Notícias http://www.saude.mg.gov.br Fri, 20 Jul 2018 10:36:14 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (16/07) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10660-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-16-07 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10660-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-16-07

A partir desta segunda-feira (16/07), devido ao período de baixa transmissão e à redução do número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes, o Boletim Epidemiológico será divulgado quinzenalmente. A previsão é que, em novembro, os dados voltem a ser divulgados semanalmente.

Em 2018, até o momento (16/07), Minas Gerais registrou 22.901 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, cinco óbitos foram confirmados por dengue, nos municípios de Arcos, Conceição do Pará, Contagem, Uberaba e Moema. Há 11 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 10.051 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado para Chikungunya em 2018. Há dois óbitos em investigação.

Já em relação à Zika, foram registrados 200 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 16/07/2018)

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 16/07/2018)

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 16/07/2018)
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 16/07/2018)
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 16/07/2018)

]]>
Banco de notícias Mon, 16 Jul 2018 13:38:36 +0000
ESP-MG abre edital para seleção de alunos para especialização em "Comunicação e Saúde" http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10659-esp-mg-abre-edital-para-selecao-de-alunos-para-especializacao-em-comunicacao-e-saude http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10659-esp-mg-abre-edital-para-selecao-de-alunos-para-especializacao-em-comunicacao-e-saude

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) informa a abertura de edital de seleção de alunos para o curso de pós-graduação em Comunicação e Saúde, no período de 11/07/2018 à 14/08/2018.

Os interessados devem realizar pré-inscrição por meio de formulário on-line e entregar (pessoalmente ou via Correios) a documentação exigida no edital para efetivar a inscrição.

A especialização lato-sensu em Comunicação e Saúde terá 40 vagas para profissionais com formação em diversas áreas das ciências humanas, sociais e da saúde, com atuações na comunicação social, jornalismo, mobilização, gestão, saúde coletiva e outras que atuem na saúde pública.

 

]]>
Banco de notícias Wed, 11 Jul 2018 16:19:24 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (09/07) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10658-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-09-07 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10658-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-09-07

Em 2018, até o momento (09/07), Minas Gerais registrou 22.717 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, 5 óbitos foram confirmados por dengue, nos municípios de Arcos, Conceição do Pará, Contagem, Uberaba e Moema. Há 12 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 9.678 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado para Chikungunya em 2018. Há dois óbitos em investigação.

Já em relação à Zika, foram registrados 191 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 09/07/2018)
»  Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 09/07/2018)

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 09/07/2018)
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 09/07/2018)
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Febre Zika por município em 2018 (atualizado em 09/07/2018)

]]>
Banco de notícias Mon, 09 Jul 2018 16:20:37 +0000
Fundação Hemominas informa funcionamento para essa sexta-feira (06/07) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10657-fundacao-hemominas-informa-funcionamento-para-essa-sexta-feira-06-07 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10657-fundacao-hemominas-informa-funcionamento-para-essa-sexta-feira-06-07

A Fundação Hemominas informa alteração no horário de atendimento aos doadores de sangue nesta sexta-feira (06/07), nas seguintes unidades:

  • Hemocentro de Belo Horizonte - funcionamento das 7h às 12h.
  • Hemocentro Regional de Juiz de Fora – funcionamento das 7h às 12h.
  • Hemocentro Regional de Governador Valadares – funcionamento das 7h30 às 12h.
  • Hemocentro Regional de Uberaba – funcionamento das 7h às 13h.
  • Hemocentro Regional de Montes Claros – funcionamento das 7h às 17h30.
  • Unidade de Coleta Estação BH – funcionamento das 8h às 13h.

As demais unidades funcionam em horário normal. Confira os horários de funcionamento das unidades e agende sua doação!

 

 

 

]]>
Banco de notícias Thu, 05 Jul 2018 17:47:58 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (03/07) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10655-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-03-07 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10655-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-03-07

Em 2018, até o momento (03/07), Minas Gerais registrou 22.514 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, 5 óbitos foram confirmados por dengue, nos municípios de Arcos, Conceição do Pará, Contagem, Uberaba e Moema. Há 12 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 9.345 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado para Chikungunya em 2018. Um óbito encontra-se em investigação.

