Notícias https://www.saude.mg.gov.br Thu, 13 Aug 2020 07:43:35 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br SES-MG explica dados do boletim epidemiológico da covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13388-ses-mg-explica-dados-do-boletim-epidemiologico-da-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13388-ses-mg-explica-dados-do-boletim-epidemiologico-da-covid-19
Divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) desde março, o Boletim Epidemiológico da covid-19 traz diariamente a atualização dos números da doença no estado. Em coletiva virtual desta quarta-feira (12/8), o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, destacou o papel cumprido pelo informe, destrinchando o cálculo relativo aos óbitos, e ressaltando outras fontes de informação disponibilizadas pela SES-MG para avaliação do cenário mais real possível da pandemia.
 
Crédito: Pedro Gontijo

“O boletim epidemiológico, além de ser uma consolidação de todos os esforços que fazemos para obter as informações e monitorar o que acontece em Minas Gerais, também cumpre o papel de possibilitar à sociedade o fácil acesso às informações da epidemia no Estado”, afirmou o secretário.

O secretário explicou a necessidade de se ter atenção especial em relação à avaliação dos dados apresentados pelo informe, considerando as possíveis variações naturais em contextos de saúde, a depender de análises complementares.

“É importante considerar que saúde é biologia e, por tanto, apresenta suas variações. Por isso, eu recomendo ao cidadão que deseja acompanhar os dados da covid-19, a também atentar para as demais informações divulgadas não só no site da SES, como também em nossas redes oficiais, como FacebookInstagram e Twitter. Ali também trazemos frequentemente informações que complementam o boletim e auxiliam em sua interpretação correta”, explicou Amaral.

Registro de óbitos

Uma das informações do Boletim Epidemiológico que têm sido complementadas são os dados relativos a óbitos. Na últimas 24 horas, a SES-MG registrou 170 óbitos por covid-19 no estado — o que não significa que todas as mortes aconteceram no mesmo dia. Ao contrário, com relação a esse número, o secretário de Saúde voltou a destacar a diferença entre a data de ocorrência do óbito e a data de confirmação deste óbito por parte da Secretaria. 

“É preciso estar atento a essa diferença para que possamos fazer as avaliações corretas. Como é possível observar no gráfico, o número de óbitos é espaçado ao longo de dias anteriores. Nós temos, por exemplo, caso de óbito confirmado hoje, mas que ocorreu no dia 20 de junho”, detalhou o secretário.

Devido a essa diferença essencial para compreensão do cenário da pandemia no Estado, durante as coletivas de imprensa diárias serão apresentados os gráficos com o levantamento do número de confirmação de óbitos dos dias anteriores e do número acumulado de óbitos, referente ao dia presente. O objetivo é garantir ainda mais transparência das informações e detalhamento dos dados.

Abertura para diálogo

Nesta quarta-feira (12/8) será realizada a reunião semanal para deliberação do Comitê Extraordinário e avaliação do novo plano Minas Consciente até o momento. O Secretário de Estado Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, destacou algumas características da nova versão do Minas Consciente, como as possibilidades trazidas pela reformulação das ondas.

“O diálogo aberto, a partir da consulta pública, e que tem sido uma tônica do governo de Minas e da SES-MG, trouxe muitas contribuições para o plano. Além disso, a reformulação das ondas e a possibilidade de incluir de maneira mais clara algumas atividades econômicas, permite uma retomada mais significativa, mas sempre de maneira responsável e gradual”, pontuou Cabral.

“Lembramos que o Minas Consciente foi elaborado buscando englobar o máximo de demandas da sociedade e, naturalmente, buscando a segurança sanitária. O objetivo maior é que tenhamos um estado equilibrado, que os números da epidemia fiquem equilibrados e que as atividades econômicas se mantenham”, completou o secretário Carlos Eduardo Amaral.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 16:25:02 +0000
Minas Gerais mantém tendência à estabilização da covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13383-minas-gerais-mantem-tendencia-a-estabilizacao-da-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13383-minas-gerais-mantem-tendencia-a-estabilizacao-da-covid-19

Com tendência à estabilização da pandemia da covid-19 em Minas Gerais, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário de Estado Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, falaram sobre o cenário da doença em Minas Gerais, dentro do atual contexto de platô.

“Tomando por base a média móvel de óbitos pela covid-19 dos últimos 3 dias, é possível verificar, a partir da data dos óbitos ocorridos durante o mês de julho, uma tendência à horizontalização, sem o registro de aumento significativo nem progressivo nos número diários”, explicou Amaral.

obitos tres dias

Ainda de acordo com o secretário, a mesma análise aplicada ao período de 7 dias também apresenta um platô. “Embora ainda seja cedo para se falar em queda, pelo gráfico é possível perceber claramente que não estamos com uma tendência a crescimento”, completou.

obitos 7 dias

Até o momento, Minas Gerais registrou 156.551 casos confirmados da covid-19. Desse total, 27.936 estão em acompanhamento e 125.002 são casos recuperados. Quanto ao número de óbitos confirmados, o estado registra 3.613.

Governo de Minas garante repasse de R$ 3 milhões à população vulnerável

Como forma de controlar a disseminação da covid-19 em regiões de vulnerabilidade social, o Secretário de Saúde anunciou o repasse de R$ 3 milhões para 17 municípios mineiros com mais de 50 mil habitantes e que tenham altas taxas de transmissão da doença. A ideia é que a população residente em aglomerados — e que tenha sido infectada — possa ser isolada em hotéis.

“O programa possibilitará o isolamento em hotel a pessoas que vivam em situação de aglomeração, em caso de manifestação de sintomas da covid-19 e diagnóstico. Com esse distanciamento será possível frear ainda mais a transmissão da doença no estado”, detalhou.

Retomada das atividades

O secretário de Estado Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, reforçou o apelo para que a população mineira continue engajada nas medidas de prevenção à covid-19, para que seja possível a cada município do estado caminhar no sentido da retomada das atividades econômicas com segurança, respeitando a realidade epidemiológica de cada região.

Desde o último dia 6 de agosto, o plano Minas Consciente passou por uma remodelação. Agora, os municípios que apresentavam uma melhor situação, encontram-se, nesta versão atual, na onda amarela. A possibilidade de avanço para a onda verde acontece apenas após a permanência por 28 dias na onda amarela.

“Lembramos que são realizadas reuniões semanais para deliberações do comitê extraordinário com posterior divulgação às quintas e estamos sempre abertos à perspectiva de melhoria”, explicou Marcelo Cabral.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 08:31:12 +0000
Estado vai repassar R$ 3 milhões para hotéis receberem pessoas vulneráveis com covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13379-estado-vai-repassar-r-3-milhoes-para-hoteis-receberem-pessoas-vulneraveis-com-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13379-estado-vai-repassar-r-3-milhoes-para-hoteis-receberem-pessoas-vulneraveis-com-covid-19

A população vulnerável de 17 municípios mineiros, com suspeita ou confirmação de infecção pelo novo coronavírus, poderá ter acolhimento diferenciado. O Governo de Minas vai repassar aproximadamente R$ 3 milhões para que cerca de 2 mil moradores de aglomerados possam ficar isolados em hotéis de cidades estrategicamente escolhidas no estado.

Crédito: Thomaz Silva

O projeto, que faz parte das ações de enfrentamento da covid-19, foi criado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), em parceria com Ministério Público Estadual. A iniciativa prevê que casos suspeitos e/ou confirmados para covid-19 na população residente em aglomerados sejam isolados nas redes hoteleiras mineiras. 

“O vírus da covid-19 é de alta transmissibilidade, principalmente, no ambiente domiciliar. Os aglomerados sociais são considerados fatores limitantes para o isolamento pela alta densidade demográfica e pelo grande número de pessoas que moram no mesmo espaço. Promover formas de isolamento para as populações vulneráveis é uma importante medida de Saúde pública para controlar a disseminação da doença”, afirma a infectologista da SES-MG e uma das responsáveis pelo projeto, Tânia Marcial.

Com a ação estratégica, explica Tânia, o Estado pretende reduzir a transmissão do vírus em ambientes de vulnerabilidade social, a necessidade de leitos para internação, incluindo os de terapia intensiva, e os óbitos relacionados à doença. 

Recursos

O repasse aos municípios que aderirem ao projeto será feito em parcela única, do Fundo Estadual de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde, em conta específica destinada exclusivamente para este fim. São 17 as cidades que podem aderir à iniciativa. Clique aqui para ver a lista e os valores destinados a cada uma.

Elas foram selecionadas respeitando os seguintes critérios: população maior ou igual a 150 mil habitantes; taxa de incidência de casos maior ou igual a 50% da média estadual; possuir sistemas de notificação oficiais (Sivep Gripe e Esus-Ve) atualizados; possuir aglomerados subnormais mapeados e taxa de incidência calculada para estas áreas; ter definidos os estabelecimentos e protocolos de funcionamento.

Os municípios que quiseram aderir devem sinalizar à SES-MG sobre o interesse em participar do projeto. A expectativa é que o valor de R$ 2.980 milhões de repasse resulte no acolhimento de 2 mil moradores de aglomerados. Cada cidade será responsável pela escolha dos hotéis.

Hotéis

Os hotéis foram os espaços escolhidos para esse isolamento por já possuírem infraestrutura adequada e serem unidades com facilidade de aplicação de protocolos sanitários, segundo Tânia Marcial. Serão adotadas medidas para implantação de cortes de isolamentos (andares ou alas com positivos, negativos e suspeitos). O protocolo recomenda que o uso de ar-condicionado e ventiladores seja evitado. Também não é recomendável receber visitas durante a hospedagem, exceto em casos de profissionais de Saúde, que devem usar máscara cirúrgica.

Cada pessoa em isolamento vai receber um kit de higiene composto por escova e pasta de dente, pano e álcool para limpeza de superfície, máscara cirúrgica (3 máscaras por dia), lenço descartável e recipiente com álcool gel. 


Hóspedes

O público alvo para a hospedagem são pessoas com sintomas leves, com suspeita ou confirmação da infecção pelo coronavírus, residentes de aglomerados, sem possibilidade de isolamento adequado em suas residências. “Os casos suspeitos serão avaliados pela equipe da Atenção Primária, sendo o encaminhamento realizado somente após essa análise, notificação no sistema ESUS-VE e coleta de exame”, afirma a infectologista.

Os casos sintomáticos, suspeitos ou confirmados serão isolados pelo período mínimo de dez dias após o início dos sintomas, estando até 72 horas assintomáticos. 
Contatos assintomáticos com exame de PCR positivo ficarão isolados por dez dias e com exame sorológico positivo por sete dias. 


Como os hotéis não são unidades de Saúde, não será permitido o isolamento de pessoas de grupo de risco, como maiores de 60 anos, gestantes, portadores de comorbidades e menores de 18 anos.

Mobilização social

O projeto será realizado em parceria entre os poderes públicos municipal e estadual, com organizações sociais e/ou entidades e fundações, juntamente com a sociedade civil, articulada com órgãos da Saúde.

]]>
Banco de notícias Tue, 11 Aug 2020 11:19:00 +0000
Governador presta homenagem às vítimas da covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13370-governador-presta-homenagem-as-vitimas-da-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13370-governador-presta-homenagem-as-vitimas-da-covid-19

Com uma fala direcionada às vítimas da Covid-19 em todo o país, o governador Romeu Zema prestou solidariedade aos familiares de mais de 100 mil brasileiros mortos pelo vírus no Brasil, durante coletiva virtual da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), realizada nesta segunda-feira (10/8).

Crédito: Gil Leonardi

"Gostaria de expressar minha solidariedade às mais de cem mil famílias que perderam algum ente querido no Brasil, número que foi completado neste fim de semana. Em Minas Gerais, estamos trabalhando arduamente para que este número seja o menor possível", disse o governador.

Em Minas, até o momento, foram registrados 155.075 casos confirmados da doença e 3.597 óbitos. Com um certo quadro de estabilidade da epidemia no estado, o governador destacou o trabalho realizado pelo governo para que a assistência aos mineiros aconteça de forma eficiente e ágil.

“Num tempo recorde, conseguimos ampliar em mais de 1.600 o número de leitos de UTI, para que não faltasse atendimento a nenhum mineiro que buscasse o sistema de saúde. Além disso, compramos mais de mil respiradores com os menores preços e temos hoje o estado com a menor taxa de óbito por 100 mil habitantes”, pontuou Romeu Zema.

Cenário em Minas

Na primeira semana de efetivação das novas mudanças do Plano Minas Consciente, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, destacou que a retomada das atividades nada mais é do que uma conquista da sociedade para limitar a transmissão do vírus, por meio do distanciamento social adequado e das medidas de autoproteção sanitárias. “Entretanto, embora o vírus ainda esteja circulando, eu entenderia que no contexto geral nós estamos conseguindo manter esta epidemia estável”, disse Amaral.

O Secretário de Estado Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, destacou que a SES mantém o monitoramento constante de todos os indicadores relacionados à covid-19, o que permite um planejamento mais eficiente frente à situação. “Dessa forma, é possível dizer que, neste momento, não há previsão de lockdown em nenhuma região de Minas”, afirmou.

