao-do-comite-macro-leste-do-sul

As Regionais de Saúde de Ponte Nova e Manhuaçu realizaram, na última terça-feira (2/6), por meio de videoconferência, mais uma reunião do Comitê Macro Leste do Sul (CMacro COVID-19), que abrange 53 municípios pertencentes às microrregiões de Ponte Nova, Viçosa e Manhuaçu. A pauta contemplou a apresentação de dados epidemiológicos, atualizações do Plano de Contingência Macrorregional Leste do Sul, protocolo e fluxo de regulação de pacientes Covid e não Covid, taxa de ocupação de leitos, entre outros informes ligados ao atual cenário de pandemia.

Participaram do encontro - conduzido pelos superintendentes Kátia Jardim de Carvalho Irias (Ponte Nova) e Juliano Estanislau Lacerda (Manhuaçu) - membros da equipe das Regionais, Ministério Público de Ponte Nova, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems – Ponte Nova) e gestores de saúde dos municípios de Ponte Nova, Viçosa e Urucânia.

Em sua fala, Kátia Jardim destacou que, no âmbito da Regional de Ponte Nova, ainda são considerados baixos os índices de casos graves em decorrência da doença. “Isso se deve, em partes, à importante articulação que tem sido feita entre a Regional, os municípios e os prestadores, estabelecendo um fluxo adequado para não haver demora nos atendimentos e, consequentemente, o agravamento de quadros ligados à Covid-19”, disse. Ela também citou a estratégia de definição de um ponto focal para interlocução de hospitais e municípios, o que gera proximidade e permite um monitoramento mais eficiente dos casos.

Créditos: Tarsis Murad

Já o superintendente de Manhuaçu, Juliano Estanislau Lacerda, defendeu a necessidade de construção de um protocolo de regulação. “Nesse documento, devem ser estabelecidas as informações mínimas que devam constar no laudo de solicitação de vagas, tanto para unidades de referência Covid-19, quanto para unidades de referência não Covid-19. A finalidade é melhorar a média do tempo de resposta, promovendo, assim, o encaminhamento adequado dos pacientes", pontuou.

Na ocasião, foi mencionada a questão do transporte inter-hospitalar de pacientes por meio de UTI terrestre nas macrorregiões onde não há serviço de SAMU regional, ou para distâncias acima de 200 km fora da macrorregião, conforme as deliberações CIBSUS/MG nº 2.527/2017 e 2.352/2016 e a Nota Técnica nº 28/2020, do COES MINAS COVID-19, cujo trâmite é conduzido via Central de Regulação. A reunião tratou, ainda, da proposta de atualização do Plano Macrorregional com a ampliação do número de leitos clínicos e de UTI no Hospital São Sebastião, de Viçosa, e dos leitos de UTI no Hospital Arnaldo Gavazza Filho, de Ponte Nova.

]]>
Banco de notícias Thu, 04 Jun 2020 10:05:51 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 04/06/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12866-informe-epidemiologico-coronavirus-04-06-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12866-informe-epidemiologico-coronavirus-04-06-2020

Até o momento foram 13.034 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 7.105 casos e são 5.606 casos recuperados***. Até o momento, foram confirmados 323 óbitos.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por COVID-19.

**Casos em acompanhamento: Casos confirmados de COVID-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de COVID-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para COVID-19.

Dos óbitos notificados (N=1.335): 323 foram confirmados, 176 encontram-se em investigação e 836 foram descartados para covid-19.

Sobre casos suspeitos: Conforme nova definição de caso preconizada pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais - SES, os casos anteriormente definidos como “suspeitos” passam a ser registrados nos sistemas oficiais de notificação como Síndrome Gripal Inespecífica, por não preencherem, em sua integralidade, critério para investigação laboratorial. Esses casos permanecerão sob acompanhamento das vigilâncias epidemiológicas estadual e municipal, mas deixam de ser tratados como casos suspeitos de COVID-19 e passam a ser tratados como síndromes respiratórias de interesse à saúde.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 04/06/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Clique aqui e acesse o Quadro Resumo – óbitos Covid-19 / MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, a partir de 23/03/2020 o Boletim Informativo Diário COVID-19 publicará o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Ressaltamos que a distribuição dos casos suspeitos por município, bem como casos descartados e notificados, serão atualizadas diariamente, através do site www.saude.mg.gov.br/coronavirus - “Painel de Monitoramento de casos”.

Desde o dia 27/03/2020 os casos suspeitos de COVID-19 passaram a ser notificados no E-SUS VE, novo sistema disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Considerando o processo de transição e a instabilidade do novo sistema, ainda não é possível extrair um relatório completo, que detalhe o número de casos por municípios. Assim que possível, as informações serão atualizadas.

Acesse o informe detalhado clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Thu, 04 Jun 2020 10:02:00 +0000
Secretário de Estado de Saúde realiza reunião com Prefeitos da Macro Centro-Sul sobre o Minas Consciente e enfrentamento ao COVID-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12865-secretario-de-estado-de-saude-realiza-reuniao-com-prefeitos-da-macro-centro-sul-sobre-o-minas-consciente-e-enfrentamento-ao-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12865-secretario-de-estado-de-saude-realiza-reuniao-com-prefeitos-da-macro-centro-sul-sobre-o-minas-consciente-e-enfrentamento-ao-covid-19

Visando discutir questões sobre o enfrentamento ao COVID-19 na macrorregião Centro-Sul, os efeitos da curva de tendência de contaminação na região e o monitoramento do programa Minas Consciente, o Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e sua equipe se reuniram virtualmente, nessa quarta-feira (3/6), com as regionais de saúde de Barbacena e São João Del Rei, com os prefeitos e gestores de Saúde dos 51 municípios de circunscrição da macrorregião.

