Como está a sua saúde? Você se alimenta corretamente e com qual frequência? Pratica atividades físicas de forma regular? Já pensou em substituir alimentos ultraprocessados por pratos mais naturais? Se você ficou em dúvida para responder estas perguntas, não se desespere. Nós da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) queremos te propor uma vida mais saudável.

Nesta parte do site #VidaSaudável vamos abordar a importância da alimentação para a sua saúde. Por meio dos conceitos de segurança alimentar e nutricional, focamos em práticas no dia-dia que podem contribuir para uma alimentação colorida, diversa e acessível para toda a população. Afinal, a promoção da saúde começa pelo o que você come.

Entende‐se por alimentação adequada e saudável a prática alimentar apropriada aos aspectos biológicos e socioculturais dos indivíduos, bem como ao uso sustentável do meio ambiente. Ou seja, ela deve estar em acordo com as necessidades de cada fase do curso da vida e com as necessidades alimentares especiais; acessível do ponto de vista físico e financeiro; harmônica em quantidade e qualidade; baseada em práticas produtivas adequadas e sustentáveis; livre de contaminantes físicos, químicos, biológicos e de organismos geneticamente modificados.

A Promoção da Alimentação Adequada e Saudável (PAAS) é uma das vertentes da Promoção à Saúde. Ela pode ser compreendida como um conjunto de estratégias que proporcionem aos indivíduos e coletividades a realização de práticas alimentares apropriadas aos seus aspectos biológicos e socioculturais, bem como ao uso sustentável do meio ambiente.

Nesse contexto, a PAAS objetiva a melhora da qualidade de vida da população, por meio de ações intersetoriais, voltadas ao coletivo, aos indivíduos e aos ambientes (físico, social, político, econômico e cultural), de caráter amplo e que possam responder às necessidades de saúde da população, contribuindo para a redução da prevalência do sobrepeso e obesidade e das doenças crônicas associadas e outras relacionadas à alimentação e nutrição.

Dessa forma, escolher o que você come é escolher uma vida saudável. Hoje em dia é muito fácil ir ao supermercado e comprar refrigerantes, biscoitos ou enlatados. Mas será que isso faz bem à saúde? O melhor mesmo é escolher água, leite e frutas no lugar de refrigerantes, preferir a comida feita na hora e as sobremesas caseiras, dispensando as industrializadas. Veja os alimentos que fazem bem e os que fazem mal para a sua saúde:

Óleos, gorduras, sal e açúcar: tem que saber usar

Se você quer levar uma vida saudável, saiba que não devemos abusar do uso de óleo, banha, manteiga, margarina, sal e açúcar. Se usados corretamente e na dose certa, esses alimentos deixam a comida mais gostosa e temperada. Mas cuidado! Ingerir esses alimentos em grande quantidade pode ser muito perigoso para o coração e para a pressão arterial.

Alimentos processados: consuma com moderação.

Os alimentos processados são fabricados pelas indústrias com adição de sal, açúcar ou vinagre para que eles durem por mais tempo. Conservas de legumes, doces em calda, carnes temperadas, sardinha e atum em lata, azeitonas, queijos e pães são alguns exemplos desses alimentos.

Alimentos ultraprocessados: fuja deles!

Os alimentos ultraprocessados, que são fabricados pelas grandes indústrias, são os vilões da boa alimentação.Normalmente levam conservantes químicos, sal, açúcar e gorduras. Alguns exemplos desses alimentos são biscoitos, balas, sorvetes, macarrão instantâneo, pizzas, hambúrgueres congelados, salsichas, refrigerantes, empanados, salgadinhos de pacote e refrescos. Como são desbalanceados e pobres em nutrientes, evite ao máximo o consumo desses alimentos. Sua saúde agradece!

A Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) Sustentável envolve a garantia do acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, com base em práticas alimentares saudáveis, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais. O direito humano fundamental à alimentação adequada, objetivo primordial da Política Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, é direito absoluto, intransmissível, indisponível, irrenunciável, imprescritível e de natureza extrapatrimonial.

O aumento da demanda por alimentos impulsionou avanços no conhecimento e no desenvolvimento de tecnologias de produção agrícola, o que resultou em um intensivo uso de agrotóxicos nas lavouras, para eliminar pragas e vetores e aumentar a produtividade. Essas substâncias, entretanto, podem causar danos graves à saúde humana e ambiental quando utilizados sem as devidas medidas de proteção e controle.

O uso de agrotóxicos é um importante fator de risco para a saúde da população e, especialmente, do trabalhador do campo. Além dos malefícios causados pelos resíduos que ficam nos alimentos, os agrotóxicos provocam danos à saúde de quem tem contato direto com o produto ou materiais contaminados durante o processo produtivo. O principal efeito do agrotóxico sobre a saúde é a intoxicação, que pode ser a curto ou a longo prazo, dependendo da exposição.

A produção sustentável de alimentos deve, portanto, realizar-se com o menor impacto possível à saúde ambiental, do trabalhador e dos consumidores dos produtos agrícolas. Iniciativas agroecológicas e de produção orgânica sustentável estão sendo implementadas em todo o país e, especialmente, no Estado de Minas Gerais. Diversas ações de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos têm sido desenvolvidas em parceria com a Agricultura com o objetivo de oferecer alimentos mais seguros, com o menor risco possível para a saúde dos trabalhadores da agricultura e para a saúde da população, de forma sustentável.

As recomendações gerais para a abordagem do sobrepeso e obesidade incluem mudanças no estilo de vida como: educação alimentar e prática de atividade física. A participação familiar nesse novo processo é essencial para o alcance de resultados positivos.

» Clique aqui e baixe o folder do Guia Prático Vida Saudável da SES-MG.

» Clique aqui e conheça o Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde.

» Clique aqui e conheça o Material de apoio para profissionais de saúde - Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição.