título-tabagismo-05

Pensar saúde é pensar qualidade de vida. Uma relação que é construída através da harmonia entre os indivíduos, os ambientes e os modos de viver. Esta é a proposta do site #VidaSaudável, um espaço criado para que o cidadão possa ter acesso às informações relacionadas à promoção da saúde.

Dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), a promoção da saúde tem como finalidade contribuir para melhoria da qualidade de vida, através de políticas públicas que visem o empoderamento das pessoas de forma a produzir a sua saúde. Isso se dá por meio de estratégias de articulações transversais tanto individuais quanto coletivas e ambientais, atuando sobre os fatores que interferem no modo de vida da população.

Em 2006, o Ministério da Saúde publicou a Política Nacional de Promoção da Saúde – PNPS (PORTARIA Nº 2.446, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2014). No Estado de Minas Gerais, em 2016, a Secretaria de Estado de Saúde construiu a Política Estadual de Promoção da Saúde – POEPS (DELIBERAÇÃO CIB-SUS/MG Nº 2.341, DE 19 DE ABRIL DE 2016), agregando a PNPS as necessidades e prioridades do Estado.

» Clique aqui e confira a Nota Técnica da SES-MG referente à campanha de enfrentamento ao Tabagismo que se inicia no 31 de maio 2017.

» Clique aqui e conheça o #VidaSaudável, criado no site da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) para que cidadãs e cidadãos possam ter acesso às informações relacionadas à promoção da saúde e ao bem estar.

Neste mês de maio, o #VidaSaudável vai falar sobre os males do cigarro, em comemoração ao Dia Mundial Sem Tabaco (31/05). Conheça também a campanha nacional, promovida pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA).

título-tabagismo-01

A epidemia do tabagismo traz consequências negativas tanto para a saúde, como para o ambiente, a economia e a sociedade. Causado pela dependência à nicotina, o tabagismo é um dos principais fatores de risco para doenças crônicas, das quais se destacam as doenças cardiovasculares, respiratórias e cânceres. Segundo a OMS, estima-se que aproximadamente 6 milhões de pessoas morrem anualmente devido ao tabagismo, e previsões indicam que esse número subirá para 8 milhões anuais em 2030.

A fumaça do cigarro contém mais de 4.700 substâncias tóxicas, incluindo arsênico, amônia, monóxido de carbono – o mesmo que sai do escapamento dos veículos, substâncias cancerígenas, além de corantes e agrotóxicos em altas concentrações, que poluem o ar além de contribuir para o tabagismo passivo, prejudicando a saúde das pessoas que não fumam.

Além disso, o tabagismo traz enormes custos para as economias nacionais devido a maiores gastos com saúde, diminuição da produtividade e os gastos do próprio bolso das famílias. Tomando como base um fumante de um maço de cigarros por dia, ao custo médio de R$7 por maço, seu gasto mensal com cigarros será de R$210, totalizando R$2.520 ao final de um ano.

Somado aos prejuízos à saúde e à economia, há também os danos socioambientais. A produção do tabaco resulta em desmatamento de florestas para a queima de árvores que alimentam os fornos que secam as folhas de tabaco. Para cada 300 cigarros produzidos, 1 árvore é queimada. Além disso, na fumicultura, há demanda de grandes quantidades de pesticidas e fertilizantes, que podem ser tóxicos e poluir as águas. O descarte indevido de guimbas gera contaminação das águas de rios e oceanos, entupimento de bueiros e enchentes nos grandes centros urbanos. Em matas e florestas, elas trazem risco de incêndios.

Fica claro que a produção do tabaco e, consequentemente, o seu consumo, é uma atividade que ameaça o desenvolvimento, já que seu produto final são doenças e mortes. O controle do tabagismo ajuda a salvar vidas, contém os impactos ambientais e contribui para o crescimento econômico.