Segundo o secretário adjunto de estado de Saúde, Marcelo Cabral, o propósito da videoconferência foi “esclarecer em relação ao Minas Consciente e apresentar os indicadores da macrorregião Centro-Sul, bem como pontuar o que julgamos ser necessário e importante”, explicou.

Na oportunidade, o subsecretário de Gestão Regional da SES-MG, Darlan Venâncio, apresentou o cenário de saúde da macro Centro-Sul e reforçou a importância do isolamento e distanciamento social na macrorregião. “Hoje o objetivo é sensibilizá-los sobre a questão do isolamento e distanciamento social, por serem componentes muito importantes na contenção de danos do COVID-19”, afirmou.

Créditos: Priscila Rezende

Darlan apresentou o cenário da macro Centro Sul, que hoje está na onda branca do Minas Consciente, sendo que dos 51 municípios, 25 fizeram adesão ao programa. O subsecretário também apresentou as taxas de ocupação de leitos hospitalares das microrregiões que compõem a Centro-Sul. Sobre os planos de investimento, o subsecretário explicou que “o estado já fez alguns repasses importantes, edital de credenciamento de leitos de UTI, já repassamos recursos relacionados a EPIS, estamos fazendo processo aquisição de respiradores que devem chegar esse mês, e outros investimentos importantes, emendas parlamentares, enfim, uma série de investimentos que demonstram que o estado está fazendo todos os esforços pra tentar melhorar a situação financeira dos municípios e apoiar no enfrentamento da pandemia”, pontuou o subsecretário.

Ainda em relação às ações para reforço do enfretamento da COVID-19 no estado, o secretário de estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, destacou que, sobre a ajuda aos municípios, “o Ministério da Saúde sinalizou para os estados e municípios o fornecimento de respiradores, equipamentos de proteção individual, kits de exames e também com o custeio de leitos de terapia intensiva”, afirmou. O secretário também destacou o plano do estado de estruturação frente aos problemas de desabastecimento mundial de equipamentos e insumos.

“Começamos a correr atrás de aquisição de equipamentos de ventilação, resolver os problemas de exames que a gente precisa, e equipamentos de proteção individual. Além disso, nós fizemos uma transferência importante de valores para os hospitais de 70 milhões de reais via ProHosp, e para as UPAs nós também fizemos uma transferência de 60 milhões para se prepararem, isso tudo desde o mês de março desse ano. Além disso, compramos mil respiradores e acertamos com a FIEMG e teremos ainda mais 1500 respiradores”, complementou.

Em relação ao Minas Consciente, o secretário destacou a importância de seguir as diretrizes do programa e de uma uniformidade nas regiões para um melhor alinhamento e gestão da saúde, e afirmou que a macrorregião tem a possibilidade de voltar para a onda verde, caso haja grande aumento do número de casos, bem como o programa permite promover medidas mais restritivas que as ondas, se necessário.

Encerrando a reunião, a superintendente regional de Saúde de Barbacena, Hérica Vieira Santos, destacou a importância dessas reuniões do nível central da SES com os gestores e prefeitos das macrorregiões. “É muito importante termos essa reunião porque aproxima o nível central com os territórios e, assim, poderem também ouvir diretamente dos prefeitos e gestores as angústias que estão passando, e essa é uma forma de estarmos mais próximos”, finalizou.

]]>
Banco de notícias Thu, 04 Jun 2020 08:49:52 +0000
Regional de Saúde de Coronel Fabriciano realiza capacitação virtual sobre Promoção à Saúde Mental dos Trabalhadores frente à Pandemia Covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12864-regional-de-saude-de-coronel-fabriciano-realiza-capacitacao-virtual-sobre-promocao-a-saude-mental-dos-trabalhadores-frente-a-pandemia-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12864-regional-de-saude-de-coronel-fabriciano-realiza-capacitacao-virtual-sobre-promocao-a-saude-mental-dos-trabalhadores-frente-a-pandemia-covid-19

Por meio do Núcleo de Atenção Primária à Saúde (NAPRIS), a Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, realizou capacitação virtual nessa terça-feira (02/05), direcionada aos secretários municipais de Saúde, referências técnicas de Atenção Primária à Saúde, de Saúde Mental e Saúde do Trabalhador dos municípios que compõe a macrorregião Vale do Aço.

Segundo a referência técnica da Atenção Primária da Regional, Anelize Alvez Tuler, o objetivo foi orientar os gestores dos serviços de saúde quanto ao manejo das equipes a fim de minimizar possíveis impactos à saúde mental dos profissionais da rede, bem como fortalecer a compreensão de intersetorialidade e multidisciplinariedade quanto à atenção psicossocial e promoção da saúde mental.

“A pandemia causada pela Covid-19 nos colocou diante de um cenário desconhecido e que nos gera sentimento de impotência, angústia, medo, ansiedade, estresse e inseguranças. Esses sentimentos podem acarretar problemas de saúde mental individual e coletiva”, explicou.

Créditos: Flávio Samuel

De acordo com a Fundação Oswaldo Cruz, em situações de epidemia como esta é estimado que cerca de 33% a 50% das pessoas apresentem alguma manifestação psicopatológica, caso não sejam ofertadas condições para o enfrentamento de todas as adversidades deste cenário, principalmente nos momentos iniciais da pandemia.