Surtos

Como parte do controle da pandemia, o Secretário de Saúde explicou ainda sobre o tratamento de ocorrências de surtos no estado, possivelmente associados à covid-19. Nestes casos, a SES-MG presta assistência às instituições atingidas, caso seja necessário. "A covid-19 é uma doença de fácil transmissão e, por isso, uma das características desta epidemia é a ocorrência de surtos em locais onde as pessoas estejam expostas, como unidades prisionais, estabelecimentos de saúde e estabelecimentos de longa permanência”, explica o secretário.

De acordo com o secretário, quando o surto apresenta uma importância maior e a instituição envolvida encontra dificuldades para conter a situação, uma Unidade de Resposta Rápida, composta por profissionais de saúde da SES-MG, vai até a região para orientar e coordenar as restrições necessárias ao controle da transmissão do vírus.

Até o momento, foram notificados ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS-MG) 517 surtos de Síndrome Respiratória Aguda em investigação. “A semana epidemiológica 29 (contabilizada de 12/7 a 28/7) foi o período em que identificou-se o maior número de surtos notificados. A partir desse período, percebemos queda nas notificações”, disse Amaral.

]]>
Banco de notícias Mon, 10 Aug 2020 16:52:07 +0000
Regional de Saúde de Divinópolis realiza videoconferência sobre alterações no plano Minas Consciente https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13396-regional-de-saude-de-divinopolis-realiza-videoconferencia-sobre-alteracoes-no-plano-minas-consciente https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13396-regional-de-saude-de-divinopolis-realiza-videoconferencia-sobre-alteracoes-no-plano-minas-consciente

Com a participação de técnicos da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Divinópolis, Ministério Público Estadual e Gestores Municipais de Saúde da Macrorregião Oeste, foi realizada na última sexta-feira (7/8), uma videoconferência para apresentar as principais mudanças no plano “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo”.

Crédito: Willian Pacheco

Na ocasião, foram apresentados os dados que embasaram as modificações, os impactos da crise econômica, bem como o aumento no número de leitos de UTI na rede de saúde pública. Hoje, a Macrorregião Oeste possui 250 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Antes da pandemia do novo Coronavírus, a região contava com 105 leitos.

O superintendente adjunto da Regional de Saúde de Divinópolis, Júlio Guimarães Barata, destacou as alterações no plano que passa a ser um protocolo único e completo. Abordou também a reorganização das ondas; mudança do nível de análise macrorregional para microrregional e tratamento diferenciado para municípios de pequeno porte e alterações dos indicadores que balizam as tomadas de decisões. “Esse é um programa de governo que é gerenciado por duas Secretarias de Estado, a de Desenvolvimento Econômico (Sede) e a de Saúde (SES-MG). O programa conta com um protocolo mais robusto para atender as especificidades dos municípios”, ressaltou o superintendente adjunto.

A coordenadora da Atenção Primária da SRS Divinópolis, Ana Siqueira, pontuou com os gestores que o programa possui sete indicadores que avaliam a incidência da doença, a capacidade de atendimento e a velocidade de avanço da doença na região.  Os indicadores avaliados semanalmente são: taxa de incidência Covid-19; taxa de ocupação de leitos UTI adulto; taxa de ocupação por Covid-19; leitos por 100 mil habitantes; positividade atual RT-PCR; porcentagens de aumento da incidência e de aumento da positividade dos exames PCR.

Esses indicadores fundamentais para dar previsibilidade se uma macro ou microrregião avança ou retroage em uma onda.  “Por um mecanismo de segurança, há a necessidade de observar o período mínimo de 28 dias em onda 2 (amarela) para ser possível evolução à onda 3 (verde), enquanto a possibilidade de retrocesso, em caso de agravamento (onda vermelha), deve sempre ser imediata. Portanto, para que determinada localidade atinja a onda verde, ela precisa aguardar 28 dias na onda amarela”, reforçou a coordenadora.

Macrorregião Oeste

A Macrorregião Oeste, após três meses de programa e cinco meses de pandemia, avançou para a antiga Onda Branca, que correspondia aos serviços não essenciais que representavam pequeno risco de transmissão do vírus no modelo anterior do plano Minas Consciente.  Com a reformulação, a Macrorregião Oeste foi para a Onda Amarela, em que são permitidos serviços não essenciais que não provoquem grandes aglomerações. Neste momento, apenas a microrregião de Oliveira/Santo Antônio do Amparo foi configurada em uma onda mais restritiva, a Onda Vermelha, de serviços essenciais. Para progredir da onda vermelha para a amarela são necessários 7 dias. “Vale frisar que quando o município adere ao plano, ele não adere à uma onda, mas à um protocolo. Toda evolução e avanço da onda se deve, também, à abertura de leitos. Precisamos agora ter um controle da pandemia mais sólido na macrorregião para podermos evoluir para a próxima onda”, finalizou o superintendente da SRS Divinópolis, Alan Rodrigo da Silva.

Macro Oeste

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 20:58:32 +0000
Doresópolis inaugura centro de atendimento à Covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13395-doresopolis-inaugura-centro-de-atendimento-a-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13395-doresopolis-inaugura-centro-de-atendimento-a-covid-19

O município de Doresópolis, da Regional de Saúde de Passos (SRS Passos), inaugurou um centro de atendimento para o enfrentamento da Covid-19 para atender pessoas que tiveram contato com infectados pelo novo Coronavírus e pacientes com Covid-19, com o intuito de liberar as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para outras enfermidades, pois por precaução e devido ao isolamento social, muitos usuários deixaram de procurar as unidades para evitar uma possível contaminação pelo vírus. Por isso, segundo a secretária municipal de saúde, Rosângela Guerra, a prefeitura decidiu criar um ambiente específico para os casos de síndrome gripal.

Crédito: Karine Costa

“Dado o recente aumento no número de casos, aqui em Doresópolis, de Covid-19, possuir um espaço específico para abordar pacientes com Covid-19 representa para nós um empenho de estabelecer um sistema de saúde completo e resolutivo. Estamos alinhados, estritamente, aos demais índices da federação e queremos garantir aos pacientes que usam a Unidade Básica de Saúde por outros sintomas, como hipertensão e diabetes, que eles possam ir à unidade com mais segurança e melhor atendimento”, explicou a secretária.