» Leia mais: O tabagismo no Brasil - morte, doença e política de preços e impostos

Webseminário

No dia 1º de junho, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), por meio da Diretoria de Promoção à Saúde, promoveu o webseminário “Tabagismo uma ameaça para o desenvolvimento”, com transmissão ao vivo pela internet. Voltado aos profissionais da saúde, gestores municipais e estaduais, além de parceiros no controle do tabagismo e instituições de ensino, o objetivo do encontro é promover um espaço de discussão e reflexão crítica relacionado ao uso do tabaco, subsidiando a construção de ações que contribuam para a melhoria da saúde da população. Abaixo, assista os vídeos do webseminário na íntegra: 

 - Clique aqui e confira as apresentações dos palestrantes do webseminário sobre Tabagismo.

título-tabagismo-02

O Vigitel é um sistema de vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas realizado anualmente por inquérito telefônico, implantado no ano de 2006. Trata-se de uma ação do Ministério da Saúde para estruturar a vigilância de doenças crônicas no país, e realizar o monitoramento de seus fatores de risco. As pesquisas são realizadas com adultos, pessoas com a idade de 18 anos ou mais, separadas por sexo, que possuem uma linha de telefone fixo e que residam em capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal.

Em 10 anos de Vigitel é possível observar uma redução de 33,8% de fumantes adultos no Brasil. Segundo a pesquisa, entre os anos de 2006 e 2015 houve uma redução do percentual de fumantes nas 27 capitais brasileiras de 20,3% para 8,3% do sexo masculino, e de 12,8% para 8,3% do sexo feminino. Em Belo Horizonte a redução de adultos fumantes foi de 21,9% para 12,4% do sexo masculino, e de 11,4% para 6,0% do sexo feminino.

O percentual de adultos que declaram fumar 20 ou mais cigarros por dia de 2008 a 2015 no Brasil apresentou uma queda de 6,5% para 4,2% no sexo masculino, e de 3,6% para 2,2% no sexo feminino. Em Belo Horizonte a redução foi de 9,2% para 4,2% no sexo masculino, e de 6,9% para 1,4% no sexo feminino.

O percentual de adultos fumantes passivos no local de trabalho também apresentou redução de 2008 a 2015 no Brasil de 17,8% para 12,0% no sexo masculino, e 7,4% para 4,6% no sexo feminino. As populações mais atingidas são adultos com idade entre 25 e 54 anos. Em Belo Horizonte, a redução foi de 23,3% para 9,2% no sexo masculino e 7,8% para 6,1% no sexo feminino.

Em relação ao percentual de adultos fumantes passivos no domicílio entre o ano de 2011 a 2014, essa redução foi de 13,3% para 10,0% no sexo masculino, e no sexo feminino de 10,1% para 8,7%. Em Belo Horizonte a redução foi de 12,2% para 9,4% no sexo masculino e de 13,3% para 10,4% no sexo feminino.

título-tabagismo-03

A redução do consumo de tabaco no Brasil é consequência dos avanços das políticas públicas de saúde voltadas para o controle do tabagismo. A Política Nacional de Controle do Tabaco, orientada para o cumprimento de medidas e diretrizes de controle do tabagismo pelo país, tem o objetivo de proteger as gerações presentes e futuras das devastadoras consequências sanitárias, sociais, ambientais e econômicas geradas pelo consumo e pela exposição à fumaça do tabaco. É o primeiro tratado internacional de saúde pública da história da Organização Mundial da Saúde.

Outro marco importante do Ministério da Saúde/INCA é a implantação do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT), que oferece gratuitamente o tratamento ao tabagismo nos serviços de saúde capacitados; realiza ações de promoção à saúde e prevenção do Tabagismo, como campanhas educativas para conscientização do público sobre os riscos relacionado ao uso de tabaco; além de contribuir para medidas legislativas e econômicas.