Já em relação à Zika, foram registrados 203 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 03/07/2018)
» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 03/07/2018)

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 03/07/2018)
. Acesse aqui os dados de 2017
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 03/07/2018)
. Acesse aqui os dados de 2017
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Febre Zika por município em 2018 (atualizado em 03/07/2018)
. Acesse aqui os dados de 2017

]]>
Banco de notícias Tue, 03 Jul 2018 15:25:03 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (25/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10636-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-25-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10636-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-25-06

Em 2018, até o momento (25/06), Minas Gerais registrou 22.583 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, cinco óbitos foram confirmados por dengue, nos municípios de Arcos, Conceição do Pará, Contagem, Uberaba e Moema. Há 10 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 9.167 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 204 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 25/06/2018).

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 25/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 25/06/2018).
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 25/06/2018).
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 25/06/2018).

]]>
Banco de notícias Mon, 25 Jun 2018 15:36:05 +0000
Informe Epidemiológico da Gripe (25/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10634-informe-epidemiologico-da-gripe-25-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10634-informe-epidemiologico-da-gripe-25-06

Foram notificados 1441 casos de SRAG, sendo 799 (55,4%) com amostra coletada e processada. Dos casos com amostras processadas, 19,0% (152 /799) foram classificados como SRAG por Influenza e 14,3% (114 /799) como SRAG por outros vírus respiratórios. Dos casos associados a Influenza, 96,7% (147/ 152 ) eram Influenza A e 3,9% (6/ 152 ) Influenza B. Naqueles em que foi identificado o vírus A, o subtipo A/H3 sazonal é o de maior proporção com 40,8% (60 /147 ), seguido do Influenza A não subtipado com 36,7% (54/147) e outros 21,8% (32/147) referem-se ao subtipo A/(H1N1)pdm09.

Até o momento, foram notificados 153 óbitos por SRAG, o que corresponde a 10,6 % (153/1441) do total de casos. Dos 153 óbitos notificados 6,5% (10/153) foram associados a outros vírus respiratórios (Parainfluenza, VSR, Metapneumovírus e Adenovírus), 23,5% ( 36 /153) foram confirmadas para o vírus Influenza, sendo 94,4% (34/ 36 ) decorrentes da Influenza A e 5,6% (2/ 36 ) da Influenza B. Dos óbitos relacionados a gripe A, 38,2% (13/34) foram associados ao Influenza A não subtipado, 35,3% (12/34) ao subtipo A/(H1N1) e 26,5% (9/34) ao subtipo A/H3 Sazonal.

Resumindo: em 2018, foram confirmados, até o momento, 152 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo vírus da Influenza (gripe). Foram notificados trinta e seis (36) óbitos associados ao vírus da Influenza.

Dos 152 casos de SRAG causados pela Influenza: 60 foram de Influenza A/H3 Sazonal; 54 de Influenza A não subtipado, 32 de Influenza A/(HINI)pdm09; e 6 Influenza B.

» Clique aqui e acesse o Informe Epidemiológico da Gripe (atualizado em 25/06/2018).

» Clique aqui e confira a série histórica de frequência de casos e óbitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza

Dúvidas frequentes e outras informações sobre cuidados e prevenção da gripe estão disponíveis no site: www.saude.mg.gov.br/gripe

]]>
Banco de notícias Mon, 25 Jun 2018 11:24:06 +0000
Informe epidemiológico da Febre Amarela (21/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10625-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-21-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10625-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-21-06

Desde o início do 2º período de monitoramento da Febre Amarela (julho/2017 a junho/2018), foram confirmados 528 casos da doença em Minas Gerais. Desses casos, 177 evoluíram para óbito e outros 64 casos continuam em investigação. Detalhes dos casos no boletim.

Do total de casos confirmados de febre amarela silvestre, 454 (85,9%) são do sexo masculino e 74 (14,1%) do sexo feminino. Dentre os óbitos, 15 foram do sexo feminino, representando 8,5% do total de óbitos confirmados. Todos os casos foram confirmados laboratorialmente. A mediana de idade dos casos confirmados é de 48 anos (0 – 88 anos). A letalidade por febre amarela em Minas Gerais no período de 2017/2018 é de aproximadamente 33,5%

No período de monitoramento 2016/2017 (julho/2016 a junho/2017) foram registrados 475 casos confirmados de febre amarela silvestre no estado de Minas Gerais, sendo que destes, 162 evoluíram para óbito. O último caso confirmado teve início dos sintomas no dia 09 de junho de 2017.