 A estrutura conta com um consultório médico e enfermaria e funciona das 7h às 21h. A implementação desse centro faz parte dos credenciamentos autorizados pelo Ministério da Saúde pela Portaria nº 1.579, que disponibiliza custeio temporário. Esse centro foi habilitado pelo Ministério da Saúde em 6 de agosto e tem carácter provisório.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 20:18:40 +0000
SES-MG promove reunião sobre as novas medidas do Plano Minas Consciente com a Macro Sul https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13394-ses-mg-promove-reuniao-sobre-as-novas-medidas-do-plano-minas-consciente-com-a-macro-sul https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13394-ses-mg-promove-reuniao-sobre-as-novas-medidas-do-plano-minas-consciente-com-a-macro-sul

Com o objetivo de abordar as alterações do Plano Minas Consciente, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, participou de uma videoconferência com prefeitos e secretários municipais de saúde das cidades que compõem a Região Macro Sul em que as Superintendências Regionais de Saúde de Alfenas, Passos, Pouso Alegre e Varginha fazem parte. Também estavam presentes o secretário Adjunto de Saúde, Luiz Marcelo Cabral Tavares, o chefe de gabinete, João Márcio Silva de Pinho, e o subsecretário de Gestão Regional, Darlan Venâncio Thomaz Pereira.

Crédito: Tânia Corrêa

O secretário Carlos Eduardo ressaltou que a epidemia possui momentos característicos em cada região do Estado, por isso a necessidade de se “manter a atenção e os cuidados, tendo em vista cada realidade distinta”. O chefe de gabinete, João Márcio Pinho apresentou as mudanças: no modo de análise que deverá ser feito por macrorregião, mas com a divulgação de dados por microrregião; no período com a possibilidade de avanço ou recuo das ondas; nos indicadores e, também, no resultado, quando o município poderá optar entre a posição da micro ou da macrorregião à qual pertence. Os municípios de pequeno porte, até 30 mil habitantes, poderão ficar na Onda 2 (amarela), independente se a Macro estiver na vermelha, desde que sejam observados alguns critérios, como por exemplo, a incidência de casos confirmados, os protocolos de segurança, dentre outros.

Regionalização

Foi lembrado que os municípios que não aderirem ao programa serão automaticamente considerados geridos pela Deliberação 17 de 22/3/2020, que aborda “medidas emergenciais de restrição e acessibilidade a determinados serviços e bens públicos e privados cotidianos, enquanto durar o estado de calamidade pública em decorrência da pandemia da Covid-19, em todo o território do Estado”.

Foi aberto espaço para perguntas, que, ao final da apresentação, foram respondidas pela equipe. “Temos a intenção de manter estas reuniões de forma regular com os gestores das Macrorregiões, para mantermos esse contato constante”, finalizou o secretário Carlos Eduardo.

Para mais informações sobre o plano "Minas Consciente - Retomando a economia do jeito certo", acesse: https://www.mg.gov.br/minasconsciente

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 19:18:32 +0000
SRS Alfenas orienta serviços da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência no contexto da Covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13393-srs-alfenas-orienta-servicos-da-rede-de-cuidados-a-pessoa-com-deficiencia-no-contexto-da-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13393-srs-alfenas-orienta-servicos-da-rede-de-cuidados-a-pessoa-com-deficiencia-no-contexto-da-covid-19

A Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Alfenas realizou uma videoconferência com a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência (RCPD), atuante nos municípios de sua abrangência, na última sexta-feira (7/8). O objetivo foi o de orientar sobre a proposta de reestruturação do monitoramento assistencial desses cuidados, pois devido à pandemia, muitos serviços como, por exemplo, o atendimento ambulatorial que foi suspenso total ou parcialmente, optando-se pelo regime de teleatedimento e telemonitoramento de pacientes com perfil eletivo e estabilidade clínica.

Crédito: Thayane Lenzi

“Nós temos acompanhado essa nova proposta e, também, a preocupação dos profissionais de saúde de que, em alguns casos, o atendimento presencial é necessário para que não gere retrocesso na reabilitação. Alguns quadros clínicos necessitam ser avaliados presencialmente para melhor observância na qualidade de vida do paciente”, explicou a coordenadora do Núcleo de Redes de Atenção à Saúde da SRS Alfenas, Andréa de Fátima Santos Carvalho.

Por esse motivo, foi repassado que as equipes assistenciais dos serviços da RCPD farão uma avaliação em quais casos são excepcionais, com base nas condições clínicas e no Projeto Terapêutico Individualizado (PTI) do paciente e, caso haja a necessidade da continuidade da reabilitação presencial, essa assistência será feita seguindo todo o protocolo sanitário e adotando práticas adequadas de biossegurança para proteger tanto o paciente quanto o profissional para se evitar possível transmissão da Covid-19.

“Nós temos que buscar essa reestruturação da melhor maneira possível, com horário marcado e controlado, evitando aglomerações em salas de espera e, dessa forma, garantindo o distanciamento e a desinfecção constante do local de atendimento e dos equipamentos utilizados. Focando, também, nas normas de higienização e no uso dos equipamentos de proteção individual por parte dos profissionais de saúde, bem como seu descarte correto”, reforçou a coordenadora do Núcleo de Vigilância Sanitária da SRS Alfenas, Waldete Brandão de Carvalho.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 18:13:59 +0000
Mudanças no Plano Minas Consciente são apresentadas para o municípios da macrorregião Nordeste https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13392-mudancas-no-plano-minas-consciente-sao-apresentadas-para-o-municipios-da-macrorregiao-nordeste https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13392-mudancas-no-plano-minas-consciente-sao-apresentadas-para-o-municipios-da-macrorregiao-nordeste

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, reuniu-se, no dia 6 de agosto, com prefeitos e gestores de saúde dos municípios da macrorregião de Saúde Nordeste para falar sobre as novas medidas do plano Minas Consciente.

A sociedade em geral e os municípios tiveram oportunidade de contribuir com a construção da nova versão do plano após realização de consulta pública aberta entre os dias 16 e 22 de julho, com o objetivo de aprimorar as estratégias para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Entre as principais mudanças está a adoção de protocolo único com regras de funcionamento para as empresas, condutas e posturas para os trabalhadores e cidadãos. Essas regras deverão estar fixadas na porta das empresas dos municípios que aderirem ao plano, permitindo o controle social e facilitando a fiscalização por parte do ente federativo municipal.

A ordem das cores das ondas também foram alteradas, passando a onda 1 ser a vermelha e abranger os serviços essenciais, a onda 2 ser a amarela e englobar os serviços não-essenciais como floriculturas, papelarias entre outras atividades, e a terceira e última onda passa a ser a verde com os serviços não-essenciais de maior risco de contágio e aglomeração, como clubes, academias, cinemas entre outras. Outra alteração do plano refere-se aos municípios de pequeno porte. Os municípios com até 30 mil habitantes passaram a ter um tratamento diferenciado por possuírem características distintas de comércio, poucos casos de covid-19 e em algumas cidades, sem registro de óbito pela doença. Caso o município faça adesão ao plano, suas atividades econômicas compreendidas nas ondas um e dois do plano poderão funcionar. “Existe a possibilidade desse município ir para a onda amarela mesmo se a macrorregião de saúde a que pertence estiver, por exemplo, na onda vermelha”, afirma Emília Vilela, coordenadora da Vigilância Sanitária da Superintendência Regional de Saúde de Teófilo Otoni. A liberação de uma nova onda, ou regresso a uma situação anterior é realizada a partir de um monitoramento constante de indicadores relativos à capacidade assistencial e à propagação da doença, culminando em decisões do Comitê Extraordinário COVID-19 e dos gestores municipais.