De acordo com Anelize Alvez Tuler, existem outros fatores agravantes aos profissionais de saúde neste momento, “os profissionais de saúde são mais expostos à possibilidade de infecção e contágio do vírus, o que faz com que necessidade de se adaptar aos novos protocolos de biossegurança em meio uma rotina intensa de trabalho, e até a falta de EPI em algumas estruturas sanitárias”, disse.

Durante a videoconferência foram abordadas as estratégias gerais de cuidado em saúde mental para os profissionais de saúde. A referência técnica em Saúde do Trabalhador da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano, Michelle Cristina Batista e Silva, destacou algumas ações, como o investimento em exercícios e ações que possam contribuir com a redução do nível de estresse, entre eles meditação, leitura, exercícios de respiração e atividades manuais e a garantia de rotatividade dos profissionais alternando entre funções de alta e baixa tensão. “Caso as várias estratégias discutidas e recomendadas não sejam suficientes para o processo de estabilização emocional do profissional e, percebendo uma agudização dos sintomas mais comuns, o mesmo deve ser direcionado aos serviços da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS)”, finalizou.
Os Centros de Atendimento deverão ter equipes constituídas por médicos, enfermeiros, técnicos ou auxiliares de enfermagem e deverão cumprir carga horária mínima semanal variável entre 40 e 160 horas.

]]>
Banco de notícias Thu, 04 Jun 2020 08:47:22 +0000
Montes Claros e Januária são selecionados para abertura de centros de referência para enfrentamento à Covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12863-montes-claros-e-januaria-sao-selecionados-para-abertura-de-centros-de-referencia-para-enfrentamento-a-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12863-montes-claros-e-januaria-sao-selecionados-para-abertura-de-centros-de-referencia-para-enfrentamento-a-covid-19

Municípios do Norte de Minas podem ser contemplados com a abertura de centros de atendimento e centros comunitários de referência para enfrentamento à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. As portarias 1.444 e 1.445, publicadas terça-feira, 2 de junho, pelo Ministério da Saúde institui critérios e incentivos financeiros a serem destinados aos municípios que implantarem os centros, em caráter excepcional e temporário, visando agilizar o atendimento da população e identificar de forma precoce os casos de Covid-19. No caso da implantação dos Centros Comunitários de Referência, o Ministério da Saúde relaciona 33 municípios mineiros aptos a solicitarem incentivos financeiros federais de apoio às ações de vigilância e assistência à população residente em comunidades e favelas. Entre as localidades aptas estão os municípios norte-mineiros de Montes Claros e Januária.

A superintendente regional de saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques avalia que “a iniciativa do Ministério da Saúde em possibilitar aos municípios a implantação de centros de atendimento e comunitários de referência para o enfrentamento à Covid-19 amplia as ações dos serviços de atenção primária e possibilitará a agilização do atendimento das demandas da população, evitando sobrecarga de trabalho nas unidades básicas de saúde, bem como nos hospitais”. A Portaria 1.444 estabelece incentivo financeiro no valor de R$ 60 mil para a implantação de Centro de Referência Tipo 1 em comunidades ou favelas que possuam entre 4 mil até 20 mil habitantes; e R$ 80 mil para centros de referência Tipo 2 que atenderão grupos populacionais acima de 20 mil pessoas.

Os centros consistem em espaços a serem estruturados pelos municípios em áreas das comunidades e favelas ou adjacências para organização das ações de identificação precoce de casos de síndrome gripal ou Covid-19; acompanhamento dos casos suspeitos ou confirmados; atendimento aos casos leves e referenciamento para pontos de atenção da rede de saúde dos casos graves.

Para definição das localidades que estão aptas à implantação dos centros comunitários de referência o Ministério da Saúde leva em conta definição de comunidades e favelas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – (IBGE) como aglomerado subnormal, identificados como áreas de pelo menos 51 unidades habitacionais carentes, dispostas de forma desordenada ou densa. Essas comunidades devem apresentar como características urbanização fora dos padrões vigentes; vias de circulação estreitas e de alinhamento irregular; construções não regularizadas por órgãos públicos e precariedade de serviços públicos essenciais.

Entre os objetivos dos centros comunitários de referência está o atendimento presencial de pessoas com suspeita de terem contraído Covid-19 e que necessitem de atendimento nos serviços de atenção primária e tratamento imediato. Nos centros comunitários os pacientes em situação de saúde grave deverão ser encaminhados para estabilização em ambiente adequado. Os centros também deverão contribuir para a realização do monitoramento remoto e presencial das pessoas em situação de isolamento domiciliar, com especial atenção aos pacientes que estão em grupos de risco ou que apresentarem piora em seu estado de saúde.

Créditos: Pedro Ricardo

Os centros comunitários deverão funcionar, no mínimo, 40 horas por semana em locais de fácil acesso e atuarão como complemento às equipes de atenção primária à saúde. As equipes serão constituídas por médicos, enfermeiros, técnicos ou auxiliares de enfermagem.

CENTROS DE ATENDIMENTO

Já a Portaria 1.445 do Ministério da Saúde estabelece que os Centros de Atendimento à Covid-19 se constituirão unidades de acolhimento de pessoas com queixas relacionadas aos sintomas da Covid-19, o que possibilitará identificar precocemente os casos suspeitos da doença por meio da classificação de risco e identificação da necessidade de tratamento imediato.