Ressaltamos que o aumento no número de casos confirmados entre o boletim publicado no dia 05/06/2018 para o presente boletim não reflete a ocorrência de casos no período atual. Tratam-se de casos que ocorreram ao longo do período de transmissão, cuja investigação somente foi concluída neste momento, após a obtenção de informações essenciais para a caracterização do caso.

A categoria “Inclassificável”, incluída nesta publicação, se refere aos casos em que os pacientes foram vacinados até 30 dias antes do início dos sintomas. Com isso, tornou-se necessário realizar a investigação para definir se era um caso de febre amarela silvestre ou evento adverso pós-vacinação (EAPV). No entanto, para alguns casos, as provas laboratoriais não foram conclusivas ou não haviam amostras adequadas para a realização do diagnóstico, não sendo possível fazer a diferenciação entre doença e EAPV. Desse modo, esses casos foram considerados “Inclassificáveis”.

Dentre os casos confirmados, há registro de 16 pacientes com histórico de vacinação prévia. Para esses pacientes foi realizada uma extensa investigação, incluindo exames laboratoriais, que permitiram concluir que se tratavam de casos de febre amarela. Esses casos foram investigados e confirmados por uma comissão, sendo observado os seguintes critérios de encerramento:

  • Presença de sinais e sintomas compatíveis com a definição de caso suspeito de febre amarela
  • Alterações laboratoriais compatíveis com a doença
  • Resultado laboratorial reagente ou detectável para febre amarela, realizado em laboratório de referência
  • Vínculo epidemiológico com casos confirmados e/ou epizootias nos municípios e/ou regionais de residência
  • Comprovação de vacinação para febre amarela através do Cartão de vacina e/ou registro da vacina na Unidade de saúde

Os 16 casos confirmados têm mediana de idade de 21 anos (7 – 86 anos), sendo 68,7% dos casos (11/16) do sexo masculino e 31,2% (5/16) do sexo feminino. Quinze casos confirmados (15/16) receberam uma dose da vacina de febre amarela (VFA) e um (01/16) recebeu duas doses de VFA. A mediana de idade de vacinação foi de 15 anos de idade, variando entre 9 meses a 78 anos. Entre os casos, 87,5% (14/16) evoluíram para cura e 12,5% (02/16) evoluíram para óbito.

___________________________________________________________________

Considerando que em Minas Gerais, no período de 2007 a 2018, foram aplicadas mais de 18 milhões de doses de vacina de febre amarela, e que registrou-se, em 2018, apenas 16 casos em pacientes vacinados, a vacina tem mostrado altas taxas de segurança e efetividade na prevenção da população quanto à transmissão do vírus, sendo ainda a principal medida a ser adotada. Como medida adicional, para a população mais exposta à circulação do vírus, recomenda-se também a utilização de repelente como medida de proteção individual. É importante salientar que a recomendação preconizada pelo Regulamento Sanitário Internacional da Organização Mundial de Saúde, ratificado pelo Ministério da Saúde, é de que uma única dose da vacina contra Febre Amarela confere proteção por toda a vida.

__________________________________________________________________

Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela em Minas Gerais está em torno de 95,16%. Ainda há uma estimativa de 691.450 pessoas não vacinadas contra a febre amarela, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos de idade, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017. Entre os 853 municípios do Estado, 14,65% (142) deles não alcançaram 80% de cobertura vacinal; outros 33,18% (283) dos municípios têm entre 80% e 94,9% de seus moradores vacinados; com mais de 95%, estão 50,18% (428) das cidades mineiras com recomendação de vacina.

No atual Calendário Nacional de Vacinação, a população alvo a ser vacinada contra febre amarela é a partir dos nove meses de idade, tendo como meta a ser atingida, 95% de cobertura vacinal. Vale ressaltar que, o Estado de Minas Gerais em sua totalidade é área com recomendação para vacinação contra febre amarela desde o ano de 2008.

As ações de intensificação vacinal estão sendo realizadas em 853 municípios mineiros. Minas Gerais ainda apresenta 16 Unidades Regionais de Saúde com cobertura vacinal menor que 95% Permanecendo ainda necessário a continuidade das ações de vacinação para garantir a homogeneidade da cobertura em todos os municípios, de acordo com a meta preconizada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Considerando o atual cenário epidemiológico da Febre Amarela, com redução no número de casos notificados, informamos que o próximo boletim com a atualização dos dados no estado de Minas Gerais será publicado em julho de 2018. Na oportunidade serão abordados e apresentados os dados referentes a todo o período de monitoramento 2017/2018 que se encerra no dia 30 de junho de 2018. Reforçamos que todas as ações de vigilância da febre amarela seguem sendo executadas de maneira contínua pelo estado e municípios, conforme diretrizes nacionais estabelecidas.