Até o momento, 455 municípios mineiros aderiram ao Plano Minas Consciente. Desses, oito pertencem à macrorregião Nordeste que está na onda Vermelha. De acordo com a última atualização do plano, desses oito municípios, três estão aptos a ir para onda amarela.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 18:13:44 +0000
Vacinação antirrábica começa dia 17 com previsão de imunizar 232 mil animais na Regional de Montes Claros https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13391-vacinacao-antirrabica-comeca-dia-17-com-previsao-de-imunizar-232-mil-animais-na-regional-de-montes-claros https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13391-vacinacao-antirrabica-comeca-dia-17-com-previsao-de-imunizar-232-mil-animais-na-regional-de-montes-claros
Começa no próxima segunda-feira, 17 de agosto, a Campanha Nacional de Vacinação Antirrábica. Neste ano, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) está disponibilizando 233 mil doses de vacinas para 54 municípios que compõem a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS – Montes Claros). Assim como nos anos anteriores, o quantitativo teve acréscimo de 5% em relação a 2019. A previsão é de que num prazo de 45 dias as 54 secretarias municipais de saúde que integram a área de atuação da SRS – Montes Claros deverão vacinar 232 mil cães e gatos.
Crédito: Pedro Ricardo
A raiva é uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem. Se caracteriza como uma encefalite progressiva com letalidade de aproximadamente 100%. Trata-se de uma doença passível de eliminação no seu ciclo urbano pela vacinação de cães e gatos, além da existência de medidas eficientes de prevenção, como a imunização humana, a disponibilização de soro antirrábico humano e a realização de bloqueios de foco.
 
A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da SRS-Montes Claros, Agna Soares da Silva Menezes ressalta que já foram repassadas várias orientações técnicas às secretarias municipais de saúde a respeito da implementação da Campanha de Vacinação Antirrábica, bem como em relação às providências que devem ser tomadas para que seja alcançada a meta de vacinação de 100% dos animais de cada localidade.
 
“Devido à pandemia da covid-19, os municípios devem adotar várias medidas de segurança, entre elas o uso de luvas e máscaras por parte dos aplicadores de vacina; higienização constante das mãos com água e sabão; manutenção do distanciamento social; evitar aglomerações e o contato físico com o proprietário dos animais e outras pessoas. Dependendo da situação de cada município, o Estado também recomenda a implementação da Campanha de Vacinação de casa em casa, evitando com isso a ocorrência de aglomerações de pessoas e assegurando que todos os animais sejam vacinados dentro do prazo previsto”, acrescenta Agna Menezes.
 
Entre os 55 municípios que integram a área de atuação da SRS - Montes Claros, os que tem previsão de vacinar maior número de animais são: Montes Claros (55 mil 911); Janaúba (12 mil 808); Bocaiúva (11 mil 363); Francisco Sá (10 mil 202); Rio Pardo de Minas (9.476); Porteirinha (7 mil 967); Jaíba (7 mil 119); Taiobeiras (6 mil 807); Salinas (6 mil 225); Espinosa (6 mil 623) e Coração de Jesus (6 mil 088).
 
TRANSMISSÃO

A raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura. A doença também pode ser transmitida pela arranhadura ou lambedura desses animais.

O período de incubação é variável entre as espécies, desde dias até anos, com uma média de 45 dias no ser humano, podendo ser mais curto em crianças. O período de incubação está relacionado à localização, extensão e profundidade da mordedura, arranhadura, lambedura ou tipo de contato com a saliva do animal infectado; da proximidade da porta de entrada com o cérebro e troncos nervosos; concentração de partículas virais inoculadas e cepa viral.

Em cães e gatos, a eliminação do vírus pela saliva ocorre de dois a cinco dias antes do aparecimento dos sinais clínicos e persiste durante toda a evolução da doença (período de transmissibilidade). A morte do animal acontece, em média, entre cinco e sete dias após a apresentação dos sintomas.

Não se sabe ao certo qual o período de transmissibilidade do vírus em animais silvestres. Entretanto, é sabido que os morcegos podem albergar o vírus por longo período, sem sintomatologia aparente.

SINTOMAS

Após o período de incubação, surgem sinais e sintomas clínicos inespecíficos da raiva, que duram em média de dois a dez dias. Nesse período, o paciente apresenta mal-estar geral; pequeno aumento de temperatura; anorexia; cefaleia; náuseas; dor de garganta; entorpecimento; irritabilidade; inquietude e sensação de angústia.

Podem ocorrer inchaço, aumento da sensibilidade ao tato ou à dor, frio, calor, formigamento, agulhadas, adormecimento ou pressão no trajeto de nervos periféricos, próximos ao local da mordedura e alterações de comportamento.

A infecção da raiva progride, surgindo manifestações mais graves e complicadas, como: ansiedade e hiperexcitabilidade crescente; febre; delírios; espasmos musculares involuntários, generalizados ou convulsões. Espasmos dos músculos da laringe, faringe e língua ocorrem quando o paciente vê ou tenta ingerir líquido, apresentando sialorreia intensa (“hidrofobia”). Os espasmos musculares evoluem para um quadro de paralisia, levando a alterações cardiorrespiratórias, retenção urinária e constipação intestinal. Observa-se, ainda, a presença de disfagia, aerofobia, hiperacusia e fotofobia.

O paciente se mantém consciente, com período de alucinações, até a instalação de quadro comatoso e a evolução para óbito. O período de evolução do quadro clínico, depois de instalados os sinais e sintomas até o óbito, é, em geral, de dois a sete dias.

TRATAMENTO

A confirmação laboratorial em vida, ou seja, o diagnóstico dos casos de raiva humana, pode ser obtida pelo método de imunofluorescência direta, em impressão de córnea, raspado de mucosa lingual ou por biópsia de pele da região cervical.

A sensibilidade dessas provas é limitada e, quando negativas, não se pode excluir a possibilidade de infecção. A realização da autópsia é de extrema importância para a confirmação diagnóstica.
A raiva é uma doença quase sempre fatal, para a qual a melhor medida de prevenção é a vacinação pré ou pós exposição ao vírus. Quando a profilaxia antirrábica não é realizada e a doença se instala, pode-se utilizar um protocolo de tratamento da raiva humana, baseado na indução de coma profundo, uso de antivirais e outros medicamentos específicos. Entretanto, é importante salientar que nem todos os pacientes de raiva, mesmo submetidos ao protocolo, sobrevivem.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 17:16:25 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13390-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13390-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, e o subsecretário de Desenvolvimento Regional Douglas Cabido respondem perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta quinta-feira (13/8), às 12h30.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus em Minas Gerais e as informações sobre o programa Minas Consciente.

Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais (Facebook do Governo de Minas e Instagram da Secretaria de Saúde). Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv.

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

As perguntas devem ser enviadas até as 10h30, desta quinta-feira (13/8), para o secretário adjunto de Saúde pelo e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br e, para o subsecretário de Desenvolvimento Regional, para: comunicacao@desenvolvimento.mg.gov.br.

Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Serviço: Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais e mudança do plano Minas Consciente
Data: 13/8/2020 (quinta-feira)
Horário: ‪12h30
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)
Transmissão via redes sociais: Instagram - https://instagram.com/saudemg
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 16:32:20 +0000
Regional de Saúde de Passos participa de videoconferência com Secretário de Estado de Saúde https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13387-regional-de-saude-de-passos-participa-de-videoconferencia-com-secretario-de-estado-de-saude https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13387-regional-de-saude-de-passos-participa-de-videoconferencia-com-secretario-de-estado-de-saude

A Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS Passos) participou da videoconferência do secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral Pereira da Silva, com prefeitos, secretários de saúde municipais e superintendentes da Macrorregião Sul, nessa terça-feira (11/8). O objetivo do encontro virtual foi o de apresentar as alterações do Minas Consciente – plano do governo estadual para orientar a abertura das atividades econômicas de forma gradual, durante a pandemia do novo Coronavírus.

A Macrorregião Sul é composta pelas Regionais de Saúde de Alfenas, Passos, Pouso Alegre e Varginha, abrangendo todos os municípios sul-mineiros. Mais de 160 pessoas participaram da reunião e puderam conhecer detalhes do plano, além de esclarecer dúvidas junto à equipe do secretário.

Crédito: Karine Costa

A superintendente da SRS Passos, Kátia Rita Gonçalves, como presidente do Comitê Macrorregional Sul Covid-19, recepcionou virtualmente o secretário e os demais participantes. O secretário Carlos Eduardo Amaral abriu a videoconferência, dizendo que: “Nós estamos fazendo essas reuniões com todas as macrorregiões do estado para trazer informações sobre o acompanhamento da pandemia e ouvir os participantes sobre as novas medidas do Minas Consciente”.

Na sequência, o chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), João Pinho, fez uma apresentação do cenário epidemiológico na macrorregião sul – que engloba os municípios sul-mineiros – e explicou os fatores que levaram o governo a revisar o Minas Consciente falando sobre as principais alterações no plano.

De acordo com Kátia Gonçalves, com as alterações no Plano Minas Consciente, todos os municípios da SRS de Passos aderiram ao programa, comprovando que os prefeitos pretendem seguir as orientações da SES-MG e do governo estadual quanto à prevenção da Covid-19. “Na sexta-feira (7/8), nós chegamos à 100% de adesão dos municípios. Isso é muito importante para a região manter a pandemia sob controle”, finalizou, a superintendente.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 15:50:12 +0000
Governo reforça atendimento à covid-19 no Norte de Minas https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13386-governo-reforca-atendimento-a-covid-19-no-norte-de-minas https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13386-governo-reforca-atendimento-a-covid-19-no-norte-de-minas

Governo de Minas aprovou a prorrogação das contratações temporárias de 118 profissionais de Saúde para o Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), da Unimontes, em Montes Claros, na região Norte do estado. Os profissionais atuam no atendimento das demandas específicas para a pandemia de covid-19 e a nova vigência será de quatro meses. Também autorizou o hospital a realizar 75 novas contratações temporárias. No total, 193 profissionais integram o reforço ao suporte da unidade para atendimento aos pacientes com suspeita ou confirmação da doença.

Crédito: Cote Alvarenga

O HUCF/Unimontes é uma das referências no município e na região Norte de Minas para o tratamento da covid-19, em alinhamento com o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado de Saúde (SES). A decisão do Estado, por meio do Comitê de Orçamento e Finanças (COF), atende à demanda apresentada pela gestão superior da universidade.

Novas vagas

As novas 75 vagas são para a contratação temporária de 17 enfermeiros, nove fisioterapeutas, três bioquímicos, 43 técnicos em Enfermagem e três técnicos em Farmácia.

O processo de seleção dos profissionais seguirá o mesmo modelo adotado em março, obedecendo à ordem de classificação do concurso público realizado pelo HUCF.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 15:36:03 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 12/08/2020 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13384-informe-epidemiologico-coronavirus-12-08-2020 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13384-informe-epidemiologico-coronavirus-12-08-2020

Até o momento foram 160.485 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.745 casos e são 128.957 casos recuperados***. Estão confirmados 3.783 óbitos. São 17.319 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,1%.
 
A SES-MG reforça que o número de casos e óbitos confirmados nas últimas 24h pode não retratar a ocorrência de novos casos no período, mas o total de casos notificados à SES/MG nas últimas 24h.
 
*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.
 
**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.
***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.
 
Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.
 
Devido à alteração, com a unificação das informações repassadas pelas prefeituras ao sistema federal e não mais à SES-MG, momentaneamente não serão divulgadas determinadas informações sobre os óbitos, como sexo e idade, até que as mudanças estejam concluídas.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 12/8/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.
 
Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o informe detalhado clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Aug 2020 09:33:58 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13381-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13381-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais


O secretário de Saúde do Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário adjunto Marcelo Cabral respondem perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta quarta-feira (12/8), às 12h30‬.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais - Instagram da Saúde e Facebook do Governo de Minas.

Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/.

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

- As perguntas devem ser enviadas até as 10h30, desta quarta-feira (12/8) para e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br .
- Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Serviço: Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais
Data: 12/8/2020 (quarta-feira)
Horário: ‪12h30‬
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)
Transmissão via redes sociais: Instagram - https://instagram.com/saudemg/
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Tue, 11 Aug 2020 17:08:54 +0000
Regional de Saúde de Januária avalia a cobertura vacinal das campanhas de influenza e sarampo https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13382-regional-de-saude-de-januaria-avalia-a-cobertura-vacinal-das-campanhas-de-influenza-e-sarampo https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13382-regional-de-saude-de-januaria-avalia-a-cobertura-vacinal-das-campanhas-de-influenza-e-sarampo

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Gerência Regional de Saúde de Januária, por intermédio do setor de Imunização, realizou uma reunião com os 25 coordenadores municipais de imunização e atenção primária, na última sexta-feira (7/8), com o objetivo sensibilizá-los e mobilizá-los com relação às baixas coberturas vacinais das campanhas contra influenza e contra o sarampo.

