Em 2017, até o momento (01/02), foram notificados 774 casos de Febre Amarela, sendo que desses 29 foram descartados e, 132 são casos confirmados.

O aumento significativo no número de notificações em relação ao boletim anterior deve-se a atualização de dados, que incluem casos com início dos sintomas durante todo o período de investigação. Desse modo, a atualização não reflete o aumento no número de casos apenas nos últimos dias, conforme detalha o Informe. A maioria dos casos suspeitos tiveram início dos sintomas entre os dias 08 e 14 de janeiro de 2017.

Foram considerados casos confirmados aqueles que apresentaram:

  • Exame laboratorial detectável para Febre Amarela;
  • Exame laboratorial não detectável para dengue;
  • Histórico vacinal (não vacinado/vacinação ignorada);
  • Sinais e sintomas compatíveis com a definição de caso;
  • Exames complementares que caracterizam disfunção renal/hepática.

Em relação aos óbitos, há 127 óbitos suspeitos. Desses, 48 foram confirmados.

O Informe traz atualização, ainda, das ações assistenciais de enfrentamento à Febre Amarela aos municípios das quatro regiões prioritárias para a doença - Teófilo Otoni, Governador Valadares, Coronel Fabriciano e Manhumirim, como a contratação de leitos extras, apoio nas ações de vacinação, disponibilização de medicamentos, entre outras ações.

» Clique no link a seguir e confira, na íntegra, o informe com a Atualização sobre a investigação de casos notificados e confirmados de febre amarela silvestre, Minas Gerais, 2017 (atualizado em 01/02).

Mais informações em: www.saude.mg.gov.br/febreamarela

 

Por Jornalismo SES-MG