Os centros de atendimento terão as seguintes classificações e incentivos financeiros mensais: Tipo 1, em municípios com até 70 mil habitantes, R$ 60 mil; Tipo 2, em localidades com mais de 70 mil a 300 mil habitantes, R$ 80 mil; e Tipo 3, em municípios com população superior a 300 mil pessoas, R$ 100 mil.

Os Centros de Atendimento deverão ter equipes constituídas por médicos, enfermeiros, técnicos ou auxiliares de enfermagem e deverão cumprir carga horária mínima semanal variável entre 40 e 160 horas.

]]>
Banco de notícias Thu, 04 Jun 2020 08:38:14 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12862-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12862-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, respondem às perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta quinta-feira (4/6), às 12h30.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus. 

Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais (Instagram e Facebook) do Governo de Minas. Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/.

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

  • Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar;
  • Para promover mais interação e esclarecer dúvidas da imprensa, as perguntas poderão ser enviadas para o whatsapp, durante a coletiva: (31) 9 8268 3092 (Saúde) e (31) 9 9353-9665 (Desenvolvimento Econômico).

Serviço:
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais
Data: 4/6/2020 (quinta-feira)
Horário: 12h30
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)

Transmissão via redes sociais:
Instagram - https://instagram.com/governomg
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Wed, 03 Jun 2020 18:56:53 +0000
Secretário de Estado de Saúde reforça a necessidade do isolamento social em reunião com os gestores do Triângulo do Norte https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12860-secretario-de-estado-de-saude-reforca-a-necessidade-do-isolamento-social-em-reuniao-com-os-gestores-do-triangulo-do-norte https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12860-secretario-de-estado-de-saude-reforca-a-necessidade-do-isolamento-social-em-reuniao-com-os-gestores-do-triangulo-do-norte

Dando continuidade às reuniões com os gestores municipais por regiões de saúde, o Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral Pereira da Silva, reuniu-se nesta terça-feira, 02/06, por videoconferência, com os municípios da macrorregião Triângulo do Norte para reafirmar a necessidade da ampliação do isolamento social e a adesão ao Programa Minas Consciente para conter o avanço da epidemia.

03-06-LilianCunha

O secretário disse que o objetivo das reuniões por regiões de saúde é trazer a avaliação que a SES/MG vem notando de alterações da COVID-19 e discutir as dificuldades e os caminhos de forma conjunta para ter uma passagem menos turbulenta pela epidemia. Para que haja tomada de decisão em momento oportuno, os municípios necessitam preencher em tempo real os sistemas oficiais.

“As instituições hospitalares devem informar as altas no SUS Fácil, como também é preciso que vocês nos atualizem o mais rápido possível dos casos e óbitos confirmados para que as informações sejam confiáveis para a tomada de decisão”, afirmou o secretário Carlos Eduardo Amaral.

Recentemente houve um aumento considerável nos casos confirmados, aumento na emissão de notas fiscais nas últimas semanas comparado ao início da pandemia e a taxa de mobilidade no geral está abaixo de 50% na região.

“É um isolamento muito preocupante, o ideal seria de 60 a 70%. Isso projeta um aumento de casos, um aumento na incidência baseada na circulação de pessoas e impacta na transmissão interpessoal. São ações que precisam ser adotadas hoje e que serão sentidas daqui quatorze dias. Se esperarmos uma semana, a curva será mais ascendente ainda. Convoco o Triângulo do Norte para reduzir a taxa de transmissão. A única forma de controlar são as medidas efetivas de distanciamento social para diminuir o R0”, ressaltou Amaral.

As medidas sanitárias são essenciais neste momento. “Falo do isolamento num sentido amplo, como o uso de máscaras, distanciamento natural das pessoas, medidas de higienização e alternância no horário para a abertura do comércio”, pontuou o secretário.

Atualmente, o Triângulo do Norte está classificado na onda verde no Programa Minas Consciente, em que os serviços essenciais são autorizados a funcionar. Durante a reunião o secretário estadual destacou que o Minas Consciente vem auxiliar na coordenação do funcionamento da economia, analisa se há capacidade hospitalar sem tendência a crescimento, as notificações dos casos, e esses fatores estão ligados diretamente ao isolamento social. Por isso a importância de toda a região aderir ao Programa para uniformizar as ações em todos os municípios, considerando a estrutura assistencial instalada.

O subsecretário de gestão regional, Darlan Venâncio Thomaz Pereira, destacou o trabalho de cooperação que vem sendo executado. “A Secretaria e os municípios vêm trabalhando incansavelmente para a aquisição de equipamentos e insumos, mas precisamos do isolamento social nesta equação para conter o avanço da epidemia”.

O superintendente regional de saúde de Uberlândia, Marcelo José Pires Ferreira, reforçou a necessidade do diálogo entre o Nível Central, regional e local. “A proximidade é importante para termos o alinhamento necessário e em conjunto buscarmos alternativas para frear este cenário”.

Cenário Epidemiológico

O Triângulo do Norte, com 1,2 milhão de habitantes, tem a circulação do vírus confirmada em praticamente todos os municípios. O boletim estadual divulgado ontem, 02/06, traz a confirmação de 1.040 casos de coronavírus, sendo 474 casos em acompanhamento, 539 casos recuperados e 27 óbitos.