A referência técnica de imunização, Iolanda Soares Vieira, informou que a adesão do público alvo (20 a 49 anos) foi baixa na campanha contra o sarampo e por esse motivo foi necessária a prorrogação da campanha de sarampo “dessa forma, temos menos de 30 dias para nos esforçamos para alcançar o público dessa campanha que é um público jovem e economicamente ativo”, afirmou.

Crédito: Iolanda Santos Vieira

A principal medida de prevenção e controle do sarampo é a vacinação, disponível durante todo o ano na rotina de vacinação dos serviços de saúde do país. A população deve saber da importância de se vacinar contra o sarampo, mesmo em tempo de pandemia da Covid-19, pois o sarampo é uma doença grave e de alta transmissibilidade, uma pessoa infectada pode transmitir para até outras 18 pessoas. A disseminação do vírus ocorre por via aérea ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Nesse caso, não é necessário o contato direto porque o vírus pode se disseminar pelo ar à metros de distância da pessoa infectada.

 

Já com relação à vacina contra a influenza, mesmo não tendo eficácia contra o novo Coronavírus, nesse momento, ela auxilia os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para a Covid-19, já que os sintomas são parecidos. Além disso, prevenindo-se da influenza, há redução pela procura por serviços de saúde.

Durante a reunião foram apresentadas pela articuladora entre Imunização e Atenção Primária, Millene Rodrigues, estratégias utilizadas em municípios de Minas Gerais que tiveram, até o momento, bons resultados na campanha contra o sarampo, visando fomentar as equipes.

Por fim, Iolanda, informou que a regional de Januária foi uma das regionais com cobertura vacinal mais alta do estado, nessa campanha contra sarampo, quase 50% (segundo os dados da planilha do site sipni.datasus), mas ressaltou que “não é motivo de comemoração, pois ainda precisamos alcançar a meta de 95% em todas as faixa-etárias”. Com relação à campanha contra a influenza reforçou que “ainda temos dois grupos prioritários que ainda não atingiram a meta de 90%, mas como o site (http://sipni.datasus.gov.br/si-pni-web/faces/inicio.jsf) ainda continuará aberto para a realização de registros das doses de vacinas realizadas, por parte dos municípios, e também ainda temos municípios realizando vacinação, possivelmente, podemos melhorar as coberturas”, finalizou.

]]>
Banco de notícias Tue, 11 Aug 2020 16:58:48 +0000
Regional de Saúde de Sete Lagoas orienta gestores sobre o programa “Minas Consciente” para retomada responsável das economias locais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13378-regional-de-saude-de-sete-lagoas-orienta-gestores-sobre-o-programa-minas-consciente-para-retomada-responsavel-das-economias-locais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13378-regional-de-saude-de-sete-lagoas-orienta-gestores-sobre-o-programa-minas-consciente-para-retomada-responsavel-das-economias-locais

Para orientar a tomada de decisão dos municípios da Regional de Saúde de Sete Lagoas (SRS-Sete Lagoas), foi realizada na sexta-feira (6/8) reunião on-line que apresentou as características da nova versão do plano Minas Consciente, que visa a retomada segura da economia no cenário da pandemia da Covid-19.

Crédito: Regional de Sete Lagoas

O superintendente Regional de Saúde de Sete Lagoas, Fabrício Júnior Alves Teixeira, apresentou aos gestores dos 35 municípios que compõem a região de saúde da SRS-Sete Lagoas as principais mudanças do plano Minas Consciente, que passa a considerar como critério para o avanço das ondas, características como o número de habitantes da cidade, a logística de atendimento e a capacidade assistencial. Essa versão do plano passa a adotar, também, um protocolo único e a diminuição de 4 para 3 ondas (verde, amarela e vermelha) para a categorização dos municípios na reabertura do comércio.

O superintendente ressaltou a transparência com que o Governo do Estado tem conduzido esse planejamento, apresentando aos participantes o portal do Minas Consciente (www.mg.gov.br/minasconsciente). Ele indicou onde estão dispostas as informações sobre o plano, o processo de adesão e, ainda, os Relatórios de Transparência onde constam os pareceres técnicos e atas de reunião que podem ser consultados por toda a população.

“Antes, as ondas consideravam o risco de contaminação das atividades econômicas e agora examina-se o cenário dos municípios e não dos serviços. Com isso, à medida que os cenários locais forem melhorando e o risco de contaminação for diminuindo, vamos avançando na retomada da economia”, explicitou Teixeira. Ele pontuou que nessa fase foi adotado o tratamento simplificado para municípios com menos de 30 mil habitantes que aderirem ao “Minas Consciente”. Esses municípios podem progredir automaticamente para a onda amarela no plano quando apresentarem taxa de incidência menor que 50 casos por 100 mil habitantes por 14 dias.

Regional Sete Lagoas

A Regional de Sete Lagoas possui, atualmente, 18 municípios que aderiram ao Programa “Minas Consciente”, e de acordo com os critérios analisados, as cidades que integram a microrregião de saúde de Curvelo (Augusto de Lima, Buenópolis, Curvelo, Felixlândia, Morro da Garça, Presidente Juscelino e Três Marias) podem optar por avançar para a onda amarela de acordo com os dados da microrregião. Já aqueles que integram a microrregião de saúde de Sete Lagoas (Abaeté, Cachoeira da Prata, Cordisburgo, Funilândia, Jequitibá, Maravilhas, Papagaios, Pequi, Pompéu, Prudente de Morais e Sete Lagoas), se mantém na onda vermelha devido aos indicadores da microrregião.

“A decisão deve levar em consideração os indicadores da macrorregião de Saúde, a nossa é a Centro e está na onda vermelha, o indicador da microrregião de saúde e a característica de ser um município que possui menos de 30 mil habitantes, sempre prevalecendo o princípio da cautela”, explicou o superintendente ao exemplificar a cidade de Presidente Juscelino, que apesar de estar na microrregião de saúde de Curvelo,  que encontra-se na região amarela, tem população superior a 30 mil habitantes, estando assim com dois indicadores na onda vermelha.

Outro exemplo é o município de Funilândia, que embora tenha população inferior a 30 mil habitantes e ter apresentado índice de contaminação menor que 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, pertence a uma microrregião de saúde e a uma macrorregião de saúde que estão ainda na onda vermelha. “Nesses casos indicamos, pelo princípio da cautela, que os municípios permaneçam na onda vermelha, mas lembramos que essa tomada de decisão é do município que tem autonomia para escolher avançar ou não”, salientou Teixeira.

A reunião foi realizada em conjunto com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS-MG) da Regional de Sete Lagoas. A iniciativa se deu em função de orientar e tirar dúvidas dos gestores, como explicou a apoiadora do COSEMS Regional Sete Lagoas, Cláudia Adriani de Oliveira, “vimos a necessidade de realizar essa reunião para ajudar os municípios a tomarem a decisão e entenderem os indicadores”.