Qualquer alteração significativa no cenário epidemiológico será comunicada oportunamente. Todas as ações de prevenção e controle da febre amarela continuam em andamento no estado de Minas Gerais em caráter contínuo, visando evitar a ocorrência de novos casos.

 

» Clique aqui e confira, na íntegra, o Informe Epidemiológico da Febre Amarela, Minas Gerais (atualizado em 21/06). [ATUALIZADO]

» Clique aqui e veja nota técnica sobre as ações da vigilância entomológica em Juiz de Fora.

» Acesse os dados de cobertura vacinal em Minas Gerais, neste link (atualizado em 05/06).

 

 

]]>
Banco de notícias Thu, 21 Jun 2018 17:42:00 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (18/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10613-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-18-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10613-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-18-06

Em 2018, até o momento (18/06), Minas Gerais registrou 22.707casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, três óbitos foram confirmados por dengue, sendo um em Conceição do Pará, um em Uberaba e um em Moema. Há 13 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 9.027 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 233 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 18/06/2018).

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 18/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 18/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 18/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 18/06/2018).

]]>
Banco de notícias Mon, 18 Jun 2018 15:35:43 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (11/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10590-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-11-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10590-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-11-06

Em 2018, até o momento (11/06), Minas Gerais registrou 22.454 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, três óbitos foram confirmados por dengue, sendo um em Conceição do Pará, um em Uberaba e um em Moema. Há 13 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 8.667 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 222 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 11/06/2018).

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 11/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 11/06/2018).
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 11/06/2018).
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 11/06/2018).

]]>
Banco de notícias Mon, 11 Jun 2018 16:08:17 +0000
Informe Epidemiológico da Gripe (07/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10585-informe-epidemiologico-da-gripe-07-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10585-informe-epidemiologico-da-gripe-07-06

Em razão da greve dos caminhoneiros, não foi possível atualizar todos os dados no sistema em tempo do informe semanal. Em razão disso, excepcionalmente nesta semana iremos publicar dois informes.

Até o momento, foram notificados 1178 casos de SRAG, sendo 661 (56,1%) com amostra coletada e processada. Dos casos com amostras processadas, 15,9% ( 105 /661) foram classificados como SRAG por Influenza e 15,4% (102 /661) como outros vírus respiratórios. Dos casos associados a Influenza, 95,2% (100/ 105 ) eram Influenza A e 4,8% (5/ 105 ) Influenza B. Naqueles em que foi identificado o vírus A, o subtipo A/H3 sazonal é o de maior proporção com 49,0% (49 /100 ), seguido do Influenza A não subtipado com 35,0% (35/100) e outros 16,0% (16/100) referem-se ao subtipo A/(H1N1)pdm09.

Foram notificados 111 óbitos por SRAG, o que corresponde a 9,4 % (111/1178) do total de casos. Dos 111 óbitos notificados 8,1% (9/111) foram associados a outros vírus respiratórios (Parainfluenza e Metapneumovírus), 20,7% ( 23 /111) foram confirmadas para o vírus Influenza, sendo 95,7% (22/ 23 ) decorrentes da Influenza A e 4,3% (1/ 23 ) da Influenza B. Dos óbitos relacionados a gripe A, 40,9% (9/22) foram associados ao Influenza A não subtipado, 40,9% (9/22) ao subtipo A/(H1N1) e 18,2% (4/22) ao subtipo A/(H1N1)

Resumindo: em 2018, foram confirmados, até o momento, 105 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo vírus da Influenza (gripe). Foram notificados vinte e três (23) óbitos associados ao vírus da Influenza.

Dos 105 casos de SRAG causados pela Influenza: 49 foram de Influenza A/H3 Sazonal; 35 de Influenza A não subtipado, 16 de Influenza A/(HINI)pdm09; e 5 Influenza B.

Mais detalhes, veja no boletim.

» Clique aqui e acesse o Informe Epidemiológico da Gripe (atualizado em 07/06/2018).

» Clique aqui e acesse a série histórica de frequência de casos e óbitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza (Na página 3 do BOLETIM TABELA 1).