 

]]>
Banco de notícias Wed, 03 Jun 2020 11:21:41 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 03/06/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12859-informe-epidemiologico-coronavirus-03-06-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12859-informe-epidemiologico-coronavirus-03-06-2020

Até o momento foram 12.010 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 6.368 casos e são 5.336 casos recuperados***. Até o momento, foram confirmados 306 óbitos.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por COVID-19.

**Casos em acompanhamento: Casos confirmados de COVID-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de COVID-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para COVID-19.

Dos óbitos notificados (N=1.304): 306 foram confirmados, 201 encontram-se em investigação e 797 foram descartados para covid-19.

Sobre casos suspeitos: Conforme nova definição de caso preconizada pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais - SES, os casos anteriormente definidos como “suspeitos” passam a ser registrados nos sistemas oficiais de notificação como Síndrome Gripal Inespecífica, por não preencherem, em sua integralidade, critério para investigação laboratorial. Esses casos permanecerão sob acompanhamento das vigilâncias epidemiológicas estadual e municipal, mas deixam de ser tratados como casos suspeitos de COVID-19 e passam a ser tratados como síndromes respiratórias de interesse à saúde.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 03/06/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Clique aqui e acesse o Quadro Resumo – óbitos Covid-19 / MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, a partir de 23/03/2020 o Boletim Informativo Diário COVID-19 publicará o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Ressaltamos que a distribuição dos casos suspeitos por município, bem como casos descartados e notificados, serão atualizadas diariamente, através do site www.saude.mg.gov.br/coronavirus - “Painel de Monitoramento de casos”.

Desde o dia 27/03/2020 os casos suspeitos de COVID-19 passaram a ser notificados no E-SUS VE, novo sistema disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Considerando o processo de transição e a instabilidade do novo sistema, ainda não é possível extrair um relatório completo, que detalhe o número de casos por municípios. Assim que possível, as informações serão atualizadas.

Acesse o informe detalhado clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Wed, 03 Jun 2020 10:06:56 +0000
Superintendente Regional de Barbacena visita hospital de campanha de Conselheiro Lafaiete https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12858-superintendente-regional-de-barbacena-visita-hospital-de-campanha-de-conselheiro-lafaiete https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12858-superintendente-regional-de-barbacena-visita-hospital-de-campanha-de-conselheiro-lafaiete

Na segunda-feira (01/06), a Superintendente Regional de Saúde de Barbacena, Hérica Vieira Santos, juntamente com o Coordenador de Redes de Atenção à Saúde e Atenção Primária da Regional, Renato Soares, visitaram o novo hospital de campanha de Conselheiro Lafaiete.

créditos: Priscilla Rezendecréditos: Priscilla Rezende

O hospital de campanha é municipal e está funcionando no prédio do hospital São Camilo, que teve uma reforma para melhorias e adaptações para assistência aos casos de COVID-19. Segundo informou a Secretária Municipal de Saúde de Conselheiro Lafaiete, Rita de Kássia, o hospital conta com 51 leitos SUS, sendo 41 clínicos e 10 de CTI exclusivos para COVID-19, e irá atender uma população de aproximadamente 185 mil pessoas que fazem parte dos municípios que compõem a microrregião de Conselheiro Lafaiete. Sobre o financiamento da obra, a secretária afirmou: “Essa reforma que foi feita para que o funcionamento fosse efetivado, contou com a contribuição de recursos da Gerdau, a doação da mãe do João Miguel (que era uma criança que tinha AME- atrofia muscular espinhal e teve uma campanha de arrecadação de apoio para tratamento), e recurso do município de Conselheiro Lafaiete. Os equipamentos foram adquiridos através de uma parceria com Ministério Público do Trabalho de Belo Horizonte, que com o COVID foi direcionado para a compra dos respiradores”, explicou. E ainda, o financiamento dos leitos deverá ser realizado com recursos estaduais. “Hoje temos 60 profissionais atuando, que já passaram por capacitação. A obra foi entregue pelo prefeito há uma semana, e nesse dia 2/6 o hospital já poderá a iniciar seu funcionamento”, complementou a secretária municipal.

créditos: Priscilla Rezende

Sobre a visita, a Superintendente Hérica explicou: “A Regional de Saúde vem orientando e apoiando o município de Conselheiro Lafaiete nas tratativas para criação e ampliação de leitos clínicos e de UTI exclusivos para atendimentos dos casos graves da COVID-19”. Segundo Hérica, essa nova unidade hospitalar ajudará a fortalecer ainda mais a região como um todo: “Conselheiro Lafaiete é um importante polo de microrregião de saúde, referência para outros 11 municípios. Essa conquista é tão importante para o município polo e para os demais que compõem a microrregião, quanto para a macrorregião Centro-Sul, dado que uma microrregião complementa a outra”, afirmou.

Ainda na ocasião, a Superintendente e o Coordenador de Redes também fizeram uma visita à obra da futura ala de leitos de UTI para COVID-19 no hospital e maternidade São José. A ala contará com 17 leitos SUS e 1 leito particular para atendimento exclusivo para casos de COVID-19, e a previsão de finalização e entrega da obra está prevista para 20 de junho. E assim, a microrregião terá cumprida a meta de leitos clínicos e de UTI COVID-19, segundo prevê a necessidade do Plano de Contingência Hospitalar para a micro, reforçando também a assistência da macrorregião como um todo para o enfrentamento da pandemia.

créditos: Priscilla Rezende

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 18:43:42 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12857-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12857-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário de Estado adjunto Marcelo Cabral respondem perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta quarta-feira (3/6), às 12h30.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus.

Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais (Instagram e Facebook) do Governo de Minas.

Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

As perguntas devem ser enviadas, até as 10h30 desta quarta-feira (3/6), para o e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br

Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Para promover mais interação e esclarecer dúvidas da imprensa, perguntas poderão ser enviadas para o whatsapp, durante a coletiva: (31) 9 8268 3092.

Serviço:

Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais

Data: 3/6/2020 (quarta-feira).

Horário: 12h30

Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)

Transmissão via redes sociais:

Instagram - https://instagram.com/governomg

Facebook- https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 18:27:02 +0000
Funed e GSK promovem evento online sobre vacinação e meningite https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12856-funed-e-gsk-promovem-evento-online-sobre-vacinacao-e-meningite https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12856-funed-e-gsk-promovem-evento-online-sobre-vacinacao-e-meningite

Em comemoração à Semana da Imunização, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) e a farmacêutica GSK realizam um evento online na próxima sexta-feira, dia 5 de junho, às 10h que será transmitido pelo canal pelo Youtube neste link.

Crédito: Marcus Ferreira

Com o tema “Juntos Pela Vacinação: por um Brasil mais protegido contra a doença meningocócica”, a live será destinada aos profissionais de saúde. Com duração de uma hora, a ação terá como objetivo debater o cenário da doença meningocócica no país e a importância da vacinação mesmo durante a pandemia. 

Representando a Funed, Cristine Silva, responsável pela Farmacovigilância na instituição, irá apresentar a experiência da Funed no manejo de surtos e a farmacovigilância da vacina meningocócica C. Para a produção do medicamento, a Funed possui uma parceria com o Laboratório GSK para a transferência de tecnologia do processo produtivo.

Em 10 anos, a Fundação entregou mais de 100 milhões de doses da vacina para serem distribuídas em todo país pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). Em 2019, foram entregues 15,4 milhões de doses da vacina. Esse número superou a maior entrega já efetuada até então, de 13 milhões de doses no ano de 2018.

Segundo Cristine Silva, a Funed tem uma preocupação com a segurança da vacina, porque os benefícios do uso de qualquer produto farmacêutico devem superar os riscos para melhorar a saúde e a vida das pessoas. “A Fundação prima pela segurança realizando várias atividades como, o controle de qualidade, o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) para a correta orientação dos pacientes e a farmacovigilância para acompanhar o uso dos produtos e investigar notificações de eventos adversos que possam ter ocorrido com o uso desses produtos”, disse.

Juntos pela Vacinação

Também estão confirmados para o evento, a gerente do Projeto Vacina Meningocócica da Funed, Shirley Lasmar; o gerente médico de Vacinas Meningocócicas na GSK Brasil, Jessé Alves; o presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria  Marco Sáfadi, que também é presidente do Departamento de Imunização da Sociedade Pediátrica de São Paulo e Sandra Deotti, Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.

Confira a programação:

10h às 10h10 – Abertura

10h10 às 10h20 - Experiência com o manejo de surtos da doença meningocócica

10h20 às 10h30 – A importância da adesão à vacinação durante a pandemia

10h30 às 10h40 - Atualizações no calendário de vacinação do PNI em 2020

10h40 às 10h50 - Duração de proteção após esquemas de vacinação com MenC

10h50 às 11h00 - Farmacovigilância da vacina MenC

11h às 11h20 – Perguntas e respostas

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 18:25:15 +0000
SES-MG entrega novas remessas de testes rápidos para diagnóstico da Covid-19 na microrregião de Pirapora e amplia público a ser submetido a exames https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12855-ses-mg-entrega-novas-remessas-de-testes-rapidos-para-diagnostico-da-covid-19-na-microrregiao-de-pirapora-e-amplia-publico-a-ser-submetido-a-exames https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12855-ses-mg-entrega-novas-remessas-de-testes-rapidos-para-diagnostico-da-covid-19-na-microrregiao-de-pirapora-e-amplia-publico-a-ser-submetido-a-exames

A Gerência Regional de Saúde de Pirapora já distribuiu para os municípios da microrregião 2.860 unidades de testes rápidos para COVID-19. Destaca-se que serão encaminhados à microrregião um total de 6.620 testes em 10 remessas e a distribuição aos municípios fica sob a responsabilidade do Núcleo de Epidemiologia da Gerência Regional de Saúde, obedecendo as normas e quantitativos estabelecidos pela Nota Técnica do Ministério da Saúde Nº11/2020-DESF/SAPS/MS.

Crédito: Lillian Tararam

A equipe da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, através do eixo laboratorial do Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COES-MG) está trabalhando na atualização das recomendações de diagnóstico para a COVID-19.

Entre as atualizações consta a ampliação de uso dos testes rápidos, adquiridos pelo Ministério da Saúde e distribuído aos municípios. Sendo assim, o uso dos testes rápidos deverá ser realizado nos seguintes grupos prioritários, de forma progressiva:

  • Profissionais de saúde e segurança pública em atividade, seja da assistência ou da gestão;
  • Pessoa que resida no mesmo domicílio de um profissional de saúde e segurança pública em atividade;
  • Pessoa com idade igual ou superior a 60 anos;
  • Portadores de condições de risco para complicações da COVID-19;
  • População economicamente ativa.

Por população economicamente ativa, e com objetivo de ser o mais abrangente possível na rotina de testagem, entendem-se todos os indivíduos com idade entre 15 e 59 anos.