Entre outras ações importantes no controle do tabagismo destaca-se a criação da Lei Nacional Antifumo, que aumenta os impostos e proíbe o consumo de produtos derivados do tabaco em locais de uso coletivo, públicos ou privados de todo o país; a fiscalização dos comércios para redução do mercado ilegal como forma de combate ao mercado ilícito do tabaco; a proibição da propaganda, patrocínio ou promoção de tabaco, e a inserção de advertências nos maços de cigarros e em locais de venda informando os perigos que o consumo do tabaco gera a saúde.

título-tabagismo-04

Conscientize-se de que deseja parar de fumar porque o cigarro faz mal à sua saúde e a saúde das pessoas com as quais você convive. Reduza o consumo de cigarros, durante uma semana, observando aqueles que você pode eliminar de imediato, como o cigarro após o café, assistindo televisão, ou antes de dormir.

Marque um dia para parar de fumar definitivamente, mas antes compre água, cravo, canela em pau, cristal de gengibre e cenoura. No dia marcado, jogue fora seu cigarro, cinzeiro e o isqueiro. Cada vez que tiver vontade de fumar, tome um ou dois copos de água gelada, e use o cravo, a canela, o gengibre e a cenoura para mastigar nos momentos difíceis.

Faça exercício de respiração profunda: inspire profundamente, segure, contando até cinco, solte o ar pela boca semiaberta lentamente. Faça isso cinco vezes seguidas. Escove os dentes logo após as refeições para bloquear a vontade de fumar. Enfrente cada dia como se fosse o primeiro e siga em frente!

Síndrome da Abstinência

Algumas pessoas, ao pararem de fumar, sentem os efeitos da Síndrome de Abstinência, que inclui dor de cabeça, tremor, sensação de formigamento nas extremidades, aumento de ansiedade, aumento de apetite, irritabilidade, sensação de tristeza e perda, sensação de estar mais lento e menos concentrado. Veja o que fazer em cada situação:

  • Vontade de fumar: Distraia-se, respire fundo e lembre que a vontade passa.
  • Irritabilidade: Faça exercício de respiração e relaxamento, imagine uma paisagem agradável e viaje. Tome um banho quente.
  • Insônia: Relaxe lendo um livro, tome um banho morno, beba um copo de leite morno. Evite bebidas com cafeína após meio-dia. Caminhe um pouco antes de se deitar. Use roupas confortáveis para dormir. Escureça o ambiente e mantenha-o ventilado. Não faça atividades estimulantes antes de dormir.
  • Aumento de apetite: Prepare um kit de sobrevivência com vegetais picados, frutas e chicletes sem açúcar. Beba água e líquidos (de baixa caloria). Inicie ou intensifique a atividade física.
  • Dificuldade para se concentrar: Simplifique sua agenda por alguns dias. Dê uma caminhada curta, saia um pouco. Beba água e líquidos. Descanse.
  • Fadiga: Procure ter uma boa noite de sono, dormindo o suficiente a cada noite. Tire um cochilo ao longo do dia. Não exija muito de você por duas ou quatro semanas.
  • Constipação, gases, dor de barriga: Beba muito líquido, acrescente fibras a sua dieta como: frutas, vegetais crus, cereais integrais e mude sua dieta aos poucos. Consulte seu médico ou nutricionista. 

Pratique atividade física:

A atividade física é a melhor forma, em curto prazo, de desviar o desejo pela nicotina. Quando vier o desejo de fumar, levante-se e comece a se exercitar. Cinco minutos de atividade física de intensidade moderada, como subir e descer alguns lances de escadas, caminhar pelo quarteirão, fazer yoga, entre outras, aliviam o desejo pelo cigarro e os sintomas da abstinência também. Se você puder, faça exercícios durante 45 minutos, pois além de melhorar sua frequência cardíaca, ajudará o seu organismo a reconhecer os benefícios físicos de parar de fumar - como o aumento da função pulmonar - que consequentemente melhorará sua respiração quando você estiver se exercitando.