Dúvidas frequentes e outras informações sobre cuidados e prevenção da gripe estão disponíveis no site: www.saude.mg.gov.br/gripe

]]>
Banco de notícias Thu, 07 Jun 2018 14:04:27 +0000
Informe Epidemiológico da Febre Amarela (05/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10578-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-05-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10578-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-05-06

Dentre os casos em investigação, há registro de 11 pacientes com histórico de vacinação prévia e exame positivo para febre amarela. Esses pacientes permanecem em investigação para levantamento de informações clínicas e epidemiológicas fundamentais para conclusão dos casos. Até o momento, tem-se que esses casos têm mediana de idade de 21 anos (7-47 anos), sendo 63,7% dos casos (n=7) do sexo masculino. Todos receberam uma dose da vacina de febre amarela com mediana de 5 anos de idade, variando entre 9 meses a 44 anos.

Atualmente há uma comissão investigando os casos suspeitos de Febre Amarela com histórico de vacinação prévia, com a participação do Ministério da Saúde. Cabe ressaltar que a eficácia da vacina contra febre amarela é de 95% a 98%, sendo considerada altamente eficaz e segura na prevenção da transmissão do vírus. Como medida adicional, para a população mais exposta à circulação do vírus, recomenda-se também a utilização de repelente como medida de proteção individual.

É importante salientar que a recomendação preconizada pelo Regulamento Sanitário Internacional da Organização Mundial de Saúde (OMS), ratificado pelo Ministério da Saúde, é de que uma única dose da vacina contra Febre Amarela confere proteção por toda a vida.

Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela em Minas Gerais está em torno de 95,16%. Ainda há uma estimativa de 691.450 pessoas não vacinadas contra a febre amarela, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos de idade, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017. Entre os 853 municípios do Estado, 14,65% (142) deles não alcançaram 80% de cobertura vacinal; outros 33,18% (283) dos municípios têm entre 80% e 94,9% de seus moradores vacinados; com mais de 95%, estão 50,18% (428) das cidades mineiras com recomendação de vacina.

As ações de intensificação vacinal estão sendo realizadas em 853 municípios mineiros. Minas Gerais ainda apresenta 16 Unidades Regionais de Saúde com cobertura vacinal menor que 95%. Permanecendo ainda necessário a continuidade das ações de vacinação para garantir a homogeneidade da cobertura em todos os municípios, de acordo com a meta preconizada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Observação: Considerando o cenário atual da Febre Amarela em Minas Gerais, com redução no número de casos notificados nas últimas semanas, somado a necessidade de concluir a investigação dos casos notificados que continuam em aberto, a SES-MG passou a publicar o boletim epidemiológico quinzenalmente. Qualquer alteração significativa no cenário epidemiológico será comunicada oportunamente.

Ressaltamos que, apesar de não haver publicação dos dados epidemiológicos semanalmente, todas as ações de prevenção e controle da febre amarela continuam em andamento no estado de Minas Gerais em caráter contínuo, visando evitar a ocorrência de novos casos.

» Clique aqui e confira, na íntegra, o Informe Epidemiológico da Febre Amarela, Minas Gerais (atualizado em 05/06).

» Clique aqui e veja nota técnica sobre as ações da vigilância entomológica em Juiz de Fora.

» Acesse os dados de cobertura vacinal em Minas Gerais, neste link.

]]>
Banco de notícias Tue, 05 Jun 2018 15:05:31 +0000
Informe Epidemiológico da Gripe (05/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10577-informe-epidemiologico-da-gripe-05-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10577-informe-epidemiologico-da-gripe-05-06

Até o momento, foram notificados 1003 casos de SRAG, sendo 579 (57,7%) com amostra coletada e processada. Dos casos com amostras processadas, 14,0% (81/579) foram classificados como SRAG por Influenza e 15,0% (87/579) como outros vírus respiratórios. Dos casos associados à Influenza, 86,4% (70/81) eram Influenza A e 4,9% (4/81) Influenza B. Naqueles em que foi identificado o vírus A, o subtipo A/H3 sazonal é o de maior proporção com 60,0% (42 /70 ), seguido do Influenza A não subtipado com 34,3% (24/70) e outros 15,7% (11/70) referem-se ao subtipo A/(H1N1)pdm09.

Foram notificados 82 óbitos por SRAG, o que corresponde a 8,2 % (82/1003) do total de casos. Dos 82 óbitos notificados 8,5% (7/82) foram associados a outros vírus respiratórios (Parainfluenza e Metapneumovírus), 13,4% ( 11 /82) foram confirmadas para o vírus Influenza, sendo 90,9% (10/ 11 ) decorrentes da Influenza A e 9,1% (1/ 11 ) da Influenza B. Dos óbitos relacionados a gripe A, 50,0% (5/10) foram associados ao Influenza A não subtipado, 40,0% (4/10) ao subtipo A/(H1N1) e 10,0% (1/10) ao subtipo A/(H1N1).