A Coordenadora da Vigilância em Saúde, Diane Menezes, explica que o teste rápido disponibilizado pelo Ministério da Saúde nesse momento, apresenta o nome ONE steP CoVId-2019 test® e por se tratar de teste de detecção de anticorpos, é necessário que ele seja realizado após o sétimo dia do início dos sintomas. “Para a coleta de sangue capilar, recomenda-se a utilização de lancetas disponíveis nos serviços de saúde. A execução do teste e leitura dos resultados deve ser realizada por profissionais da saúde de nível médio, com supervisão, e/ou de nível superior”, destacou a Coordenadora.

Já a Coordenadora do Núcleo de Epidemiologia da Regional, Flávia Rocha Teixeira Mota, esclarece que “o resultado é verificado após 15 minutos da realização do teste, conforme descrito na bula do produto, e verificável no vídeo de treinamento, disponível na página https://aps.saude.gov.br/ape/corona.   O ONE STEP COVID-2019 TEST® apresenta 86% de sensibilidade, e 99% de especificidade, se aplicado da maneira e no prazo correto”, disse Flávia.  

A Gerente Regional de Saúde, Adriana Kátia Emiliano Souza, destaca a importância de se notificar tanto o caso classificado como positivo, quanto o negativo, para o provimento de informações essenciais para o monitoramento da epidemia no Brasil. “Para isso, é imprescindível notificar o caso suspeito de Síndrome Gripal no sistema e-SUS VE (https://notifica.saude.gov.br) e informar o resultado do teste no campo específico. Caso o paciente já tenha sido notificado, é necessário que o procedimento seja realizado novamente, informado o resultado do teste”, esclareceu Adriana. 

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 17:14:21 +0000
Vale do Aço recebe projeto “Medicamento em Casa” https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12853-vale-do-aco-recebe-projeto-medicamento-em-casa https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12853-vale-do-aco-recebe-projeto-medicamento-em-casa

A partir desta quarta-feira (3/6), o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e da Defesa Civil, estende o programa “Medicamento em Casa” para Coronel Fabriciano, atendendo moradores da Região Metropolitana do Vale do Aço Coronel Fabriciano, que engloba as cidades de: Ipatinga, Timóteo e Santana do Paraíso.

WhatsApp Image 2020-06-02 at 17.19.37

O principal objetivo da iniciativa, desenvolvida em parceria com o aplicativo de mobilidade urbana 99, é proteger pacientes do grupo de risco da covid-19. A entrega de remédio em domicílio evita contato com ambientes externos e ajuda na redução do fluxo de pessoas nas farmácias, evitando aglomerações e, consequentemente, a transmissão do coronavírus.

Em princípio, o programa atenderá 312 pacientes com asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) da Farmácia de Minas em Coronel Fabriciano. Os contemplados receberão uma ligação na véspera do atendimento para serem informadas e, então, a entrega ser agendada.

Para que tudo ocorra sem problemas, é necessário que o paciente esteja com o cadastro atualizado na Farmácia de Minas. Ele pode fazer isto pelos canais de atendimento whatsaap (31) 98282-4324 e e-mail medicamentoemcasa@saude.mg.mg.gov.br.

Cidades

O projeto teve início dia 14/4, em Juiz de Fora, na Zona da Mata. Depois, iniciou atendimento aos pacientes em outros três municípios: Belo Horizonte (28/4), Uberlândia (14/5) e Divinópolis (21/5). Estão sendo beneficiados pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e asma.

Os números, apurados pela Defesa Civil estadual e Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), consideram os transportes realizados até dia 1/6, numa força-tarefa que contabiliza 11.400 quilômetros rodados até o momento. Já foram atendidos 2.094 pacientes e entregues 3.377 medicamentos.

Orientação

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) reforça que os pacientes que não receberem ligações de agendamento devem comparecer normalmente às farmácias regionais.

Já para aqueles que fazem parte dos grupos de risco, a orientação é utilizar o modelo de declaração autorizadora disponível no site, para designar um procurador que possa retirar o medicamento em nome do paciente.

Assistência Farmacêutica no Vale do Aço

O Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF) é referência nos serviços farmacêuticos para toda a população dos 35 municípios da macrorregião Vale do Aço.

Em 2019, o Núcleo de Assistência Farmacêutica da Regional de Saúde de Coronel Fabriciano realizou 67.299 atendimentos, dispensou 2.260.501 unidades de medicamentos do Componente Especializado,1.539 novos processos foram deferidos e 3.455 novos processos de medicamentos foram abertos. A média de atendimentos diários é de aproximadamente 190 usuários.

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 17:06:13 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika (02/06) https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12852-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-02-06 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12852-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-02-06

Em 2020, até o momento, Minas Gerais registrou 74.287 casos prováveis (suspeito + confirmado) de dengue. Quanto aos óbitos, em 2020, foram confirmados 06 óbitos pelo agravo nos municípios de: Alfenas, Medina, Guaxupé, Itinga, Carneirinho e Raposos. 34 óbitos permanecem em investigação.

Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados, em 2020, até o momento, 1.603 casos prováveis da doença. Há um (1) óbito em investigação no município de Campo Belo.

Já em relação à Zika, em 2020 foram registrados 369 casos prováveis, sendo 40 em gestantes.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG (atualizado em 01/06/2020).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue, zika e chikungunya por município nas quatro últimas semanas epidemiológicas (atualizado em 01/06/2020)

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2020 (atualizado em 01/06/2020)

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2020 (atualizado em 01/06/2020)

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2020 (atualizado em 01/06/2020).