]]>
Banco de notícias Tue, 11 Aug 2020 10:23:55 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika (11/08) https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13385-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-11-08 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13385-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-11-08

Desde o boletim publicado em 19/06, a SES-MG passa a divulgar também os casos confirmados de dengue, chikungunya e Zika. Em 2020, até o momento, Minas Gerais registrou 81.619 casos prováveis (casos notificados exceto os descartados) de dengue. Desse total, 53.089 casos foram confirmados para a doença. Quanto aos óbitos, em 2020, foram confirmados 10 óbitos pelo agravo. Há 54 óbitos em investigação.

Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados, em 2020, até o momento, 2.181 casos prováveis da doença. Destes, 1.203 foram confirmados. Há 03 óbito em investigação.

Já em relação à Zika, em 2020 foram registrados 387 casos prováveis. Destes, 119 foram confirmados para a doença.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG (atualizado em 11/08/2020).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue, zika e chikungunya por município nas quatro últimas semanas epidemiológicas (atualizado em 11/08/2020)

» Clique aqui e confira a Tabela de óbitos confirmados e em investigação em 2020 (atualizado em 11/08/2020)

]]>
Banco de notícias Tue, 11 Aug 2020 09:48:00 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 11/08/2020 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13377-informe-epidemiologico-coronavirus-11-08-2020 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13377-informe-epidemiologico-coronavirus-11-08-2020

Até o momento foram 156.551 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.936 casos e são 125.002 casos recuperados***. Estão confirmados 3.613 óbitos. São 16.825 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,1%.
 
A SES-MG reforça que o número de casos e óbitos confirmados nas últimas 24h pode não retratar a ocorrência de novos casos no período, mas o total de casos notificados à SES/MG nas últimas 24h.
 
*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.
 
**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.
***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.
 
Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.
 
Devido à alteração, com a unificação das informações repassadas pelas prefeituras ao sistema federal e não mais à SES-MG, momentaneamente não serão divulgadas determinadas informações sobre os óbitos, como sexo e idade, até que as mudanças estejam concluídas.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 11/8/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.
 
Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o informe detalhado clicando aqui.

 
]]>
Banco de notícias Tue, 11 Aug 2020 09:31:03 +0000
Secretário de Estado de Saúde reúne com gestores do Triângulo do Norte https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13376-secretario-de-estado-de-saude-reune-com-gestores-do-triangulo-do-norte https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/banco-de-noticias/stories/13376-secretario-de-estado-de-saude-reune-com-gestores-do-triangulo-do-norte

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, juntamente com o chefe de gabinete, João Pinho, e o subsecretário de Gestão Regional, Darlan Pereira, reuniram-se na sexta-feira (7/8), por videoconferência, com gestores municipais da macrorregião Triângulo do Norte. Durante o encontro virtual, os participantes falaram sobre a possibilidade de manter as medidas protetivas e adesão ao plano Minas Consciente ou de seguir o caráter vinculante da Deliberação nº 17 do Comitê Extraordinário Covid-19 de Minas Gerais por parte das prefeituras.

Crédito: Lilian Cunha

O secretário disse que a nova reformulação do Minas Consciente não afasta as recomendações sanitárias que os municípios precisam diariamente reforçar junto à população. “Na flexibilização coordenada das atividades econômicas deve se manter as medidas individuais, como o uso de máscara, higienização das mãos e o distanciamento social”.

Amaral completou que a epidemia teve picos na região e agora está numa tendência de queda, mas o nível de transmissão ainda é alto. “Para o desempenho ser progressivo, é necessário o bom senso e muito cuidado. Há uma decisão judicial, em que o município não pode fazer seu próprio programa. Ele segue a Deliberação nº 17 ou a 39, lembrando que a primeira é mais restritiva, comparada com a maior maleabilidade que o Programa oferece. Lembro que a diretriz estadual não interfere na autonomia dos gestores municipais, que podem ditar regras mais rígidas do que na onda em que se encontram, mas não mais flexíveis”, destacou o secretário.

Programa Minas Consciente no Triângulo do Norte

Dos vinte e sete municípios do Triângulo do Norte, dez municípios aderiram ao Programa, o que representa mais de 1 milhão de pessoas no território, ou seja, 77% dos habitantes estão abrangidos pela Deliberação nº 39. Na macrorregião, grande parte dos municípios, 22, possuem menos de 30 mil habitantes, e a nova versão do Minas Consciente traz um tratamento diferenciado, em que eles podem configurar na onda amarela (serviços não essenciais) mesmo que a micro e/ou macrorregião estejam na onda vermelha (serviços essenciais). Esses municípios devem cumprir os seguintes requisitos para estar na onda 2: não possuir sistemas de transporte coletivo relevantes, rotinas e costumes diferentes aos das cidades maiores, densidade demográfica baixa e incidência de casos ativos confirmados abaixo de 50/100 mil habitantes em 14 dias.

Triângulo do Norte

O secretário de saúde de Santa Vitória e presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS/MG) Regional de Ituiutaba, elogiou a nova versão do Programa. “A todo momento somos cobrados pela população não apenas na área de saúde, como também na econômica. O Minas Consciente nos dá uma maior segurança para a tomada de decisão junto ao prefeito e ao comitê municipal”, pontuou Geraldo Xavier Rocha Júnior.

No mesmo sentido, Gustavo Tannús, secretário de saúde de Monte Alegre de Minas e presidente do COSEMS Regional de Uberlândia, demonstrou ter expectativa de que na próxima semana um maior número de munícipios da região fará parte do Minas Consciente, vislumbrando uma atitude uniforme e coordenada das atividades comerciais no Triângulo do Norte. “Os prefeitos da região já estudaram as novas diretrizes e esperamos que em breve mais municípios da macrorregião formalizem a adesão junto a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico”.

Cenário epidemiológico e assistencial do Triângulo do Norte

O Triângulo do Norte, com 1,3 milhão de habitantes, tem a circulação do vírus confirmada em praticamente todos os municípios. O boletim estadual divulgado no dia 7/8  traz a confirmação de 18.190 casos do novo Coronavírus, sendo 361 óbitos.

Um dos critérios que possui maior peso no avanço de classificação da onda na macro ou microrregião é a taxa de ocupação de leitos de UTI. O Triângulo do Norte melhorou a capacidade assistencial porque houve uma ampliação significativa de leitos, que atualmente apresenta uma taxa de ocupação entre 70 a 80%. Acompanhe abaixo esse aumento assistencial que teve o suporte da SES/MG.

Triângulo do Norte

]]>
Banco de notícias Mon, 10 Aug 2020 21:15:22 +0000