Resumindo: em 2018, foram confirmados, até o momento, 81 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo vírus da Influenza (gripe). Foram notificados onze (11) óbitos associados ao vírus da Influenza.

Dos 81 casos de SRAG causados pela Influenza: 42 foram de Influenza A/H3 Sazonal; 11 de Influenza A/(HINI)pdm09; 24 de Influenza A não subtipado; e 4 Influenza B.

Mais detalhes, veja no boletim.

» Clique aqui e acesse o Informe Epidemiológico da Gripe (atualizado em 5/06/2018).

» Clique aqui e acesse a série histórica de frequência de casos e óbitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza (Na página 3 do BOLETIM TABELA 1).

Dúvidas frequentes e outras informações sobre cuidados e prevenção da gripe estão disponíveis no site: www.saude.mg.gov.br/gripe

]]>
Banco de notícias Tue, 05 Jun 2018 14:23:33 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (05/06) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10576-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-05-06 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10576-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-05-06

Em 2018, até o momento (05/06), Minas Gerais registrou 21.836 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, três óbitos foram confirmados por dengue, sendo um em Conceição do Pará, um em Uberaba e um em Moema. Há 15 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 8.304 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Ressaltamos que o aumento de casos em relação ao último boletim publicado não reflete a elevação de casos apenas dos últimos dias. As novas notificações se referem aos meses de março, abril, maio e os 4 primeiros dias de junho, conforme detalha o boletim. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 226 casos prováveis da doença em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 05/06/2018).

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 05/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 05/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 05/06/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 05/06/2018).

]]>
Banco de notícias Tue, 05 Jun 2018 14:05:32 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (21/05) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10542-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-21-05 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10542-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-21-05

Em 2018, até o momento (21/05), Minas Gerais registrou 20.064 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, três óbitos foram confirmados por dengue, sendo um no município de Conceição do Pará, um em Uberaba e um em Moema. Há 13 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 7.434 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Ressaltamos que o aumento de casos em relação ao último boletim publicado não reflete a elevação de casos apenas dos últimos dias. As novas notificações se referem aos meses de março, abril e duas primeiras semanas de maio, conforme detalha o boletim. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 225 casos prováveis em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 21/05/2018).

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 21/05/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 21/05/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 21/05/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 21/05/2018).

]]>
Banco de notícias Mon, 21 May 2018 16:08:00 +0000
Errata - Informe Epidemiológico da Febre Amarela (15/05) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10528-errata-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-15-05 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10528-errata-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-15-05

Através da investigação realizada, foi verificado que o caso de Febre Amarela Silvestre confirmado e publicado como pertencente ao município de Cambuí da SRS Pouso Alegre, refere-se a um paciente residente e com Local Provável de Infecção (LPI) no município de Sapucaí-Mirim, da mesma Unidade Regional de Saúde. Desse modo, a Tabela 2 do Boletim Epidemiológico publicado em 15/05/2018 foi alterada, excluindo o município de Cambuí e passando a contabilizar o caso no município de Sapucaí-Mirim.

» Clique aqui e confira, na íntegra, o Informe Epidemiológico da Febre Amarela, Minas Gerais (atualizado em 15/05 - com Errata).

]]>
Banco de notícias Thu, 17 May 2018 15:49:20 +0000
Informe Epidemiológico da Febre Amarela (15/05) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10523-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-15-05 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10523-informe-epidemiologico-da-febre-amarela-15-05

[Atualização: 16/05/20118, às 17h] A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa que houve um equívoco na planilha de casos confirmados de Febre Amarela no estado. No momento, não há casos confirmados no município de Cambuí. Na verdade, o tal caso pertence ao município de Sapucai Mirim. Em breve, iremos disponibilizar um novo arquivo do Informe Epidemiológico para download.

--------

Desde o início do 2º período de monitoramento da Febre Amarela (julho/2017 a junho/2018), foram confirmados 482 casos da doença em Minas Gerais. Desses casos, 168 evoluíram para óbito e outros 235 casos continuam em investigação. Detalhes dos casos no boletim.