Benefícios de parar de fumar

  • A pressão arterial, a frequência cardíaca e a temperatura das mãos e dos pés tendem a voltar ao normal 20 minutos após parar de fumar;
  • Após 8 horas, o nível de monóxido de carbono no sangue normaliza e o nível de oxigenação no sangue aumenta;
  • Após 24 horas, diminui o risco de um ataque cardíaco;
  • Após 48 horas, as terminações nervosas começam a se regenerar. O olfato e o paladar melhoram;
  • Após 72 horas, a respiração fica mais fácil e a capacidade pulmonar aumenta em até 30%;
  • Após 2 semanas, a circulação sanguínea aumenta e o caminhar torna-se mais fácil;
  • De 1 a 9 meses após parar de fumar, diminui a tosse, a congestão nasal, a fadiga e a dificuldade pra respirar;
  • O movimento ciliar dos brônquios volta ao normal, limpando os pulmões e reduzindo os riscos de infecções respiratórias;
  • Aumenta a capacidade física e a energia corporal. 

Caso não consiga parar de fumar sozinho, procure ajuda!

O SUS oferece tratamento para tabagismo em mais de 600 municípios de Minas Gerais, através do Programa Nacional de Controle do Tabagismo, com profissionais de saúde capacitados, materiais de apoio e medicamentos gratuitos. O tratamento das pessoas tabagistas é ofertado prioritariamente nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). O usuário que demonstre interesse em parar de fumar deverá entrar em contato com a Secretaria de Saúde da sua cidade para ser informado os locais do SUS que estão ofertando o tratamento do tabagismo.

Dessa forma, o usuário tabagista será recebido pela sua equipe de saúde, será avaliado quanto às principais doenças e fatores de risco relacionados ao tabagismo, bem como o grau de dependência ao cigarro, seu estágio de motivação para a cessação do tabagismo e suas preferências para o tratamento.

O modelo de tratamento é baseado em uma abordagem cognitivo-comportamental, com possibilidade de ser realizado em grupo ou individualmente, e quando necessário há apoio medicamentoso. Consiste inicialmente de 4 sessões (encontros), semanalmente, e após essas, são promovidos encontros mais espaçados, até completar de 6 a 12 meses de tratamento. Para mais informações, disque 136.

» Clique aqui e confira a listagem dos Serviços de Tratamento do Tabagismo em Minas Gerais, segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde; maio de 2017

Ajude-nos nessa campanha, clique nos ícones, salve as imagens e compartilhe nas redes sociais!

[Em breve]

título-tabagismo-06

» Clique aqui e baixe as Notas Técnicas para o Controle do Tabagismo Conicq/INCA

» Clique aqui e conheça a regulamentação do tabagismo. Você sabe onde pode ou não fumar?

» Clique aqui e conheca o Programa Nacional de Controle do Tabagismo

» Clique aqui e baixe o folder Apague esta Ideia

» Clique aqui e baixe o folder do Guia Prático Vida Saudável

» Clique aqui e baixe o Anúncio Saúde é Atitude

» Clique aqui e baixe o Anúncio Atitude Gera Saúde 26x16

» Clique aqui e baixe o Anúncio Atitude Gera Saúde 6x33

Datas comemorativas ligadas à Vida Saudável:

31.03 - Dia da Saúde e da Nutrição
06.04 - Dia Mundial da Atividade Física;
07.04 - Dia Mundial da Saúde
01.05 - Dia Internacional do Trabalhador 
19.05 - Dia Internacional de Doação do Leite Humano
31.05 - Dia Mundial sem Tabaco
29.08 - Dia Nacional de Combate ao Fumo
11.10 - Dia Nacional de Prevenção da Obesidade 
16.10 - Dia Mundial da Alimentação 
25.10 - Dia Nacional da Saúde Bucal 
14.11 - Dia Mundial do Diabetes 
03.12 - Dia Mundial de Combate ao Uso do Agrotóxico
10.12 - Dia dos Direitos Humanos

título-tabagismo-07