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 13:29:39 +0000
Gerente Regional de Leopoldina participa de audiência pública na ALMG https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12851-gerente-regional-de-leopoldina-participa-de-audiencia-publica-na-almg https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12851-gerente-regional-de-leopoldina-participa-de-audiencia-publica-na-almg

O Gerente Regional de Saúde de Leopoldina, Renan Guimarães de Oliveira participou, no dia 01/06 de audiência pública da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), a convite da Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização. Durante o encontro foi debatido o planejamento e as ações do governo estadual para apoiar os municípios e preparar os hospitais regionais para o avanço da interiorização em Minas Gerais da pandemia do coronavírus.

Crédito: Gustavo Santos Ribeiro

Além do gerente regional e dos deputados, participaram da audiência a presidenta da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Minas Gerais (FEDERASSANTAS), Kátia Regina de Oliveira Rocha, o supervisor administrativo do Hospital de Cataguases, Eliermes Teixeira, o subsecretário de Gestão Regional, Darlan Venâncio Thomas Pereira.

O subsecretário Darlan listou em sua fala as ações desenvolvidas pela SES no enfrentamento a Covid-19. Entre as ações estão a elaboração do site com informações exclusivas do coronavírus, a plataforma de saúde digital, a distribuição de equipamentos de proteção individual para os trabalhadores de saúde e a realização das Salas de Situação, de forma rotineira, para o acompanhamento da evolução do coronavírus no Estado.

O supervisor administrativo do Hospital de Cataguases, Eliermes Teixeira, relatou a dificuldade enfrentada pelo hospital para ampliar o número de leitos de UTI no hospital para tratamento da Covid-19. “Já fizemos publicação no diário oficial, estamos fazendo divulgações nas mídias sociais, mas estamos com muita dificuldade para contratar médicos para que nós pudéssemos efetivamente oferecer o serviço”, disse.

O gerente da Regional de Saúde de Leopoldina ressaltou a importância de ações não ambulatoriais para preservação da população.  “As medidas não medicamentosas são fundamentais para não gerar uma sobrecarga no sistema hospitalar e proteger a população. Quando se fala em distanciamento social e medidas de higiene pretende-se reduzir a circulação do vírus”, relatou.

Outro ponto abordado por Renan foram as ações de vigilância para o monitoramento dos casos. “As ações laboratoriais de diagnóstico ao Covid-19 são fundamentais. Para tentar melhorar a resposta ao número de casos confirmados, nos próximos dias passaremos a encaminhar nossos exames para análise na Universidade Federal de Juiz de Fora. Isso nos ajuda muito na logística e no transporte dos exames que antes eram enviados ao laboratório central em Belo Horizonte”, disse.

Renan também informou a importância da assistência à saúde nas ações da atenção primária, a qual vem trabalhando na sensibilização das equipes e gestores para poder captar o paciente de modo precoce. Dessa forma, a pessoa recebe o tratamento ainda no início da manifestação da infecção e não precisa procurar o hospital, deixando os equipamentos de UTI livres para os casos mais graves.

A audiência pública foi proveitosa e importante, pois pôde contextualizar e esclarecer para a população mineira quais foram as ações tomadas, até o momento, para o enfrentamento do coronavírus.

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 12:18:28 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 02/06/2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12850-informe-epidemiologico-coronavirus-02-06-2020 https://www.saude.mg.gov.br:443/cidadao/banco-de-noticias/stories/12850-informe-epidemiologico-coronavirus-02-06-2020

Até o momento foram 10.939 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 5.532 casos e são 5.118 casos recuperados***. Até o momento, foram confirmados 289 óbitos.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por COVID-19.

**Casos em acompanhamento: Casos confirmados de COVID-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de COVID-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências. Informamos que houve redução no número de casos recuperados em relação aos casos divulgados ontem, devido à retirada de registros duplicados no processo de qualificação dos dados.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para COVID-19.

Dos óbitos notificados (N=1.269): 289 foram confirmados, 195 encontram-se em investigação e 785 foram descartados para covid-19.

Sobre casos suspeitos: Conforme nova definição de caso preconizada pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais - SES, os casos anteriormente definidos como “suspeitos” passam a ser registrados nos sistemas oficiais de notificação como Síndrome Gripal Inespecífica, por não preencherem, em sua integralidade, critério para investigação laboratorial. Esses casos permanecerão sob acompanhamento das vigilâncias epidemiológicas estadual e municipal, mas deixam de ser tratados como casos suspeitos de COVID-19 e passam a ser tratados como síndromes respiratórias de interesse à saúde.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 02/06/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Clique aqui e acesse o Quadro Resumo – óbitos Covid-19 / MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, a partir de 23/03/2020 o Boletim Informativo Diário COVID-19 publicará o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Ressaltamos que a distribuição dos casos suspeitos por município, bem como casos descartados e notificados, serão atualizadas diariamente, através do site www.saude.mg.gov.br/coronavirus - “Painel de Monitoramento de casos”.

Desde o dia 27/03/2020 os casos suspeitos de COVID-19 passaram a ser notificados no E-SUS VE, novo sistema disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Considerando o processo de transição e a instabilidade do novo sistema, ainda não é possível extrair um relatório completo, que detalhe o número de casos por municípios. Assim que possível, as informações serão atualizadas.

Acesse o informe detalhado clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Tue, 02 Jun 2020 10:08:13 +0000