Do total de casos confirmados de febre amarela silvestre, 418 (86,7%) são do sexo masculino e 64 (13,3%) do sexo feminino. Dentre os óbitos, 13 foram do sexo feminino, representando 7,7% do total de óbitos confirmados. Todos os casos foram confirmados laboratorialmente. A mediana de idade dos casos confirmados é de 48 anos (0 – 88 anos). A letalidade por febre amarela em Minas Gerais no período de 2017/2018 é de aproximadamente 34,9%.

No período de monitoramento 2016/2017 (julho/2016 a junho/2017) foram registrados 475 casos confirmados de febre amarela silvestre no estado de Minas Gerais, sendo que destes, 162 evoluíram para óbito. O último caso confirmado teve início dos sintomas no dia 09 de junho de 2017.

Foram considerados casos confirmados aqueles que apresentaram:

  • Exame laboratorial detectável para Febre Amarela;
  • Exame laboratorial não detectável para dengue;
  • Histórico vacinal (não vacinado/vacinação ignorada);
  • Sinais e sintomas compatíveis com a definição de caso;
  • Exames complementares que caracterizam disfunção renal/hepática.

Dentre os casos em investigação, há registro de 11 pacientes com histórico de vacinação prévia e exame positivo para febre amarela. Esses pacientes permanecem em investigação para levantamento de informações clínicas e epidemiológicas fundamentais para conclusão dos casos. Até o momento, tem-se que esses casos têm mediana de idade de 21 anos (7-47 anos), sendo 63,7% dos casos (n=7) do sexo masculino. Todos receberam uma dose da vacina de febre amarela com mediana de 5 anos de idade, variando entre 9 meses a 44 anos.

Atualmente há uma comissão investigando os casos suspeitos de Febre Amarela com histórico de vacinação prévia, com a participação do Ministério da Saúde. Cabe ressaltar que a eficácia da vacina contra febre amarela é de 95% a 98%, sendo considerada altamente eficaz e segura na prevenção da transmissão do vírus. Como medida adicional, para a população mais exposta à circulação do vírus, recomenda-se também a utilização de repelente como medida de proteção individual.

É importante salientar que a recomendação preconizada pelo Regulamento Sanitário Internacional da Organização Mundial de Saúde (OMS), ratificado pelo Ministério da Saúde, é de que uma única dose da vacina contra Febre Amarela confere proteção por toda a vida.

Atualmente, a cobertura vacinal acumulada de febre amarela em Minas Gerais está em torno de 95,16%. Ainda há uma estimativa de 691.450 pessoas não vacinadas contra a febre amarela, especialmente na faixa-etária de 15 a 59 anos de idade, que também foi a mais acometida pela epidemia de febre amarela silvestre ocorrida em 2017. Entre os 853 municípios do Estado, 14,65% (142) deles não alcançaram 80% de cobertura vacinal; outros 33,18% (283) dos municípios têm entre 80% e 94,9% de seus moradores vacinados; com mais de 95%, estão 50,18% (428) das cidades mineiras com recomendação de vacina.

As ações de intensificação vacinal estão sendo realizadas em 853 municípios mineiros. Minas Gerais ainda apresenta 16 Unidades Regionais de Saúde com cobertura vacinal menor que 95%. Permanecendo ainda necessário a continuidade das ações de vacinação para garantir a homogeneidade da cobertura em todos os municípios, de acordo com a meta preconizada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Observação: Considerando o cenário atual da Febre Amarela em Minas Gerais, com redução no número de casos notificados nas últimas semanas, somado a necessidade de concluir a investigação dos casos notificados que continuam em aberto, a SES-MG passou a publicar o boletim epidemiológico quinzenalmente.

Qualquer alteração significativa no cenário epidemiológico será comunicada oportunamente.

Ressaltamos que, apesar de não haver publicação dos dados epidemiológicos semanalmente, todas as ações de prevenção e controle da febre amarela continuam em andamento no estado de Minas Gerais em caráter contínuo, visando evitar a ocorrência de novos casos.

» Clique aqui e confira, na íntegra, o Informe Epidemiológico da Febre Amarela, Minas Gerais (atualizado em 15/05).

» Clique aqui e veja nota técnica sobre as ações da vigilância entomológica em Juiz de Fora.

» Acesse os dados de cobertura vacinal em Minas Gerais, neste link (atualizado em 15/05).

 

]]>
Banco de notícias Tue, 15 May 2018 17:09:25 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (14/05) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10513-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-14-05 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10513-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-14-05

Em 2018, até o momento (14/05), Minas Gerais registrou 18.652 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, três óbitos foram confirmados por dengue, sendo um no município de Conceição do Pará, um em Uberaba e um em Moema. Há 12 óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 6.804 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Ressaltamos que o aumento de casos em relação ao último boletim publicado não reflete a elevação de casos apenas dos últimos dias. As novas notificações se referem aos meses de março, abril e duas primeiras semanas de maio, conforme detalha o boletim. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 204 casos prováveis em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 14/05/2018).

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 14/05/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 14/05/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 14/05/2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika por município em 2018 (atualizado em 14/05/2018).

]]>
Banco de notícias Mon, 14 May 2018 16:20:33 +0000
Informe Epidemiológico da Gripe (14/05) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10510-informe-epidemiologico-da-gripe-14-05 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10510-informe-epidemiologico-da-gripe-14-05

Até o momento, foram notificados 800 casos de SRAG, sendo 458 (57,3%) com amostra coletada e processada. Dos casos com amostras processadas, 11,6% (53/458) foram classificados como SRAG por Influenza e 16,6% (76/458) como outros vírus respiratórios. Dos casos associados à Influenza, 86,8% (46/53) eram Influenza A e 5,7% (3/53) Influenza B. Naqueles em que foi identificado o vírus A, o subtipo A/H3 sazonal é o de maior proporção com 71,7% (33/46), seguido do Influenza A não subtipado com 26,1% (12/46) e outros 10,9% (5/46) referem-se ao subtipo A/(H1N1)pdm09.

Foram notificados 57 óbitos por SRAG, o que corresponde a 7,1 % (57/800) do total de casos. Dos 57 óbitos notificados, 8,8% (5/57) foram associados a outros vírus respiratórios (Parainfluenza e Metapneumovírus), 3,5% (2/57) foram confirmadas para o vírus Influenza, sendo 100% (2/2) decorrentes da Influenza A. Dos óbitos relacionados à Influenza, 50% (1/2) foram associados ao subtipo A/H3 sazonal e 50% (1/2) a Influenza A não subtipado. A frequência de óbitos associados à Influenza no Estado, segundo municípios de residência, está distribuída na Tabela 3.

Resumindo: em 2018, foram confirmados, até o momento, 53 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo vírus da Influenza (gripe). Foram notificados dois (2) óbitos associados ao vírus da Influenza.

Dos 53 casos de SRAG causados pela Influenza: 33 foram de Influenza A/H3 Sazonal; 5 de Influenza A/(HINI)pdm09; 12 de Influenza A não subtipado; e 3 Influenza B.

Mais detalhes, veja no boletim.

Clique aqui e acesse o Informe Epidemiológico da Gripe (atualizado em 14/05/2018).

» Clique aqui e acesse a série histórica de frequência de casos e óbitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza (Na página 3 do BOLETIM TABELA 1)

Dúvidas frequentes e outras informações sobre cuidados e prevenção da gripe estão disponíveis no site: www.saude.mg.gov.br/gripe

]]>
Banco de notícias Mon, 14 May 2018 13:09:10 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus (07/05) http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10482-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-07-05 http://www.saude.mg.gov.br/pics/stories/10482-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-virus-07-05

Em 2018, até o momento (07/05), Minas Gerais registrou 17.276 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de Dengue. Em 2018, até o momento, três óbitos foram confirmados por dengue, sendo um no município de Conceição do Pará, um em Uberaba e um em Moema. Há nove óbitos em investigação para dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 5.762 casos prováveis da doença, concentrados na região do Vale do Aço. Ressaltamos que o aumento de casos em relação ao último boletim publicado não reflete a elevação de casos apenas dos últimos dias. As novas notificações se referem aos meses de março, abril e primeira semana de maio, conforme detalha o boletim. Não foi registrado, até o momento, óbito confirmado ou em investigação para Chikungunya em 2018.

Já em relação à Zika, foram registrados 202 casos prováveis em 2018, até a data de atualização do boletim.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a IMPRENSA (atualizado em 07/05//2018).
» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG para a ÁREA TÉCNICA (atualizado em 07/05//2018).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue por município em 2018 (atualizado em 07/05//2018).
»  Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Chikungunya por município em 2018 (atualizado em 07/05//2018).
» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Zika Vírus por município em 2018 (atualizado em 07/05//2018).

]]>
Banco de notícias Mon, 07 May 2018 15:24:24 +0000